sexta-feira, 20 de março de 2015

HISTORIA DA VERSÃO AUTORIZADA VERSÃO EM INGLES



HISTORIA DA VERSÃO AUTORIZADA DA VERSÃO EM

                                         INGLES.

Autorizado (Inglês) versão das Escrituras Sagradas.

Como isso não foi uma tradução rigorosamente novo ou original, será necessário considerar brevemente essas versões anteriores inglês sobre os quais foi fundada, e vai permitir que o leitor a compreender melhor o seu valor e caráter se prefixar alguma conta da ainda mais cedo versões anglo-saxões que levaram o caminho para estes. (Veja Hist da Sra Conant. De Engl. Tradução da Bíblia, NY 1856.) (Veja versões (da Bíblia). )

I. anglo-saxões Traduções. - Embora o nosso antepassados ​​anglo-saxões cedo possuíam traduções, principalmente a partir do latim, de pelo menos partes das Escrituras, a primeira tentativa com a qual estamos familiarizados é o poema parece rude, mas interessante atribuída a Caedmon, monge de Whitby, no século VII. Ele contém os principais eventos da história do Antigo Testamento, e torna várias passagens com fidelidade tolerável; mas o caráter épico e lendária da composição impede que este possa ser classificada entre as versões das Escrituras Sagradas. A primeira parte dele, intitulado The Fall of Man, foi traduzido em verso por Bosanquet (Lond. 1860, 8vo). Este trabalho foi sucedido no século seguinte pelo anglo-saxão Saltério, disse ter sido traduzido por Aldhelm, bispo de Sherborn, que morreu em 709; os primeiros cinquenta salmos são em prosa, os outros no verso. Sobre o mesmo período, Guthlac, o primeiro anacoreta Saxon, é relatado para ter traduzido os Salmos. A próxima trabalhador no campo foi o Venerável Bede, que completou o Credo dos Apóstolos e Oração do Senhor em anglo-saxão. Ele também traduziu o Evangelho de João, e completou que assim como a morte pôr fim a seus trabalhos eruditos, no mosteiro de Jarrow, na margem sul do Tyne, AD 735. O fim do próximo século, provavelmente produziu o célebre Durham Livro, que contém os quatro Evangelhos em anglo-saxão, escritas entre as linhas de uma cópia Latina anteriormente, por ALDRED, um sacerdote. O que se segue é a Oração do Senhor a partir desta versão -

Mateus 6: 9-13Mateus 6: 9-13 : Fader uren qui arth em heofnum, sic noma gehalgud fina: a cymeth ric fina; sic Willo fina sumels inheofne e em eortho; hlaf useune ofer wistlic sel-nos todseg: & forgef nos seylda usna suae uae forgeofon seyldgum usum: e ne inlsed usih em costunge NLU gefrigusich de yfle.

O Rushworth Gloss, tendo a palavra anglo-saxão colocado sobre o correspondente Latina, provavelmente foi executado sobre o mesmo período, por OWUN, auxiliado por Farmen, um padre em Harewood. Sobre este tempo, Alfred, o Grande set na cabeça de suas leis uma tradução anglo-saxão dos Dez Mandamentos, com tal de Mosaic as injunções do 21, 22, 23 capítulos de Êxodo como eram mais o seu propósito. Ele também disse ter entrado em uma tradução dos Salmos, que se não chegou a concluir. Avançar no sentido vêm alguns fragmentos de uma versão interlinary imperfeita do Livro dos Provérbios. Glosses semelhantes foram feitas no Saltério; também sobre os Cânticos da Igreja, a Oração do Senhor, e outras partes das Escrituras. Na última parte do século X, a JELFRIC monge traduzido - omitindo algumas partes, e muito, cerceando os outros - o Pentateuco, Josué, Juízes, uma parte dos livros de Reis, Esther, Trabalho, Judith, e os Macabeus. Ele também elaborou, em anglo-saxão, um breve relato dos livros do Antigo e do Novo Testamento; e, pelos textos e citações usadas nas suas homilias, ele contribuiu muito para o conhecimento das Escrituras. Uma terceira versão anglo-saxónica dos quatro Evangelistas, de que há duas cópias, e algumas cópias dos Salmos, parecem ter sido executado em um período posterior, provavelmente, mas um pouco antes da hora da conquista normanda. Com estes, a série de traduções anglo-saxões de partes das Escrituras parece acabar; embora não seja improvável que outras partes das Escrituras foram traduzidas que não tenham chegado até nós.

Antes de meados do século XI, a linguagem da Caedmon e Bede tinha sofrido mudanças importantes, provavelmente através da influência de Edward, o Confessor e seus associados Norman, entre os quais ele tinha sido educado. No período da Conquista, AD 1066, o Norman começou rapidamente a revolucionar a velha linguagem anglo-saxónica. Logo após este período uma versão dos Evangelhos parece ter sido feita, de que existem três cópias, e é difícil determinar se eles estão a ser atribuído à anglo-saxão ou Norman-Anglo classe de restos literários. Antes do ano 1200 o anglo-normandos se traduziu em um dialeto próprio, em prosa, o Saltério e Cânticos da Igreja; e para o meio do século seguinte parecem ter possuído não só uma história do Antigo Testamento no verso, tanto quanto o fim dos livros de Reis, mas também, supõe-se, uma versão em prosa de uma grande parte da Bíblia. No entanto, as versões anglo-saxões e glosses dos Evangelhos, e outras partes das Escrituras, permaneceu muito tempo depois em uso parcial. (Veja VERSÕES anglo-saxónica ).

. II precoce Inglês Traduções. - Os primeiros ensaios da tradução bíblica assumiu em Inglês, como na maioria das outras línguas, uma forma poética. O Ormulum, escrito talvez no início do século XIII, é uma paráfrase no verso da narrativa dos Evangelhos e Actos dos Apóstolos. O poema bíblico chamado "Soulhele" Provavelmente foi escrito sobre o mesmo período. Para um período mais tarde do mesmo século pertence o poema recitando os principais acontecimentos nos livros de Gênesis e Êxodo. Aparentemente coeva com esta é a versão métrica, do latim, de todo o livro de Salmos. Em alguns manuscritos uma versão encontra-se em parte semelhantes, mas com emendas e revisões, provavelmente, a adaptação parcial da mesma versão para uma dicção mais moderno e ortografia. O Salmo 100 é dado aqui como um exemplar desta antiga versão em Inglês:

Mirthes a Deus al erthe que es serve para louerd em faines. Em go yhe ai na sua siht, com alegria, que é tão briht.

Whites que louerd deus é ele, portanto, Ele nos fez e nossa auto noht nós, Sua folke e Shep de sua fode:

Em gos seus yhates que são gode;

Em schrift seus worches acreditar, Em ympnes a ele YHE schrive. Heryhes seu nome para louerde é Hende, Em toda sua merci fazer em strende e strende.

A primeira versão em prosa Inglês de qualquer livro inteiro da Bíblia é o livro dos Salmos, traduzido por WILLIAM DE SCHORHAM, vigário de Chart Sutton, em Kent. A tradução é geralmente fiel e literal. O que se segue é um exemplar desta versão -

Salmos 23: 1-6Salmos 23: 1-6 :

A versão de Schorham dos Salmos dificilmente poderia ter sido concluída, quando outro foi realizado por RICHARD ROLLE, padre chantry em Hampole, perto de Doncaster, que morreu em 1349. Deste trabalho de Rolle, para a qual ele subjoined um comentário, havia cópias que diferiam um do outro, mostrando que o original deve ter sido alterada de alguma forma. O que se segue é um exemplar desta versão -

Salmos 79: 1-6Salmos 79: 1-6 : Deus, Gens vêm em herança fina; thei arquivado thi santo tempul, thei sette Jerusalém em kepyng de appuls. Thei sette o dyande bodyes ofthi seluraunts mete aos Fowles do lyft; Flesche de thli halowes para bestis de erthe. Thei derramamento Bhore Blode como Watir em vmgong de Jerusalém; e nenhum foi para a graue, hade estamos reproft para Oure neghbors; skornynge e hething para alle que em oure vmgong são. Howe longe, Senhor, tu deverás ser wrothe em ende; kyndelt shal seja thi luf como fogo. Helde, ou het, thi Wrathe em gens que não te conhecia; e em que kyngdoms thi nomo não incalde.

Todas estas versões foram feitas a partir do latim; e algumas das relíquias veneráveis ​​ainda existem no manuscrito nas bibliotecas públicas do reino. Alguns deles foram impressos como objetos de curiosidade literária.

Foi só por volta do ano 1382 que a nossa língua foi enriquecido com uma cópia completa das Escrituras, pelas mãos de Wycliffe e seus coadjutores, não é improvável com a ajuda de outras porções fragmentárias então existente. Esta tradução foi feita a partir da Vulgata Latina, cotejadas com outras cópias antigas. Durante vários séculos, ocasionalmente tinham sido encontrados na Inglaterra alguns estudiosos familiarizados com o idiomas hebraico e grego; e, embora, ocasionalmente, Wycliffe introduziu palavras gregas em alguns de seus escritos, no entanto, parece pouco provável que o conhecimento do grego possuída por ele era de todo suficiente para capacitá-lo a traduzir do que a linguagem. Assim, se a Bíblia deve ser traduzida em tudo, ele deve ser a partir do latim. Ele pertencia a uma idade mais avançada e mais fundamental usar os originais na formação vernáculo versões das Escrituras. A tradução do Novo Testamento foi provavelmente o trabalho do próprio Wycliffe. Durante seu progresso, o Antigo Testamento foi tomada na mão por um dos coadjutores de Wycliffe; e a partir de uma nota escrita num manuscrito, no final de uma porção do livro de Baruch, a tradução é atribuído a Nicholas de Hereford. Não improvável a causa desse manuscrito, e também de um outro que é provavelmente uma cópia, de repente, interrompendo no Livro de Baruch, era a convocação que Hereford receberam a comparecer perante o Sínodo em 1382. A tradução foi, evidentemente, completado por um lado diferente , não é improvável pelo próprio Wycliffe. No entanto, este pode ser, certamente foi através da energia de Wycliffe que a tradução mais antiga de toda a Bíblia no idioma Inglês foi realizado em e executado. Muitas das peculiaridades desta tradução estão a ser atribuído ao tempo em que viveu Wycliffe; e é notável que, na sua versão das Escrituras, ele escreve Inglês muito mais inteligível do que é encontrado em suas obras originais; a - a dignidade do livro que ele traduziu parece ter transmitido uma excelência de expressão para a própria versão. Nenhuma parte da versão genuína de Wycliffe foi impresso, com exceção do Cântico dos Cânticos, pelo Dr. Adam Clarke, em seu comentário, até 1848, quando o Sr. L. Wilson publicou o Novo Testamento em um belo quarto volume Gothic-letra. Mais recentemente, a Bíblia inteira, acompanhada de revisão da Purvey, foi publicado. A seguir, são espécimes de tradução de Wycliffe -

Gênesis 3: 7-8Gênesis 3: 7-8 ; Lucas 8: 31-33Lucas 8: 31-33 : E o eizen de ser tanto openyd; e whanne thai silf knewen hem a ser Nakid, thei soweden para gidre leeues de uma árvore fige e brechis hem Maden. E ywhanne thei Herden os voys do goynge Senhor Deus em paradis no shynyng após myd dai, Adam escondeu hym e sua wijf fio a face do Senhor (od no myddel da árvore de paradis.

E thei preiden ele, que ele não schulde hem comaunde, que thei echulden ir ao depnesse. Forsothe um flok de Manye hoggis estava lá lesewynge em um hil, e thei preieden ele, que hem schulde mentira suffre, para entrar no hem. E ele suffride hem. Portanto Fendis Wenten fora fro o homem, e entride para hoggis; e com o Bire wente hedlinge flocos para o lago de água, e foi stranglid.

Como a tradução de Wycliffe foi concluída em um relativamente curto espaço de tempo, e necessariamente possuíam manchas incidente para uma primeira edição, não é surpreendente que uma versão revisada foi contemplado, mesmo na vigência do próprio Wycliffe. Assim, por volta do ano 1388, não mais de quatro anos após a morte de Wycliffe, a revisão foi realizada, mas com algumas diferenças substanciais de interpretação, por Purvey, que tinham sido coadjutor de Wycliffe, e, após sua morte, tornou-se o líder do o partido Lollard. Revisão do Purvey rendeu a versão mais correta, inteligível e popular, e causou a tradução anterior a cair em desuso. Cópias desta revisão foram rapidamente multiplicado; mesmo agora, mais de cento e cinquenta exemplares do todo ou parte da Bíblia de Purvey estão em existência. A seguir, são espécimes de versão de Purvey -

Gênesis 3: 7-8Gênesis 3: 7-8 ; Lucas 8: 31-33Lucas 8: 31-33 : E o Izen de bothe não estavam abertos; e whanne thei knewen que thei não estavam Nakid, thei sewiden os leeues de um tre fige e brechis maden para hem ILF. E whanne thei Herden o vois do goynge Senhor Deus em paradijs no Wynd após myd-dai, Adam e sua wijf escondido fro a face do Senhor, Deus nos middis dos pardijs tre'of.

E thei hym preiden, que hoe schulde não hem comaunde, que thei schulden ir para Helle. E havia um flok de muitos lesewynge swyne numa hil, e thei preid n hym, que ele schulde hem suffre para eintre em hem. E ele suffride hem. E assim os deuelis Wenten fora fro o homem. e em que o entriden swyne; e com um birre o flok fui heedlyng para a piscina, e foi drenchid.

Não obstante as constituições de proibição do Arcebispo Arundel em 1408, e o alto preço dos manuscritos , ambas as versões foram amplamente multiplicados; eles contribuíram em grande parte para o conhecimento religioso que prevaleceu no início da Reforma, e, provavelmente, se apressou esse evento. No ano de 1420, o preço de um dos Testamentos de Wycliffe não era menos de quatro marcas e quarenta pence, ou R $ 2 16s. 8d., Equivalente a R $ 42 6s. 8d. Agora, tendo dezesseis anos como o múltiplo para derrubar o dinheiro de que o tempo para o nosso padrão. É um pouco estranho que a versão revista por Purvey foi tomada até recentemente para a tradução própria Wycliffe, e, como tal, parte do Novo Testamento foi publicado por Lewis, 1731; por Baber, 1810; e novamente por Bagster, em sua Hexapla Inglês. É, no entanto, agora conhecido que a versão mais antiga é Wycliffe de, e. a revista ou mais moderna é por Purvey. Estas duas primeiras versões em inglês de toda a Bíblia por Wycliffe e Purvey foram impressos, coluna por coluna, na mesma página, com várias leituras dos vários manuscritos , em quatro volumes in-quarto esplêndidas, sob os cuidados do Rev. J. Forshall e Sir F. Madden, Oxford University Press, 1850.

A circulação da versão de Wycliffe, e que de seu revisor, Purvey, em manuscrito, foi o plantio de sementes destinadas a produzir um poderoso colheita .. A queda do Império do Oriente em 1453 contribuiu para a revitalização do ensino dispersando aprendeu gregos, que carregaram consigo tesouros manuscrito de Constantinopla. A impressão de imprensa contribuiu imensamente para revolucionar a sociedade em toda a Europa. Em vários lugares no Continente as Escrituras foram impressas não só na América Latina, mas em hebraico e grego, assim preparando providencialmente por estabelecendo a Oráculos inspirado nas línguas vernáculas. Em Inglaterra, no entanto, a operação da prensa foi lenta. Em vão olhar sobre a lista de obras de Caxton, o pai da imprensa na Inglaterra, para uma cópia de qualquer parte das Escrituras. A primeira tentativa de dar diante de qualquer parte das Escrituras na imprensa em Inglês foi uma tradução e exposição dos sete penitencial Salmos, em 1505, por FYSHER, o romanista bispo de Rochester; e mesmo este foi impresso no Continente, embora publicada em Londres. O instrumento nas mãos de Deus para a tradução do Novo Testamento, e uma grande parte do Antigo, das línguas originais em Inglês, foi William Tyndale. Mas na Inglaterra Tyndale conseguiu encontrar nenhum lugar para imprimir sua tradução do Novo Testamento. No ano de 1524 ele passou para Hamburgo, onde ele disse ter publicado no mesmo ano os Evangelhos de Mateus e Marcos. Como, no entanto, nenhum fragmento deste primeiro fruto do trabalho de Tyndale é conhecido por ser restante, nós suspeitamos que ele é apenas outra referência para o seguinte fragmento, impresso em Colónia. Em setembro de 1525, Tyndale, com o seu assistente Roye, estava em Colônia, na verdade, envolvidos em trazer a primeira edição de seu Novo Testamento, in quarto, através da imprensa. Quando as folhas desta edição foram impressos tanto quanto a assinatura K, a impressora, através da influência de Cochlaeus, um diácono romana, foi interditada a partir de prosseguir com o trabalho. Tyndale e seu assistente arrancado algumas das folhas impressas, e fugiu para Worms. Nesta cidade Tyndale impresso imediatamente uma edição octavo de seu Testamento; em seguida, é dito, ele completou a in-quarto que havia sido interrompida, e publicou duas edições no fim do 1525 ou no início de 1526. A única relíquia do Quarto velho precioso, que foi a primeira edição parcialmente impressa, pois somos inclinados a pensar que nunca foi concluído, foi descoberto em 1834 pelo falecido Mr. Rodd, e agora está no Museu Britânico. Ele contém apenas o prólogo, uma tabela com os livros do Novo Testamento, e parte do Evangelho de Mateus - cap. 1-22. O que se segue é um espécime deste fragmento, impresso em Colónia por P. Quentell -

Mateus 2: 1-2Mateus 2: 1-2 : Quando Jesus foi levado em Belém um toune de Iury, no tempo Kynge Herodes, Eis, vieram aqui uns homens Wyse do este de Jerusalém sayinge: onde está aquele que é Kinge carregado pelos iewes, temos sene sua starre no este, e viemos a worshippe hym.

A cópia perfeita conhecida apenas do oitavo, que foi o segundo impresso, mas a primeira edição completa publicada de Tyndale do Novo Testamento, é preservada no College Library Batista, Bristol. O que se segue é um exemplar desta edição, impressa em Worms no fechamento de 1525 ou no início de 1526 -

Marcos 14: 3-5Marcos 14: 3-5 : Quando ele estava no bethania no housse off Simão, o leproso, assim como ele saciar att meate, há cam um neg com um boxe alablaster de oyntment, chamados Narde, que era pura e caro, e ela freio o anúncio boxe powred-lo em sua atenção. Havia alguns que eu disdayned si mesmos, e sayde: que avaliem este desperdício de oyntment? Para que possa ter soolde bene para mais duas canetas houndred, e bene geve até o poure. E eles ressentiram agaynste ela.

Em Novembro de 1534, publicado em Antuérpia Tyndale uma terceira edição, "dylygently corrigido e comparado com o Greke." A segunda ou primeira edição completa, apesar de um avanço mais importante, certamente traz marcas de pressa; mas a edição de 1534, revisto pelo próprio, está em primeiro lugar como exibindo Tyndale como tradutor. A seguir, um exemplar desta edição -

Marcos 14: 3-5Marcos 14: 3-5 : Quando ele estava em Bethania, no housse de Simão, o leproso, assim como ele saciar a meate, ther veio um neg hauynge um boxe alablaster de oyntment chamado Narde, que era pura e caro, e ela freio o boxe e powred-lo em é atenção. E o foram alguns que não estavam contentes em si mesmos, e sayde: que avaliem este desperdício de oyntment: Pois pode ter soolde bene por mais de cem thre canetas, e foi até a geve poore. E eles ressentiram agaynst hir.

Isso de Tyndale Novo Testamento foi traduzido do grego, ninguém pode questionar que examinou com cuidado: ele será encontrado continuamente para deixar as leituras da Vulgata Latina, e aderir à terceira edição do Novo Testamento grego de Erasmo, impresso em 1522. Às vezes, de fato, grande deferência é pago para as observações críticas de Erasmus; mas ainda a tradução é feita a partir do grego, e não da sua versão latina. Quando Erasmo partiu do grego, como ele faz em vários lugares, aparentemente por inadvertência, Tyndale não segui-lo, mas segue de perto o original. Como de Tyndale do Novo Testamento eram avidamente comprados, em parte, por investigadores sérios, e em parte por outros para a destruição, numerosas cópias clandestinas rapidamente emitidos a partir de diferentes prensas, principalmente pelos holandeses impressoras; de modo que em vez do tradutor foram emitidas cerca de catorze edições, e oito ou nove anos, em 1536, o ano da sua morte. Uma edição muito curiosa de Tyndale Testamento foi impressa, provavelmente em Antuérpia em 1535, durante a prisão do tradutor em Vilvorde. A letra eo prrve ortografia que foi impresso nos Países Baixos. Alguns supõem que ele seja executado em uma ortografia provincial, provavelmente a de concelho natal de Tyndale, particularmente adaptado para trabalhadores agrícolas; e que, por esta edição, ele nobremente redimiu sua promessa ousada dado ao padre em Gloucestershire muitos anos antes: "Se Deus me poupar a vida, antes que muitos anos eu fará com que o menino da roça para saber mais das Escrituras do que você fazer. " Ele também colocou posições pela primeira vez para os capítulos. A seguir, um exemplar desta edição -

1 Coríntios 15:411 Coríntios 15:41 : Thear é glória oone forma do sunne, e uma glória Noether do moane, e uma glória nother vós starres. Para oone starre differth fro um Noether em glória.

A edição do Novo Testamento de Tyndale, impresso em folio, em Londres, por Thomas Berthelet, em 15-6, a partir da edição revisada de 1534, foi a primeira porção das Escrituras inglês impressos em solo Inglês. A seguir, um exemplar desta edição rara e interessante -

1 Coríntios 15: 45-461 Coríntios 15: 45-46 : O homem fyrst Adão, foi feito soule lyvynge, eo último Adão, foi feito spiryte quyckenyng. Howe seja ele, que é fyrst nat que é spiritliall: mas o que é naturall, e do que aquela que é spirituall. O mártir Tyndale também foi o primeiro a traduzir os cinco livros de Moisés para o Inglês a partir do hebraico. Como os livros de Gênesis e Números estão em letra gótica, enquanto as de Êxodo, Levítico e Deuteronômio são em caracteres latinos, parece que esses livros foram impressos em momentos diferentes e em lugares diferentes. Ocorre o seguinte no final do Gênesis: "Emprented em Malborow, no lande de Hesse, por mim, Hans Luft, o yere de oure Lorde 1530, as 17 dayes de januarii." Tyndale também traduziu e publicou o Livro de Jonas. Nos anos seguintes de sua vida, ele estava empenhado em traduzir, talvez em conjunto com Rogers, os livros restantes da Bíblia. Tradução de Tyndale, tanto quanto o fim do Chronicles, e outros manuscritos , aparece, no momento de seu martírio, ter estado na posse de Rogers. O que se segue é uma amostra do Pentateuco de 1530 da Tyndale -

Gênesis 24: 18-20Gênesis 24: 18-20 : E ela downe apressaram, tarde ela pytcher apon hyr arme e gaue ele drinke. E whe ela tinha geuen hym drynke, ela sayde: Eu vou água drawe para os teus camelos também, vntill eles haue Dronke ynough. E ela derramou hyr jarro para o cocho hastely e Ranne agayne até a fonte, a água Fett: Drewe e para todos os seus camelos.

Durante o ano de 1530, o argentino Inglês Saltério foi impresso. O tradutor, que rendeu a partir do latim, chama a si mesmo JOHAN ALEPH. A data no final deste Saltério é 10 de janeiro de 1530; Assim, parece ter sido, talvez por antedating, o primeiro livro todo o Antigo Testamento, que foi impresso em Inglês, a conclusão do Genesis da Tyndale ter sido um dia subseqüente. Em 1531 não foi publicado uma tradução de Isaías por GEORGE Joye; em 1533, duas folhas de Gênesis; e em 1534 ele publicou uma tradução de Jeremias e do Livro dos Salmos. Estas partes também foram traduzidos a partir da Vulgata Latina.

MYLES COVERDALE foi o primeiro a publicar, se não traduzir, toda a Bíblia para o Inglês. Ele começou este trabalho em novembro de 1534, e foi impresso, provavelmente, em Zurique, em outubro de 1535. Apesar de Coverdale tinha, evidentemente, o hebraico e grego antes dele, ele usou livremente as traduções de Tyndale, tanto impressos e talvez manuscrito. Ele fala de ter sido ajudado por cinco intérpretes diversos nas holandês, alemão e línguas latinas. No Antigo Testamento, ele pode ter tido, 1º, a Vulgata Latina; 2d, a versão de Pagninus; 3d, a tradução alemã de Lutero; 4, versão alemã-suíça de Leo Juda; 5, a versão latina conectado com a Bíblia Hebraica de Sebastian Munster, o primeiro volume do que foi impresso em 1534. O Novo Testamento parece ser, em parte, uma revisão da Tyndale, em que Coverdale tomou muito cuidado, e aproveitou-se tanto da edição de 1525 e alterado a um de 1534. Esta Bíblia, que foi dedicado ao rei Henry VIII, teve o seguinte como o título: ". BIBLIA A Bíblia, ou seja, a Sagrada Escritura do Olde e do Novo Testamento, fiel e verdadeiramente traduzido para fora de Douche e Latyn para Englishe. 1535. " No entanto, deve ser observado, o uso das palavras "fora de Douche, ou seja, alemão, e Latyn," era apenas um artifício bookselling pelas impressoras, para fazer o trabalho circular melhor, como estando intimamente ligado com as doutrinas reformadas, que foram, então, igualmente bem conhecido pelo nome de doutrinas alemães ou holandeses. No novo título inserido no ano seguinte, esses termos foram deixados de fora. Coverdale certamente não seguiu o latim, nem mesmo a versão de Lutero, mas ele, sem dúvida, valeu-se de todos os diferentes meios de assistência em seu poder. Esta Bíblia foi reimpresso com algumas alterações em Zurique, em 1537, com um título de página Londres, e foi então deixada pelo rei para "ir para o exterior no meio do povo", mas sem qualquer imprimatur régia ou licença. O que se segue é uma amostra da tradução de Coverdale - Salmos 90 (91), 4, 5:

Ele shal Couer o vnder seus wynges, para que possas ser seguro vnder seus fethers: sua faithfulnesse e trneth shal seja o teu shylde e broquel. Então yt tu não nede ser afrayed para Bugges Eny por noite, ner para arowe que flyeth por daye.

No ano de 1537, as traduções de Tyndale foram publicados em uma forma recolhidos, sob o nome de "Thomas Matthew." A edição desta Bíblia foi realmente o trabalho do mártir Rogers. Para esta edição foi prefixado, uma exortação para o Estudo das Sagradas Escrituras, sob a qual ficam JR, as iniciais de seu nome. Na execução deste trabalho, Rogers tinha toda a traduções de Tyndale, se marca ou manuscrito, antes dele. O Antigo Testamento é uma reedição do Pentateuco de Tyndale; o restante, até o Segundo Livro de Crônicas, foi copiado de Tyndale manuscritos , que eram, sem dúvida, em se manter seguro de Rogers. O Novo Testamento foi Tyndale do de 1534 Esta Bíblia tem o caráter de trabalhos de Tyndale tão estampadas em cima dele tão claramente para mostrar que, pelo menos, dois terços da tradução foram a sua obra; o restante é o trabalho de Rogers, que provavelmente foi ajudada por folhas de Coverdale. No final do Antigo Testamento, as letras WT são impressos em grandes capitais texto curiosamente floresceram. Esta Bíblia provavelmente foi impressa em Lubeck; e não é improvável que era, na verdade, na imprensa, nos trabalhos conjuntos de Tyndale e Rogers, no momento da prisão e martírio de Tyndale. Muito do crédito é devido a Rogers, que provavelmente residia no local de impressão, como o editor cuidado I desta Bíblia; ele era, evidentemente, um estudante excelente, e ele parece ter agido tanto quanto desejam dar seus compatriotas a Bíblia a mais correcta possível, e da mesma forma a perpetuar os trabalhos de Tyndale, seu amigo e instrutor na verdade do Evangelho. Esta Bíblia foi traduzida pela primeira hebraico, grego e estudiosos ingleses, e é executado mais de acordo com os pontos de vista dos mais recentes e melhores críticos da Bíblia. Esta revisão, que é com freqüência, mas não inaptly chamada "Bíblia de Tyndale," apareceu com as palavras, em seguida, muito cobiçados, "estabelecidos com licença mais gracioso do rei"; Por isso, foi a primeira edição devidamente autorizada da Bíblia Inglês. Esta Bíblia - pelo menos parte dela - parece ter sido impresso em detrimento de Richard Grafton e seu parceiro, Edward Whitchurch I - que mais tarde se casou com a viúva do Arcebispo Cranmer. Eles, sobre o mesmo período, tornou-se impressoras si, como suas iniciais aparecem no início dos Profetas, onde, talvez, a parte da despesa que eles custeados começou. "Thomas Matthew" pode realmente ter sido a pessoa em cujo custo da porção anterior foi impresso. Esta Bíblia foi a tradução é popular, e a partir das várias edições parece ter sido muito usado por muitos anos. O seguinte é um belo exemplar de prestação de Tyndale do hebraico - 2 Samuel 1: 17-182 Samuel 1: 17-18 :

E dauid cantou thyg songe de moulnynge ouer Saul e ouer Jonathas hys Sonne, e ruim para os teache chyldren de Israell os staues mesmos.

Em 1538, foram publicadas várias edições da nova versão do Coverdale do Novo Testamento. Ele também emitiu várias edições do Inglês Novo Testamento, juntamente com o texto da Vulgata Latina. A impressão deste Diglott Testamento foi executado com grande descuido, para que Coverdale tinha rapidamente reproduzido em Paris. É provável que Nicholson a impressora, ao ouvir que de Coverdale Latina e Inglês Testamento estava prestes a ser reeditado em Paris, com mais atenção para a precisão, impresso a um com o nome de "Johan Hollybushe" sem demora, a fim de antecipar a edição de Paris . O seguinte é uma amostra do de Coverdale Testamento -

Mateus 5:13Mateus 5:13 : Vós sois o sal da terra. Coloque yf ye sal vanishe distância, wherin Shal há de salgar? É thece dá bom vnto nada, mas yt ele se lançar fora, e trode vndr dos homens.

No ano de 1539 foi publicada a tradução em Inglês conhecido pelo nome de "Grande Bíblia". Esta edição foi executado sob a superintendência de Grafton, a quem Coverdale emprestou sua ajuda como corrector. Esta Bíblia foi impressa em 'Paris pela permissão de Francisco I., obtido por Henry VIII. Mas, apesar da licença real, assim como o trabalho estava bem avançada, a Inquisição interposta, e emitiu uma ordem, de dezembro de 17,1538, convocando as impressoras franceses, seus empregadores Inglês, e Coverdale, o corrector do trabalho, e inibiu seu processo mais longe. A impressão, composta de 2500 exemplares, foi apreendido, confiscado, e condenado às chamas. Quatro grandes gorduras secos completo, no entanto, destes livros escaparam do fogo pela avareza de a pessoa designada para supervisionar a queima de um deles; e os proprietários ingleses, que haviam fugido no primeiro alarme, voltou para Paris assim que diminuiu, e não só se recuperou algumas dessas cópias, mas trouxeram com eles a Londres as prensas, tipos e até mesmo os trabalhadores, e retomar o trabalho, terminou no ano seguinte. Esta Bíblia, que é uma revisão da versão de Mateus, provavelmente, pela mão de Coverdale, foi infeliz confundido com "a Bíblia de Cranmer", emitido em 1540. O prefácio escrito por Cranmer para a edição de 1540 foi inserido em algumas cópias do Grande Bíblia, mas, posteriormente, para a sua conclusão. O estadista Cromwell, não Cranmer, era o espírito-prima, não só no sentido de obter-se esta edição, mas em obter a liminar real de que "toda a Bíblia, de maior volume em Inglês," deve ser criada nas igrejas. Isto continuou, com ligeiras alterações, para ser a versão em Inglês autorizada da Bíblia - exceto, é claro, durante o reavivamento do papado no reinado de Maria - , até que, em 1568, ele foi substituído pelo Bíblia dos Bispos. Os Salmos na Bíblia foram os mesmos que os encontrados no Livro de Oração Comum, tendo dezessete interpolações da Septuaginta ou Vulgata Latina, mas impresso em um tipo menor, e entre parênteses. Estas leituras foram marcados na Bíblia de Coverdale como não sendo no texto hebraico; eles também estão continuou nas edições de Cranmer. O seguinte é uma amostra, com a interpolação no tipo menor, que inclui três versos - Salmos 14: 3-4Salmos 14: 3-4 .

Mas eles estão todos saíram do waye, eles são completamente: tornar-se abbominable: não há ninguém que faz o bem, não há um (theyr throte é um sepulcro aberto: wyth seus tonges eles haue dysceaued, o poyson de ASPES está sob theyr lyppes Theyr boca está cheia de cursynge e bytterness. theyr festa são Swyft para shede Destruccyon bloude e unhappynes isin theyr wayes, ea onda de haue paz eles não knowen, não há Feare de Deus antes theyr olhos). Halie que nenhum conhecimento de que eles são todos os trabalhadores de myscheffe, eatynge o meu povo como se fosse breade.

No ano de 1539, mais uma edição da Bíblia apareceu, dedicada ao rei. Foi uma mera revisão de texto bíblico de Mateus, executado por RICHARD Taverner, sob o patrocínio do Senhor Cromwell. As três edições por meio do qual esta Bíblia quase imediatamente foi provar que a sua circulação foi considerável, embora seja de se observar que eles eram leitores privados só que o usaram, como nunca foi, nem por um momento, fez publicamente uma versão autorizada. Taverner do Novo Testamento, de que ele publicou duas edições, é uma recensão diferente da que acompanhou o seu "reconhecimento da Bíblia."

No ano de 1540 "da Bíblia Cranmer" foi emitido a partir de Grafton e Whitchurch imprensa. Esta foi provavelmente a primeira Bíblia completa de sempre impresso na Inglaterra. Esta edição, dos quais apenas quinhentos exemplares foram impressos, era uma mera revisão da Grande Bíblia de 1539, e teve um prefácio de Cranmer. Outra edição ", supervisionado e lidos", por ordem do rei, por CUTHBERT TONSTALL, bispo de Durham, e Nicholas HEATH, bispo de Rochester, que também fez algumas variações no texto, apareceu em 1541. O seguinte é uma amostra de Cranmer Novo Testamento -

Mateus 6: 9-13Mateus 6: 9-13 : pai Oure que estás nos heauen, halowed seja o teu nome. Que teu reino chegar. Thy será cumprido, bem em erth, como é em Leuen. Geue vs esta daye-oure dayly criados. E forgeue vs dettes Oure, como nós forgeue detters Oure. E leade vs não entreis em tentação; mas delyuer vs partir euyll. Para thyne é o kyngdom eo poder, ea glorye para euer. Amém.

As únicas impressões. quaisquer partes das Escrituras que foram impressos durante o resto do reinado de Henry parecem ter sido as Epístolas e Evangelhos para os domingos, em 1542, provavelmente uma edição do Pentateuco em 1544, o livro de Joye de Daniel e os livros de Salomão em 1545, e do Novo Testamento de acordo com o texto da Grande Bíblia em 1546. O número de cópias das Escrituras em circulação neste momento deve, no entanto, têm sido muito considerável. Em 1543 o Parlamento proibiu o uso da versão de Tyndale; e em 1546 a tradução de Coverdale, bem como Tyndaleus, foi proibida pelo. uma proclamação rigoroso, e todos esses livros eram para ser entregue a pessoas nomeadas para o efeito, a fim de que eles podem ser queimados. A diligência com que a proclamação de Henry foi executado, na destruição das edições anteriores, é responsável por muito poucos exemplares que chegaram ao nosso tempo. A destruição parece ter sido quase tão completa quanto a das edições anteriores do Tyndale do Novo Testamento.

Entre os primeiros atos do reinado de Edward VI foi a reversão das restrições que foram impostas sobre a circulação e a leitura das Escrituras. No entanto, nenhuma nova recensão ou tradução foi publicada, exceto uma tradução da paráfrase de Erasmus em 1549-1550. Entre os que participaram neste trabalho foi Coverdale; e da princesa Mary - a futura rainha perseguindo - traduzido uma parte do Evangelho de João. Cranmer contemplada uma nova tradução da Bíblia; mas Fagius e Bucer morreu, eo trabalho foi frustrado. Uma edição da Bíblia de Coverdale, disse ter sido impressa em Zurique, foi publicado em 1550. Esta edição foi, provavelmente, uma das duas revisões que Coverdale mencionados no seu sermão em Cruz de Paulo, em que ele defendeu sua versão, e disse: "se ele pode rever o livro, mais uma vez, como ele teve duas vezes antes, ele não duvidava que ele deve alterar. " Durante uma parte deste reinado Sir JOHN Cheke traduziu o Evangelho de Mateus, e talvez parte de Mark, mas a tradução não foi então publicado. O que se segue é uma amostra da versão de Cheke -

Mateus 2: 1Mateus 2: 1 : Quando Jesus foi Boorn em Bethlem um citi do Juri no palanque do rei Herood eis então cam da Wisard fro partes thest.

No entanto, muitas edições da Bíblia foram impressas, algumas reimpressões estar da Bíblia de Matthew, alguns de Cranmer, e alguns de Reconhecimento de Taverner. O número total de impressões sobre a Bíblia, no reinado de Edward era pelo menos treze anos. Houve também várias edições do Novo Testamento, algumas das traduções de Tyndale, alguns da versão de Coverdale, e alguns de acordo com a Bíblia de Cranmer. O número dessas edições do Novo Testamento se eleva a pelo menos vinte e cinco anos, de modo que todo o número de Bíblias e Testamentos em circulação composta muitos milhares de cópias.

Na ascensão de Maria, a impressão ea circulação das Escrituras em Inglês foi impedida, de modo que o seu reinado só testemunhou a impressão de uma edição do Novo Testamento, impresso em Genebra em 1557. O tradutor do genebrino Testamento era William Whittingham, um nativo de Holmset, a seis milhas de Durham, que foi um dos exilados da Inglaterra. Este foi um pequeno volume quadrado, impresso em letras romanas, com as palavras adicionais e em itálico. - Foi a primeira Inglês Novo Testamento dividido em versos e dividido em pequenas partes ou parágrafos. O prefácio foi escrito por John Calvin, cuja irmã era casada com Catharine Whittingham. Na forma de tornar não algumas passagens o tradutor seguido o julgamento de Beza em suas opiniões teológicas. O que se segue é um exemplar desta versão -

Mateus 13.19Mateus 13.19 : Quando soeur um homem ouve a Worde do kyngdome e vnderstandeth não, não Commeth que euyl um, e arrebata o que foi sewen em seu coração, e este é o que foi sowen vir pelo caminho syde .

Whittingham e seus companheiros de exílio também executou uma tradução de toda a Bíblia em Genebra, e não é improvável que Coverdale auxiliado no trabalho. Os tradutores provavelmente tinha motivos que suficientemente contribuíram para a execução de uma nova versão, em vez de dar uma mera reedição ou revisão de qualquer que havia precedido. A intenção desse trabalho tinha sido atendido no reinado de Edward VI, e é provável que, neste projetada revisão, a partir da maneira em que o nome de Bucer foi conectado com ele, não teria sido incorporada qualquer coisa que possa ser aprendida a partir o conhecimento bíblico possuído pelos reformadores no Continente. Esta tradução diferente de tudo o que o havia precedido, não só no seu plano, mas também na sua execução. As outras versões havia sido geralmente o trabalho ou para a revisão de um indivíduo, ou, no máximo, uma revisão em que certos indivíduos executado certas partes específicas; nesta tradução encontramos, pelo contrário, muitos unidos actuando na formação de uma versão, e assim, no plano de operação, verificou-se um princípio de integridade, que não tinha sido posto em prática anteriormente. Os tradutores, pelo uso de palavras suplementares, muitas vezes ajudado sentido sem parecer para inserir o que não foi encontrado no original. Também foi armazenado com notas marginais. Esta versão de toda a Bíblia foi impressa em Genebra pelo Rowland Hall, em 1560, de modo que não foi publicado até depois de muitos dos exilados tinham voltado para casa. Nesta tradução, que foi o primeiro completo Inglês Bíblia - dividido por versos, é de se observar que a tradução do Novo Testamento difere em vários aspectos, o que havia sido impressas separadamente em 1556. A despesa de o preparar a Bíblia de Genebra foi principalmente suportados pelos John Bodley, o pai de Sir Thomas, fundador da biblioteca nobre em Oxford. Sobre o retorno dos exilados, a rainha Elizabeth concedeu uma patente para Bodley exclusivamente, pelo prazo de sete anos, para imprimir esta edição; ainda, em razão da interferência do arcebispo Parker, nenhuma edição do genebrino Testamento, ou Bíblia foi publicado na Inglaterra até o ano de 1576. Imediatamente após a morte de Parker esta versão foi publicado; continuou a ser reimpresso freqüentemente neste país, e foi durante muitos anos a versão popular em Inglaterra, tendo sido apenas gradualmente deslocada pela tradução do Rei James, que apareceu 51 anos depois. A partir da leitura peculiar em Gênesis 3: 7Gênesis 3: 7 , as edições da versão de Genebra têm sido comumente conhecido pelo nome de "Cuecas Bíblias;" mas essa leitura, como já vimos, é tão antiga quanto o tempo de Wycliffe, e ocorre em sua tradução. Para algumas edições da Bíblia de Genebra é subjoined tradução de Beza do Novo Testamento, vertidos por L. Thomson. A seguir, são exemplares da Bíblia de Genebra -

Gênesis 41: 42-43Gênesis 41: 42-43 , e Mateus 13.19Mateus 13:19 : E Faraó tragada de seu anel da sua mão, e colocar vpon mão de Ioseph, e araied ele em traje de linho fino e colocou uma Cheine dourado sobre sua Necke. Então, ele colocou-vpon o melhor charet que ele tinha, sane um: & eles cryed antes hime Abrech, e colocou-o Oner toda a terra do Egito.

Whensoeur um homem ouve a Worde do kingdome e vnderstandeth não, o ENIL um vem, e arrebata o que foi sowen em seu coração: e este é ele que hathe receiued a sede à beira do caminho.

A próxima versão da Bíblia foi supervisionado pelo arcebispo PARKER, portanto, às vezes chamado de "Bíblia de Parker," e publicada em 1568. Esta versão foi executado com extremo cuidado por mais de quinze homens eruditos, as iniciais de cujos nomes ocorrer no final do porções executadas por eles. A partir da maior parte dos que estavam envolvidos na sua preparação, sendo bispos, esta versão também é chamado de "Bíblia dos Bispos." Esta edição é adornada com 143 gravuras, incluindo retratos e mapas, que lhe dão uma aparência bastante pictórica. As passagens da Vulgata, que tinha sido introduzida em Salmos de Cranmer, são omitidas nesta edição. Esta continuou a ser a versão autorizada para ser lido nas igrejas paroquiais para 43 anos; mas em uso privado nunca deslocado a versão de Genebra. Embora Bíblia dos Bispos foi a base confesso da nossa versão autorizada, este último foi executado em princípios completamente diferentes, e é muito diferente em seu caráter geral. Para esta Bíblia foi prefixado, entre outras coisas, a soma das Escrituras, mesas de genealogia, e um prefácio escrito por Parker. Em 1585, sob o Arcebispo Whitgift, os dezessete leituras da Vulgata Latina foram re-introduzida, de forma a harmonizar com os Salmos na Prayerbook. A edição de 1572 contém uma versão dupla de Salmos, que de Cranmer da ea dos bispos ". A edição de 1595 tem os Salmos de acordo com a Bíblia de Cranmer. O que se segue é um exemplar desta versão -

Malaquias 3:17Malaquias 3:17 : E Estes regulamentos ser para mim, diz o Lorde das hoastes, naquele dia em que vou fazer [iudgment], um flocke: e eu Wyl poupá-los como um homem poupa a Sonne owne que lhe serueth.

No ano de 1582 foi publicada a versão anglo-Rhemish do Novo Testamento. As circunstâncias que levaram à execução desta versão podem ser encontrados na história da expulsão do catolicismo da Inglaterra, no reinado de Elizabeth. As versões do Novo Testamento executada anteriormente, de que de Tyndale a Bíblia dos Bispos inclusive - o texto em Inglês de Coverdale Diglott do Novo Testamento exceção - tinha sido feita a partir do original em grego; mas os tradutores Rhemish tomou por base a Vulgata Latina. Um dos principais objetos que os tradutores Rhemish tinha em vista era, evidentemente, a circular suas notas doutrinárias e controversos, em conjunto com as Escrituras traduzidas por eles. Embora os tradutores desejar qualquer coisa, em vez de dar a renderização do texto simples e de forma justa, poucas passagens mostram uma perversão realmente desonesto; Ainda muito muitas passagens exibem um desejo de expressar o sentido obscura, ou pelo menos, de tal forma que um leitor comum pode não encontrar um pouco dificuldade na recolha a partir das palavras um significado definido. No entanto, se tomarmos a versão todo, veremos uma parcela muito grande bem traduzido, e verdadeiramente exibindo o sentido da Vulgata Latina, como eles tiveram. Embora o Concílio de Trento definiu a Vulgata Latina a ser a versão "autêntico", até agora, quando a versão Rhemish foi impressa, não houve decisão sobre o que foi cópia para ser considerado como tal. Os tradutores Rhemish, como se poderia supor, não concordo exatamente quer com o Sixtine publicado em 1590, ou a edição Clementine publicado em 1592. Às vezes, eles têm a leitura adoptado depois por aquele, às vezes o que se encontra no outro. Isso pode ser considerado uma questão de importância relativamente pequena, desde que utilizadas as melhores leituras que estavam ao seu alcance, na ausência de uma edição autêntica da Vulgata Latina. O que se segue é um exemplar desta versão -

Hebreus 11: 4Hebreus 11: 4 : Pela fé Abel ofereceu a maior hoste de Deus, então, Cain; pelo qual alcançou testimonie essa mentira foi iust, Deus dando testimonie aos seus guifts, e por ela, depois de morto, ainda fala.

A tradução Romish do Antigo Testamento foi publicado em Douay, em dois volumes, nos anos de 1609 e 1610. Os editores desta parte do speak versão dele como tendo sido executado muitos anos antes, mas que os pobres espólio do Inglês romanistas, em seu banimento, impedido a sua publicação. Eles dizem que a versão revisada de acordo com a edição Clementine da Vulgata, que, assim, ele pode estar totalmente de acordo com o "Latin autenticado." O que se segue é um exemplar desta versão -

Gênesis 49:10Gênesis 49:10 : O cetro não shal será tirado, Ivdas, e um OVT DVKE de sua coxa, até que ele doe vir que está a ser enviada, e ao mesmo shal seja a expectativa dos gentios.

Nas edições modernas da Bíblia Douay eo Rhemish Testamento, muitas mudanças foram introduzidas, alguns dos quais se aproximam para a versão autorizada, enquanto outros não são melhorias.

É maravilhoso como edições das Escrituras foram multiplicados após o tempo de Tyndale, não obstante a gravidade das perseguições ocasionais. Além de cerca de quatorze edições emitidas no tempo de vida de Tyndale, oito ou nove anos foram emitidos no ano de sua morte. Desde a morte de Tyndale para o fim do reinado de Maria, 1558, nada menos do que cinqüenta edições do Novo Testamento e vinte e seis anos de toda a Bíblia foram impressas, e 1558-1611, foram emitidos mais de cinqüenta edições do Novo Testamento . e cerca de cento e vinte da Bíblia, além de livros separados. Deste número, vinte e uma edições do Novo Testamento e sessenta e quatro da Bíblia eram da tradução de Genebra. Ainda assim, o trabalho de Tyndale forma substancialmente a base de cada revisão, não excetuando a tradução agora em uso comum.

III. História da Tradução Inglês agora em uso comum - A versão autorizada foi realizada sob o comando do Rei James I, em consequência de várias acusações de ter sido feito pelos puritanos à tradução dos bispos, no segundo dia da audiência da conferência realizada no palácio de Hampton Court, 16 de janeiro de 1603-4. O método proposto pelo rei para a realização da nova tradução foi, assim, que a versão deve ser feita por alguns dos homens mais instruídos em ambas as universidades; que, em seguida, deve ser revista por alguns dos bispos; que deveria, então, ser apresentado ao Conselho Privado; e, por último, ser ratificada pela autoridade real. Assim, cinqüenta e quatro homens, pré-eminentemente distinto para a piedade e de aprendizagem, foram nomeados para executar esta grande obra. No entanto, a lista de pessoas realmente empregadas na tradução contém apenas quarenta e sete nomes. Embora vários dos candidatos assim designados foram feitos bispos antes da obra foi concluída, no entanto, como nenhum deles era tão no momento da nomeação, afigura-se que o número necessário para compensar a deficiência pode ser encontrada no fato de de certos bispos tendo sido especialmente nomeado como tendo o trabalho de alguma maneira sob seu controle. Este ponto de vista não é improvável, quando é sabido que Bancroft, arcebispo de Canterbury, disse ter feito algumas alterações na versão; e Bilson, bispo de Winchester, foi um dos que deram o trabalho de sua revisão final. O que se segue é uma lista de nomes dos tradutores, com as peças atribuídas a cada empresa (ver Comentário do Clarke Genesis Pref para OT; MacClure, autores de Engl Bíblia, NY 1853...):

1. O Pentateuco; a história de Josué para o Primeiro Livro das Crônicas exclusivamente, estas dez pessoas em Westminster: Dr. ANDREWS, companheiro e mestre de Pembroke Hall, em Cambridge; então decano de Westminster; depois bispo de Westminster. Dr. No geral, membro do Trinity Coll .; mestre de Kath. Hall, em Cambridge; então reitor da St. Paul; depois bispo de Norwich. Dr. SARAVIA. Dr. Clarke, companheiro de Cristo Coll, em Cambridge.; pregador em Canterbury. Dr. LAIFIELD, companheiro de Trin. Coll, em Cambridge.; pároco de São Clemente Danes. (Ser especialista na arquitetura, seu julgamento foi muito invocado para o tecido do Tabernáculo e do Templo.) Dr. Leigh, arquidiácono de Middlesex; pároco de All-Hallows, Barking. Mestre BURGLEY. Mr. KING. Sr. Thompson. Mr. Bedwell, de Cambridge; vigário de Tottenham, perto de Londres.

2. Desde a primeira das Crônicas, com o Resto do Storj, eo Hagiographa, viz, Jó, Salmos, Provérbio, Cânticos, Eclesiastes;.. os seguintes oito pessoas em Cambridge: Master EDWARD animado. Mr. Richardson, companheiro de Emman. Coll., Depois D.) .; dominar antes de Peter-House Coll., em seguida, de Trin. Coll. Mr. Chaderton, depois DD; companheiro antes de Cristo Coll., então mestre de Emman. Coll. Mr. DILLINGHAM, companheiro de Cristo Coll .; beneficiado pelo - , em Bedfordshire, onde morreu, uma única e um homem rico. Mr. ANDREWS, depois DD, irmão do bispo de Winchester, e mestre de Jesus Coll. Mr. HARRISON, o rev. Vice-mestre da Trinity Coll. Mr. Spalding, companheiro de St. John Coll., Em Cambridge, e professor hebraico lá. Mr. BING, companheiro de Pedro-House Coll., Em Cambridge, e professor hebraico lá.

. 3 Os Quatro Grandes Profetas, com a lamentação, e os Doze Profetas Menores; essas sete pessoas em Oxford: DR. Harding, pres. de Magdalen Coll. Dr REYNOLDS, pres. de Corpus Christi Coll. Dr. HOLLAND, reitor da Exeter Coll., E professor do rei. Dr. Kilby, reitor do Lincoln Coll., E professor régio. Mestre SMITH, depois DD, e bp. de Gloucester. (Ele escreveu o prefácio da versão.) Mr. Brett, de uma boa família, beneficiado pelo Qainton, em Buckinghamshire. Mr. FAIRCLOWE.

. 4 A Prajyer de Manassés, e do Resto do Apocrypha; o seguinte sete em Cambridge: Dr. DUPORT, prebenda de Ely, e mestre de Jesus Coll. Dr. BRAINTHWAIT, primeiro mestre de Emmanuel Coll., Então mestre de Gonvil e Caius Coll. Dr. Radclyffe, um dos membros seniores do Trinity Coll. Mestre Ward, de Emman. Coll, depois DD.; mestre de Sidney Coll., e professor Margaret. Mr. Downs, companheiro de São João de Coll, e professor grego.. - Mr. Boyce, companheiro de St. John Coll., Prebenda de Ely, pároco de Boxworth, em Cambridgeshire. Mr. WARD, régio, depois DD, prebenda de Chichester, reitor do Bispo-Waltham, em Hampshire.

5. Os Fours Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Apocalipse; estes oito em Oxford Dr. RAVIS, reitor da Igreja de Cristo, depois da BP. de Londres. Dr. ABBOTT, mestre da Universidade Coll., Depois archbp. de Canterbury. Mr. Erdes. Sr. THOMSON. Mr. SAVILL. Dr. PERYN. Dr. corvos. Mr. HARMER.

6 . As Epístolas de São Paulo, ea Canonical Epístola .; estes sete em Westminster:. Dr. BAULOWE, de Trinity Coll, em Cambridge reitor de Chester, depois bispo de Lincoln. Dr. HUTCHENSON. Dr. Spencer. Mr. FENTON. Mr. encaixe. Sanderson. Mr. Dakins.

As instruções a seguir foram elaboradas para os seus processos:

1. "A Bíblia comum ler na igreja, comumente chamado de Bíblia dos Bispos, a ser seguido, e tão pouco alterado quanto o original vai permitir."

2. "Os nomes dos profetas e os escritores sagrados, com os outros nomes no texto, para ser mantido o mais próximo que pode ser, de acordo como são vulgarmente utilizados."

3. "As antigas palavras eclesiásticas ser mantidos, como a palavra igreja não deve ser traduzido congregação".

4. "Quando qualquer palavra tem diversas significações, que deve ser mantido o que tem sido mais utilizada pelos pais mais eminentes, sendo agradável ao decoro do lugar e a analogia da fé."

. 5 "A divisão dos capítulos de ser alterada ou não em:. doente, ou tão pouco como pode ser, se a necessidade assim o exigir"

6. "Não notas marginais em tudo para ser aposta, mas apenas para a explicação do hebraico ou palavras gregas, o que não pode, sem alguns rodeios, tão brevemente e fitly ser expressa no texto."

7. "Tais citações de lugares para ser marginalmente estabelecido como deve servir para as referências de ajuste de uma Escritura para outro."

. 8 "Todo homem particular de cada empresa a tomar o mesmo capítulo ou capítulos, e tendo traduzido ou alterado-los solidariamente por si mesmo, onde ele acha bom, todos se reunirem, para conferir o que eles fizeram, e concorda por sua vez o que subsistirá. "

. 9 "Como qualquer empresa tem despachado qualquer um livro nesta maniner, deve transmiti-lo para o resto, para ser considerado de forma grave e criteriosamente, pois a sua majestade é muito cuidadoso nesse ponto."

. 10 "Se alguma empresa, após a revisão do livro tão enviado, duvidar ou diferem em quaisquer lugares, para enviá-los da mesma palavra observar os lugares, e therewithal para enviar as suas razões, para que se não consentir, a diferença estar com. batia na assembleia geral, que é a de ser um dos principais pessoas de cada empresa, no final do trabalho. "

11. "Quando qualquer lugar da obscuridade especial é duvidado de, cartas a ser dirigido por autoridade, para enviar a qualquer aprendeu na terra para seu julgamento em um lugar assim."

12. "Cartas a ser enviados a partir de todos os bispos para o resto do seu clero, admoestando-os desta tradução na mão, e se mover e de carga, a todos quantos, ser hábil nas línguas, têm se esforçado nesse tipo, para enviar a sua observações específicas para a empresa, seja em Westminster, Cambridge, Oxford ou, de acordo em que se dirigia antes na carta do rei ao arcebispo. "

13. "Os diretores de cada empresa para ser os reitores de Westminster e Chester para Westminster, e professores do rei em hebraico e grego nas duas universidades."

14. "Essas traduções para ser usado quando eles concordam melhor com o texto de Bíblia dos Bispos, viz., Tyndale, Cubra dale, Mateus, Whitchurch de, em Genebra."

A estes foi adicionado a seguinte regra: 15. "Além dos referidos diretores antes mencionados, três ou quatro dos teólogos mais antigos e graves em uma das universidades, que não foram contratadas na tradução, a ser atribuído pelo vice-chanceler, mediante a conferência com o resto das cabeças, para ser supervisores da tradução, bem hebraico como o grego, para melhor observação da 4ª regra acima especificado. "

De acordo com essas normas, cada livro passaram pelo escrutínio de todos os tradutores sucessivamente. No primeiro caso, cada indivíduo traduzido cada livro que foi atribuído à sua divisão. Em segundo lugar, as leituras a serem adotados foram acordados por toda a empresa, que se reuniu, em que reunião cada tradutor deve ter sido exclusivamente ocupadas por sua própria versão. O livro, assim, terminou foi enviado a cada uma das outras empresas para ser novamente examinado; e nessas reuniões que provavelmente era, como Selden nos informa, que "um ler a tradução, o resto segurando em suas mãos alguns Bíblia, uma das línguas aprendidas, ou francês, espanhol, italiano, etc. Se eles encontraram qualquer falha, eles falaram, se não, ele leu sobre ". Desta forma, todas as precauções foram tomadas para garantir uma tradução fiel, como toda a Bíblia passou por pelo menos seis revisões diferentes pelos homens mais sábios do reino. A tradução foi iniciado na primavera de 1607, e ocupou cerca de três anos, e a revisão do que ocupava cerca de três quartos de um ano mais. Ele foi impresso em letra gótica, e publicado pela primeira vez em folio em 1611, com o título, "The Holy Bible Conteyning do Antigo Testamento, eo Novo: recentemente traduzido para fora dos Tongues originall: E com os antigos traduções diligentemente comparadas e reuised por seus Maiesties Comandement speciall. nomeado para ser lido nas igrejas. " As despesas com esta tradução não parece ter sido suportado pelo rei, nem por qualquer comissão do governo, mas, principalmente, se não totalmente, pelo Sr. Barker.

IV. Critical Estimativa da Versão Autorizada. - Ele tem sido muitas vezes afirmado que "Bíblia do Rei James está em nenhuma parte uma nova tradução feita diretamente dos originais, mas que é apenas uma revisão das versões anteriores inglesas, e em comparação com os vários traduções continental. " Essas observações não são estritamente correta. Os próprios tradutores nos dar uma visão correta da natureza do seu trabalho. Em sua dedicação ao rei James, observam, "Sua alteza, fora de profundidade sentença, apreendido como era adequado que, fora das línguas originais, juntamente com a comparação dos trabalhos, tanto em nossas próprias e outras línguas estrangeiras, de muitos homens dignos, que foram antes de nós, não deve haver mais uma tradução exata das Sagradas Escrituras para a língua Inglês. " Deve-se admitir, porém, que eles seguiram de perto a Septuaginta e Vulgata em suas emendas de traduções para o inglês anteriores para se adequar às originais. Como a versão do Rei James foi tão extravagante elogiado por alguns como tem sido indevidamente negada por outros, ela será bem calma e brevemente considerar o seu mérito, bem como os seus defeitos.

O mais proeminente, talvez, entre suas excelências é a sua pura e simples, estilo nervoso. Suas palavras são geralmente escolhidos a partir da antiga - e mais expressivo elemento Saxon. É esta característica, sem dúvida, que tanto encantou-lo para o coração popular, e que lhe dá um charme para o leitor mais jovem. Há algumas exceções notáveis ​​para esta observação, no entanto, para ele às vezes usa termos em latim quando Saxon estavam à mão, por exemplo, "cogitação" para o pensamento; "Iluminar" para esclarecida; "Matriz" de ventre; "Prognosticador" para foreteller; "Terrestre" para terrena; "Vocação" para chamar, etc. Na Oração do Senhor, em ambas as passagens ( Mateus 6:13Mateus 6:13 ; Lucas 11: 4Lucas 11: 4 ), nossos tradutores empregar "tentação" em vez de julgamento. Outra excelência marcada que geralmente tem sido atribuída ao Auth. Vers. é a sua precisão geral e fidelidade ao original. A este respeito, se compara a grande vantagem com a Septuaginta, que não só muitas vezes perde ou ignora toda a deriva de uma cláusula, mas às vezes interpolará palavras e versos inteiros de fontes apócrifos; e também com as versões antigas da Vulgata e outros, os quais, se não o fizerem, como os Targums, correr em paráfrase, ainda são muitas vezes levados a interpretações fantasiosas e errôneas.

Para este elogio, no entanto, não deve, em sinceridade e verdade, ser feita muito grandes desvantagens em muitas representações individuais da AV, e mesmo em classes inteiras de renderizações. Não foram só as ciências da filologia sagrado, e, especialmente, da geografia e da antiguidade bíblica, em muito crua um estado para permitir que os tradutores para fixar o significado exato de termos obscuros e duvidosos, com precisão, mas eles têm totalmente ignorado a dicção, estilo e arranjo das porções poéticas, especialmente as leis de paralelismo (qv), reduzindo a poesia para a prosa, e que transpõem as palavras as cláusulas forma arbitrária e sem referência ao original. Eles habitualmente negligência a importação de modos e tempos, especialmente no hebraico (constantemente tornando o praeter ou futuro, o presente ou passado indefinido, ou o inverso), e que estão constantemente a perder a verdadeira força de partículas e as agradáveis ​​nuances de significado na preposições, o artigo, e da construção sintática. Ocasionalmente, eles estão muito felizes em suas representações, mas não são raros os versos, especialmente na forjado mais highly- e declarações concisas da OT, que não está estragado ou obscurecida por alguma expressão fracas ou incorretas. Pode se dizer com segurança que metade da moderna comentários populares é retomado com a correção de erros e a solução de dificuldades, cuja tradução perto, idiomática, lúcido e criterioso ao mesmo tempo têm se dissipado. É verdade, poucos se alguns que tentaram sua mão em versões melhoradas conseguiram melhor; mas este tem sido geralmente ou porque eram pessoas incompetentes, ou em razão de algum objetivo dogmático que tinham em vista. Os estudiosos que têm sido de outra forma qualificada não ter-se suficientemente apreciado o elemento poético que permeia os escritos em hebraico, ou que tenham exagerado a tarefa de embelezar ao invés de seguir o texto.

Entre os defeitos mais óbvios da AV são suas frases obsoletos e indelicadas, sua arbitrária e muitas vezes absurdo, sempre confuso, subdivisão em capítulos e versículos, e seu modo impreciso e com defeito de pontuação. Estes são tão desagradável, que, mas para o anexo que longa e precoce é para a versão, que seria frequentemente deixado de lado por qualquer outra que evitou cometer estes erros. " A partir dessas causas sozinho Cantares de Salomão foi praticamente descartados de ambos leitura pública e privada, e muitas partes da Bíblia não pode ser aventurou com segurança em cima de uma empresa promíscuo. A dificuldade, é verdade; por vezes encontra-se na própria passagem, mas existem muito poucos exemplos em que tais fraseologia não pode ser adequadamente utilizadas como evitaria todos constrangimento. Se qualquer outro livro foram tão mal editado como Bíblias comuns, teria provocado animadversion literária grave. Mas o interesse inerente do volume, a beleza indelével de seus sentimentos, e a força irreprimível de seus ensinamentos romper cada disfarce, e chamar a atenção de todas as mentes e corações. Entre as falhas menores do Auth. Versão podem ser mencionadas as suas representações frequentes de uma mesma palavra ou frase no original por vários termos ou expresssions. Esta falta de uniformidade (que aqueles que usam este Cyclopaedia continuamente têm ocasião de observar) foi o resultado, provavelmente, pelo menos em parte, da realização da tradução, por várias partes. Em nomes próprios e termos técnicos, a identificação não raro se torna impossível para os leitores comuns. Outros infelicidades parecem ter sido, pelo menos em parte, o resultado de regras restritivas rei de James.

Não podemos concluir esta crítica, o que pode parecer cruel com aqueles que não têm minuciosamente investigado o assunto, sem expressar a esperança de que o dia não está muito distante, quando uma revisão completa em princípios liberais será feita da versão comum por um comitê de aprendida homens escolhidos de todas as denominações evangélicas; ou, o que seria talvez ainda mais satisfatório, uma nova tradução ser colocado diante sob os auspícios de uma tal autoridade, e depois à esquerda para garantir a sua aceitação para fins de críticas por seus méritos intrínsecos. No entanto excelente, não se poderia esperar que substituirá a versão amplamente divulgado e familiar para uso geral. (Veja VERSÕES ) (da Bíblia).

V. Padrão Inglês Bíblias. -

1. A edição original . - Isso, como dito acima, foi publicado no ano de 1611, a tradução tendo sido iniciada em 1604. A probabilidade é que a tradução foi concluída em 1608, o mais tardar, deixando o tempo desnecessariamente longo de três anos ocupadas na impressão; mas as razões para este atraso não são agora conhecidos.

O volume é um fólio imponente, cada página mede 14,25 polegadas por 8,875, exclusiva da margem. Duas colunas de texto estão em cada página, cada um com 59 linhas quando cheio, e duas colunas marginais. O texto é impresso a partir de um tipo extraordinariamente pesado e nobre Old-Inglês - "cartilha grande" em tamanho, reduzido pelo encolhimento do papel para quase "de duas linhas Brevier." As linhas de cabeçalho das páginas estão em uma grande carta Roman, três quartos de uma polegada de profundidade. Cada capítulo começa com uma inicial gravado, cerca de uma polegada quadrada; e cada livro com um ainda maior, muitas vezes, de 2,5 centímetros quadrados. Além disso, ornamentos gravados estão no início de cada livro e página de rosto consiste de uma fronteira gravado pesado, com uma muito pouco lugar para letter-press. O efeito desta exposição, no entanto, é um pouco reduzida quando aprendemos que nenhum desses enfeites foram expressamente previstos nesta Bíblia, mas que todos tinham aparecido em edições anteriores de outras traduções. Um ou dois dos grandes iniciais, de facto, foram gravados para uma edição de Ovídio. As peças geralmente impressa em itálico, como os títulos e palavras fornecidos, estão em Roman.

O volume contém, além do texto e Apocrypha (este último sendo impressa a partir do mesmo tipo que o resto do livro), o endereço para o Reader, um documento muito valioso, que, na maioria, infelizmente, é agora quase totalmente perdido de vista; Dedicação "para o mais alto e poderoso príncipe James", que é tão inútil quanto o outro é valioso, e, no entanto, é impresso em todos Inglês Bíblias para o dia de hoje; Genealogias de Velocidade, que cobrem 34 páginas, muito intrincados, profundas, engenhosos, e seca; e, aparentemente, um calendário, embora cópias contendo este último são muito raros. As páginas não são numeradas, mas as assinaturas, ou de impressor-guia letras, colocadas ao pé de determinadas páginas, execute-se na Apocrypha para ccccc, que é igual, contando por seis, para 1.368 páginas, e no Novo Testamento para Aa, que conta 300 mais. Este abrange apenas o texto.

A ortografia e pontuação são muito irregular, como em todos os livros da época. Os dois versos seguintes, tomadas ao acaso, será um exemplo suficiente -

Mateus 9: 1-2Mateus 9: 1-2 : E hee entred num barco, passou para ouer, e chegou à sua citie owne. 2 E eis que lhe trouxeram um homem Ficke do pal-fie, deitada em uma cama: e Iefus feeing sua fé, faid vnto o Ficke do palfie, Sonne, ser de boa cheere, teus finnes ser ti for-giuen .

Há também muitos erros tipográficos - mais, de fato, do que seriam suportados com em qualquer Bíblia impressa agora. O mais impressionante é em Êxodo 14:10Êxodo 14:10 , onde se lê assim, modernizando a ortografia:

10 E quando Faraó drear aproximava, os filhos de Israel levantar os olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e eles tiveram muito medo e os filhos de Israel levantar os olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e eles tiveram muito medo e os filhos de Israel clamaram ao Senhor.

Outros erros notáveis ​​estão em Levítico 13:56Levítico 13:56 , "a planície ser um pouco escuro", onde temos de ler ", a praga tiver escurecido;" Levítico 17:14Levítico 17:14 : "Não comereis o sangue." para "haveis de comer," Jeremias 22: 8Jeremias 22: 8 , "entregar o spoiler," em vez de "entregar o mimada;" Ezequiel 24: 7Ezequiel 24: 7 ", derramou-a no chão", pois "não em cima;" Oséias 6: 5Oséias 6: 5 , "mostrou-lhes", pois "cortou-os"; e muitos outros. Estes, no entanto, foram rapidamente corrigidas.

Não obstante o facto de comando notas marginais do rei não eram para ser afixada, alguns foram encontrados indispensável. Por exemplo, em Mateus 22: 2Mateus 22: 2 , temos a nota, "A penny Roman é a oitava parte de uma onça, que, depois de cinco xelins a onça, é de sete pence halfpenny." Outros desta classe são encontrados. Em outros lugares, os tradutores nem sequer evitar rotes críticos. Baruch 01:10Baruch 01:10 , no "preparai-vos maná", tem "Gr. corruptamente para mincha, isto é, a oferta de carne." Outros destas notas pode ser apontado; mas, como uma coisa geral, estes seriam tão bem omitido, como eles agora são geralmente. O número de referências marginais é muito pequena - apenas 8980, incluindo os apócrifos. Actualmente, os melhores Bíblias, sem os apócrifos, tem mais de setenta mil. Comprehensive Bíblia de Bagster afirma ter "quase meio milhão", o que, nós opinar, está incorreto.

Manuscrito dos tradutores foi perdida. De acordo com um folheto publicado em 1660, que era, há cinco anos, na posse de impressoras do rei. Ela já que não foi ouvido. O manuscrito de endereço os tradutores para o leitor é dito ser preservado na Biblioteca Bodleian, em Oxford. Cópias desta edição são agora bastante escassa. A perda mais comum, como acontece com os outros livros, é de título-páginas.

Muito cuidado é necessário identificar uma cópia imperfeita desta edição, por um segundo foi impresso em 1611, e outro em 1613, 1617, 1634 e 1640, a partir do mesmo tipo, e correndo para página principal. Cada edição apresenta erros tipográficos peculiares a ele mesmo. A única pista que temos aqui espaço para dar é que as duas edições de 1611 são os únicos em que as assinaturas reiniciam com o Novo Testamento, e o segundo desse ano tem os erros antes mencionados corrigidos. Muitos ruins, no entanto, são encontrados na mesma, não menos do que é a enumeração de "1 Coríntios" e "2 Coríntios" na lista dos ganchos do Antigo Testamento, em vez de Crônicas. Em 1833, uma reedição desta primeira edição, página por página, mas em carta Roman, foi feita na Universidade de Oxford, de modo exato como a seguir até mesmo os erros tipográficos mais óbvias, e mostrando a ortografia antiga por toda parte. Inglês Hexa-pla do Bagster também contém o texto do Novo Testamento impresso textualmente a partir desta edição; e onde o próprio livro é inatingível, estes são talvez os melhores substitutos para aqueles que, por qualquer motivo, exigem que ir atrás do Bíblias agora em uso.

Um exame minucioso do volume revela indiscutivelmente os fatos que nenhum membro das empresas originais de tradutores tomou conhecimento do volume, uma vez que passou pela imprensa, mas que a impressora foi dependia para garantir precisão; e que, não obstante o lapso de três, talvez quatro anos entre a conclusão da tradução e sua publicação, foi executado através da imprensa com grande pressa. Adicione a isso o fato de que a 1600-1670 a imprensa britânica estava em seu ponto mais baixo em melhoria, e ele vai ser imediatamente visto que as chances de obtenção de Bíblias correta no início, ou posteriormente, foram muito. pequeno. A partir da sua publicação, as edições foram muito rapidamente multiplicado. Cada nova parcialmente copiado e, em parte, corrigiu os erros de sua exemplar; mas cada um deles, de alguma forma, criou novos erros próprios, ser de igual modo perpetuado. Em 1638, por exemplo, uma Bíblia impressa Cambridge "ye" para "nós" em Atos 6: 3Atos 6: 3 , jogando assim o compromisso dos diáconos nas mãos dos leigos, em vez de os apóstolos; e este erro continuado até 1691. Foi insinuado que os Independentes fez esta mudança intencionalmente; D'israelense, de fato, vai tão longe a ponto de cobrar Field, impressora do rei, com o recebimento de um presente de R $ 1500 para fazê-lo; e só o fato de ser encontrado pela primeira vez em uma edição da Universidade de Cambridge refuta a afirmação. Muitos outros errata, curioso, lunático, absurdo, e chocante por turnos, pode ser levantada a partir de Bíblias do período, tais como, para alguns casos, "Peço a Deus que podem ser estabelecidas para seu cargo," 2 Timóteo 4:162 Timóteo 4: 16 , em 1613; "Tu cometerás adultério", em 1632; "Injustos herdarão o reino de Deus", 1 Coríntios 6: 91 Coríntios 6: 9 , em 1653. Em cada um desses casos "não" é omitido; mas muitas vezes as palavras são transpostas ou alterados, e o Quarto de 1613 deixa dois versos inteiramente fora. A primeira tentativa de corrigir esses erros parece ter sido feita por um Dr. Scattergood sobre 1680. A partir de um agrupamento de várias Bíblias antigas, chegamos à conclusão de que ele fez, mas pouco. A próxima edição notável foi a do arcebispo Tenison, 1701. Este era destinado a um padrão, mas infelizmente estava tão cheia de erros tipográficos que a denúncia foi deduzida das impressoras de Convocação.

2. Edição de Blayney. - Suficiente o cuidado de não ser ainda tomada, o rei George I, em 1724, determinou que as pessoas licenciadas para imprimir a Bíblia - para, na Inglaterra, por uma questão de segurar a precisão na medida do possível, o livro só pode ser impresso pelas universidades, impressoras do rei, e as pessoas por eles licenciados - deve empregar tais corretores da imprensa, e pagar-lhes os vencimentos como o arcebispo de Canterbury e bispo de Londres deve aprovar. Erros, no entanto, mais pertinácia penetrou, e no comprimento da Universidade de Oxford empregada Dr. Blayney de rever a Bíblia Inglês e corrigi-lo por toda parte. Seu trabalho foi publicado em 1769. Ele foi emitido em duas formas, folio e in-quarto, sendo os primeiros alegou ser o mais correto. Sua agrupamento foi feita através da comparação em toda a edição de 1611 (mas que não se pode agora ser conhecido, pois tem apenas recentemente interessada estabelecido que duas edições foram publicadas no mesmo ano), a de 1701, que já foi mencionada por sua incorreção, e duas cópias recentes de Cambridge. A partir destes materiais pouco promissor que ele alega ter reformado o texto "a um tal nível de pureza como, presume-se, não está a ser cumprido com em qualquer outra edição até então existente." Até que ponto isso é o caso será visto por e-by. Além disso, a pontuação foi revisto em todo "com vista a preservar o verdadeiro sentido;" na comparação com o hebraico e grego originais, muitas alterações foram feitas nas palavras impressas em itálico; "Consideráveis ​​alterações foram feitas nas" cabeças ou conteúdos prefixadas para os capítulos; "muitos nomes próprios foram traduzidos na margem, onde a narrativa contida uma alusão ao seu significado (isso deveria ter sido feito totalmente); a cronologia, que foi pela primeira vez adicionada em 1680, foi retificado, e as referências marginais foram comparados e corrigido por toda parte, além de ter 30.495 novos adicionados.

Dr. Blayney faz uma entrada acidental, o que tende a reduzir a confiança no livro, que duas provas foram lidos ", e, de modo geral, o terceiro da mesma forma," o que é bastante insuficiente para a edição padrão de qualquer trabalho, ou até mesmo uma edição normal da Bíblia. Quatro provas são o mínimo permitido em tal trabalho. Não é de admirar que depois cento e dezesseis erros tipográficos foram descobertos na mesma. O mais importante é em Apocalipse 18:22Apocalipse 18:22 , que no Quarto cópia lê:

22 E a voz de harpistas, de músicos, de flautistas e de trombeteiros, deve ser ouvido não mais em ti; e ao som de uma Milstone deve ser ouvido não mais em ti;

A referência a uma Bíblia correta vai mostrar que as seguintes palavras são omitidas: "em ti; e nenhum artífice de arte alguma ele ser, deve ser encontrada mais nenhuma." Mas, sem dizer nada de erros acidentais como este, não há ainda terra abundante para queixa contra o texto para incorreção. Em Josué 03:12Josué 03:12 , todas as edições anteriores tinha lido "Tomai doze homens;" ele aparece aqui, a confusão da gramática, "Take doze homens." Em Josué 11:19Josué 11:19 , "ao meu lugar," é alterada para "em meu lugar"; e, desde que exista uma diferença no sentido de, a alteração é incorrecta. Mas esses erros, embora totalmente fora de lugar em uma Bíblia standard, são venial, ao lado dos outros. Em Juízes 11: 7Juízes 11: 7 , todas as edições anteriores, e mais depois, leia "os anciãos de Gileade;" ele tem, "os filhos de Gileade." Em Salmos 24: 3Salmos 24: 3 , em vez de "e quem estará no seu lugar santo?" ele apresentou ", ou quem estará." Em Salmos 107: 16Salmos 107: 16 , ele, seguido apenas por edições copiados dele, lê "Pois quebrou as portas de bronze, e cortar os portões de ferro em pedaços," a verdadeira leitura serem "barras de ferro." Em Salmos 115: 3Salmos 115: 3 , ele é o primeiro a ler "tudo o que lhe apraz", o inserido "tem" de ser bastante supérfluo. Sua é a única edição que se reuniram com o qual diz, em Isaías 47: 9Isaías 47: 9 ". Mas essas duas coisas que virão em um momento" O mais importante é a mudança, ele introduziu em Mateus 16:16Mateus 16:16 , onde se lê: "Tu és o Cristo" em vez de "Tu és Cristo". Nesta edição, encontramos, pela primeira vez, em 2 Coríntios 12: 22 Coríntios 12: 2 ". acima", "Eu sabia que um homem em Cristo cerca de 14 anos atrás", em vez de Em 1 João 1: 41 João 1: 4 , a leitura "nossa alegria" por "sua alegria", embora muitas vezes se reuniu com agora, é só um erro primeira feita nesta edição. Na pontuação, também, Blayney fez, mas pouco melhor. Há poucos lugares onde, pela primeira vez mispointed um verso, mas ele tem perpetuado muitos erros. Em Deuteronômio 9: 3Deuteronômio 9: 3 , o original, e todos a seu tempo, são apontados substancialmente assim: "O Senhor teu Deus é aquele que passa adiante de ti como um fogo consumidor: ele deve destruí-los", etc .; mas o sentido é inteiramente mudado, colocando os dois pontos depois de "ti", e nenhum ponto no "fogo". Em Atos 27:18Atos 27:18 , os tradutores colocou a vírgula depois do "dia", mas ele perpetuou o erro de colocar-lo depois de '' Tempest ", cujo efeito é fazer com que os marinheiros suportar uma tempestade superior a vinte e quatro horas antes que eles aliviaram o navio. Em Hebreus 10:12Hebreus 10:12 , o sentido é inteiramente perdida colocando a vírgula depois de "pecados", em vez de em "para sempre", de acordo com os tradutores. Outros erros tipográficos permaneceu sem correção. Por exemplo, a leitura marginal de Jonah 4: 6Jonas 4 : 6 , é o "palmerist." No sentido 1 Timóteo 2: 9de 1 Timóteo 2: 9 ., Blayney lê "pudor" em vez de "shamefastness", uma palavra de um significado completamente diferente, e esse erro, infelizmente, tem sido continuado até aos nossos dias In ; o mesmo texto ele perpetuou a corrupção absurda "bordada" e em 1 Timóteo 4:161 Timóteo 4:16 ". doutrina", continua o erro cometido um século antes de "a tua doutrina" pois Ele está com defeito em um ponto crítico: a distinção entre "Senhor" e ". Senhor" A palavra parece ser uniformemente impresso "SENHOR" com ele, certamente, em todos os casos temos notado, incluindo muitos que o hebraico é Adonai. Por outro lado, Blayney fez algumas coisas boas. Ele mudou o "sith" obsoleto em "uma vez que" em dois lugares, embora ele deixou inalterada em dois outros: Ezequiel 35: 6Ezequiel 35: 6 , e o título com Romanos 5. Em alguns poucos casos em que "mo" haviam permanecido inalterada a sua tempo, ele mudou para "mais". Ele mudou "fet," tomado como um pretérito, em "buscada"; como um verbo apresentá-lo tinha sido alterado antes. Ele tentou, também, para mudar "glister", mas, como acontece com "sith", apenas parcialmente. Se ele tivesse realizado seu plano de traduzir nomes próprios signifcativas, ele teria conferido um grande benefício em seus leitores, mas aqui novamente ele parou no meio do caminho.

A edição in-quarto, a um aqui referido, é em três volumes, contendo, respectivamente, do Antigo Testamento, os livros apócrifos, eo Novo; Testamento. Ele não contém prefácio especial, ou menção de suas peculiaridades na página de rosto ou em outro lugar, mas é simplesmente datada "Oxford: Impresso por T. Wright e W. Gill, impressoras para a Universidade." Foi publicado em quatro guinéus.

A Universidade de Oxford pago Dr. Blayney R $ 5000 por seu trabalho na revisão da Bíblia. Concluíram por isso que eles tinham um padrão disponível, e incontinently adotaram. As outras prensas privilegiados seguido. Mas muito em breve seus erros, um a. um, veio a, luz; alguns foram corrigidos em um press, alguns em outro; tal como tinha sido o caso antes, passagens realmente corretas foram alteradas na ignorância, e o resultado de tudo isso foi que, em poucos anos não havia padrão novamente.

Em 1804, a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira foi formada, e começou a trabalhar no princípio de comprar as Bíblias mais baratos que podia, e confiar nas impressoras de precisão. A Revolução Americana tinha erguido uma nova nação de leitura da Bíblia; um esforço feito em seu primeiro Congresso para restringir a impressão do livro para casas licenciados foi interrompida pela Primeira Emenda à Constituição, e que o livro foi lançado nas mãos do comércio em geral, com qualquer coisa, mas um efeito benéfico sobre a sua integridade geral. Para coroar tudo, as impressoras Inglês tornou-se descuidado no abastecimento do mercado externo. Charles Knight fala-nos de uma Bíblia tão cheia de erros tipográficos que suas impressoras não se atrevem a publicá-lo na Inglaterra, e foi-lhe assegurado "tivemos que enviar toda a edição para a América!"

As edições de 1806 e 1813, embora adotada como normas pela Igreja Protestante Episcopal, eram apenas reproduções cuidadosas de Blayney sem mais cuidado editorial. 3. Revisão da Sociedade Bíblica Americana. - Esta sociedade foi formada em 1816, e passou a imprimir o seu próprio Bíblias, tornando-se responsável pela sua exactidão. Durante os primeiros 30 anos, parece ter seguido quase qualquer cópia respeitável que veio a mão, desconsiderando discrepâncias. Mas, em muitas edições que foram agora produzidos na Inglaterra e aqui, essas diferenças foram aumentando constantemente em número. Eram principalmente na pontuação, o uso de maiúsculas e itálico, e tais pontos de menor importância. Por fim, em 1847, estes tinham acumulado a tal ponto que os leitores prova-da Sociedade realmente não sabia o que a seguir. O assunto foi agora submetido à apreciação do Conselho de Gestores da Sociedade, e em fevereiro de 1848, eles resolveram ter um agrupamento completo da Bíblia Inglês feito, e nomeou Rev. JW McLane, DD, da (Nova Escola) Presbyterian Igreja de Williamsburg, NY, para prosseguir com ele. Assim, cópias recentes dos quatro casas britânicas "padrão" foram obtidos, cópia de um American Bible Society foi o quinto, e a edição de 1611, a sexta. Blayney foi ignorado. Estes foram cuidadosamente comparados ao longo; todas as variações, não importa o quão minutos, observou; e esta comparação forneceu o donde dados para preparar o texto de uma futura edição. O número de variações encontradas foi de cerca de vinte e quatro mil. Os apócrifos não fazia parte do trabalho.

As regras que regem a formação deste texto padrão eram simples. A leitura de uma maioria das cópias foi a seguir; quando os três cópias inglesa concordaram quanto ao uso do hífen, seu uso era para ser aceito. Em outros assuntos, onde cada cópia Wass inconsistente consigo mesma, um sistema foi acordado. Por exemplo, cada cópia tinha em um só lugar "uma auto-estrada", em outro "uma auto-estrada." Assim, também, todas as cópias tinham, por vezes, "um marido" e "um marido", "um buraco" e "um buraco", "um monte" e "um monte", "um martelo" e "um martelo", e assim por no. Aqui a regra gramatical rigorosa foi cumprida. A distinção entre "O" e "Oh," que tinha sido perdido de vista, foi levado para fora, quer na forma a ser utilizado, como o sentido da passagem necessária. Em letras maiúsculas as palavras "espírito" e "Escritura" foram encontrados muito irregular; o primeiro foi feito para ser a capital, quando se refere ao Espírito de Deus, e não em outro lugar; o segundo, quando se refere a todo o volume. Alguns grafias, agora obsoleta, foram reformadas, como "spunge", "sope", "cuckow", "emplastro", "rasor", "barro", "mitiga", e outros; e, o que era mais importante, alguns nomes de personagens do Antigo Testamento-dadas no Novo Testamento, e não escrito de acordo com o grego, foram alteradas para a ortografia-Velho Testamento comum. Assim, "Juda" foi alterado para "Judá", porque ele já foi escrito assim no Antigo Testamento; "Gedeon" para "Gideon", "Jefté" para "Jefté", "Sina", para "Sinai", "Canaã" para "Canaã", "Núcleo" para "Coré", e assim, com alguns - não todos - os outros . Nas palavras do texto foram feitas as seguintes alterações em relação as cópias modernas. Em Josué 19: 2Josué 19: 2 ", e Sheba" foi feito "ou Sheba." Em Ruth 3:15Ruth 3:15 ", continuou ela" foi alterado para "ele continuou." Em de Salomão Cantares de Salomão 2: 7Cantares de Salomão 2: 7 ", ele, por favor" foi feito " ' ela por favor. " Em Isaías 01:16Isaías 01:16 , "lavar você" foi alterada para "lavar-vos." Mas todas essas correções foram de acordo com a edição original, que havia sido derrogado cada caso de forma errada. Mais adiante, em Mateus 0:41Mateus 00:41 , "em julgamento" foi feita "no julgamento," porque o grego exigia, e muitas cópias Inglês início tinha, embora não a primeira. Também em de Salomão Cantares de Salomão 3: 5Cantares de Salomão 3: 5 ; Cantares de Salomão 8: 4Cantares de Salomão 8: 4 , a mesma alteração foi feita como em 3: 7; pois, embora a edição original aqui ler ", ele," a probabilidade, considerando todas as coisas, é que era, mas um erro de digitação em cada caso. Em processar o agrupamento, os títulos dos capítulos veio sob aviso prévio. Estes, muitas vezes diferem; mas, até onde eles concordaram com a edição de 1611, ou a de Blayney, eles eram freqüentemente falho. Alguns eram distintamente e positivamente falso, como aqueles para Daniel 8, Isaías 41, Zacarias 7; outros eram comentários sobre o texto, como os que Salmos 49, Daniel 11, e de toda a Canção de Salomão; outros foram incompreensivelmente desajeitado, como os poucos primeiro de Atos; alguns positivamente chocante, como "o Senhor recusa ir como ele havia prometido com o seu povo" (Êxodo 33); "Samuel enviado por Deus sob o pretexto de um sacrifício" (1 Samuel 16). Estas posições não tinha sido preparada pelo organismo dos originais quarenta e sete tradutores, mas por um deles e uma outra pessoa; eles nunca foram considerados como fazendo parte da versão; que tinham sido extensivamente alterada antes, tanto por Blayney e por muitas partes anônimos e, portanto, a comissão sob cujos cuidados o agrupamento estava acontecendo resolveu remodelar estes, quando necessário. Onde quer que "Cristo" ou "a Igreja" foi mencionado em nenhum Velho Testamento posição, "Messias" e "Zion", as palavras equivalentes utilizados no-Velho

Testamento texto, foram substituídos, a fim de evitar comentário. As referências marginais foram novamente retificado, muitos erros corrigidos, e seu número, sobre o todo, diminuiu. Muito poucas leituras marginais foram adicionados, principalmente explicativo dos nomes próprios. Para Mateus 23:24Mateus 23:24 , onde "a" agora é geralmente considerada como um erro de impressão a partir do primeiro para "fora", uma nota foi colocada ", ou esticar para fora"; e "Jesus", em Atos 7:45Atos 07:45 , a comissão de colocar a nota, "Isto é, Joshua", como os próprios tradutores tinha feito em Hebreus 4: 8Hebreus 4: 8 . (Veja-se, em todo o assunto, panfleto intitulado "Relatório sobre a História do Agrupamento recente da versão em Inglês da Bíblia", da Sociedade NY 1857.)

A norma assim preparado foi publicado em 1851. Embora emitidos de forma tranquila, ela foi recebida com aprovação geral. Durante seis anos ele permaneceu o padrão da Sociedade, e durante esse tempo não um sussurro de desaprovação foi ouvida. Mas em 1857 um clérigo protestante Episcopal de Baltimore publicou um folheto destinado a este trabalho, em que, ao mesmo tempo evitando cuidadosamente encargos específicos, o espírito mais grave foi exibido. A Sociedade foi acusado de uma tentativa de "substituir a versão consagrada pelo tempo em sua integridade"; ele estava fazendo uma "aventura no meio do caminho" em direção a uma nova tradução; foi "rebaixar o padrão"; sua Bíblia era "uma obra vulgarizada", e assim por diante. A comissão tinha encontrado vinte e quatro mil variações na Bíblias de uso comum; sua língua foi convertido em um comunicado que eles tinham feito vinte e quatro mil alterações. O órgão da mesma igreja New- York, em uma vez se juntou no ataque, mas a quantidade de sua acusação era de que a norma foi diferente de qualquer cópia agrupada. Na Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana da velha escola no mesmo ano, o mesmo assunto foi trazido por um alto-falante que o padrão estigmatizado como sendo "consertou-se" por "uma impressora anônimo e um pregador Novo- escola!" Perguntando: "Por que descartar estas rubricas que foram concordou em 200 anos?" ele esqueceu que não tinham sido tão tolerado, e que a razão abundante tinha sido mostrado para "descartar" deles. Em julho de 1857, o (Presbiteriana) Princeton Review teve um artigo mais amarga sobre o mesmo assunto. - A única tentativa de atender as dificuldades do caso foi a declaração (página 510), que a sociedade deve "dar-se inteiramente toda a idéia de a produção de um texto padrão ", ou outro devem" tomar as edições padrão e agrupar-los. " Mas, se este último curso foi seguido, como tinha sido ", a Sociedade não teria direito de exercer seu próprio critério na seleção das leituras ou a pontuação seria adotar". Em conformidade com estas e outras demandas de órgãos auxiliares, o Conselho de Gestores, em fevereiro de 1858, revogou esta norma. Sua edição in-quarto imperial presente é agora o guia do seu impressora. Com esta ação pereceu a esperança de ter para o presente um padrão de tradução do Rei James geralmente aceita. Não se pode agora ser levantou-se na Inglaterra por qualquer uma igreja, porque a dissidência em muitos ramos é tão extensa; nem pela cooperação, porque eles não têm sindicato; nem pela sua Sociedade Bíblica, porque não imprime seus próprios livros. Neste país, a Sociedade Bíblica Americana é o único órgão que tem autoridade geral. É de lamentar que esta sociedade não sentiu-se autorizado pela sua constituição para reter e processar o trabalho necessário. (Veja Bible Societies ), 3, 12.

VI. Readings marginal. - Estes são geralmente preterido por leitores da Bíblia, mas um estudante cuidadoso vai encontrá-los de valor inestimável para apurar o significado preciso de qualquer texto. Eles são de dois tipos: o primeiro, comumente marcado por uma cruz ( † ), dando a tradução literal de uma expressão peculiar nos originais onde não poderia ser processado em um bom Inglês, também a tradução de nomes próprios significativos; eo outro, marcado por uma paralela (II), o que representa uma possível rendição diferente onde o original está em dúvida por qualquer causa. Eles se distinguem por ser precedido de "Isto é," nas traduções dos nomes, ou "Heb,". "Entre-Chald", ou "Gr", de acordo com o idioma original, na primeira classe..; e "Ou," na segunda classe. Em muitas Bíblias modernas eles são referidos por números consecutivos ou letras gregas; mas o sistema aqui descrito é o utilizado pelos tradutores originais e pela American Bible Society. Os tradutores considerado essas leituras como parte integrante do seu trabalho; e aos ministros atuais, de a Igreja da Inglaterra ler e usar tanto a prestação marginal ou que no texto a seu bel prazer. Eles foram usados ​​pela primeira vez pelos tradutores da versão de Genebra da Bíblia meio século antes de nossa era feita.

Desde a publicação da nossa tradução no ano de 1611, as leituras marginais tem em vários momentos foi ampliado e melhorado. Existem hoje cerca de trezentos deles mais do que o número original, e alguns foram omitidos. Dos outros, muitos têm sido prorrogado por adicionar os palavrões necessárias. Alguns erros palpáveis ​​foram corrigidos, como na nota de 1 Samuel 5: 41 Samuel 5: 4 ". a parte suspeito", onde o coto do ídolo-peixe Dagon foi ridiculamente descrito como "a parte suja", agora corretamente impresso Em outros casos, uma nota foi dividido em dois, um de cada classe. Num exemplo, um erro de dactilografia estranho foi introduzido numa nota e perpetua; Cabaça de Jonas ( Jonah 4: 6Jonas 4: 6 ) está na primeira edição descrito como um "-crist Palme", ​​ou christi palma (a mamona), na margem; mas a palavra foi corrompida em "palmerist," para que nenhum significado pode ser anexado.

Não há nenhum vestígio de qualquer pessoa ou entidade autorizada a fazer essas alterações, e, exceto na correção de erros tipográficos palpáveis, como acima observado, parece que não mais deveriam ser rixas do que deveria essas outras leituras que formam o corpo de o texto. Ambos vieram originalmente a partir dos mesmos tradutores, e ambos tinham a intenção de ser de igual autoridade. Este fato de uma só vez os coloca acima do grau do mero comentário, e torna o seu estudo mais importante. Ruth 1:20Ruth 1:20 , por exemplo, é quase sem sentido como comumente impresso; mas quando oposto

' "Naomi" lemos ", isto é, Pleasant," e em frente "Mara", "isto é, Bitter", vemos imediatamente a beleza na passagem do que de outra forma poderíamos formar uma idéia. Assim, também, com a força de expressão. Ruth 1:13Ruth 01:13 do mesmo capítulo é feita muito mais forte quando, em vez de "aflige-me muito por amor de vós", lemos: "Eu tenho muita amargura por amor de vós." Jó 16: 3Jó 16 : 3 , é maravilhosamente forte se adotar o idioma hebraico - não importa se o Inglês não é tão boa - e, em vez de "palavras vãs," ler "palavras de vento." Por isso, quando, em Job 5: 7Jó 5: 7 , lemos "filhos da queima de carvão" em vez de "faíscas", que ao mesmo tempo ver, mais do que por qualquer comentário já escritos, o caráter metafórico do Antigo Testamento-poesia, e desde então pode ler os livros poéticos com vastamente-aumento da apreciação.

. VII capítulo e versículo. - Entre os judeus, com os quais as únicas divisões da Escritura foi em livros, de acordo com o autor, as referências foram feitas citando o assunto tratado de perto de onde a passagem citada era para ser encontrado. Desta forma, Jesus referiu os saduceus ao que chamamos de Êxodo 3: 6Êxodo 3: 6 , como vemos por Mark 00:26Mark 00:26 . O significado aqui não é que Deus falou a Moisés na sarça, o texto diz que ele falou com ele fora de ele; mas sim, "Não tendes lido no livro de Moisés, na sarça, como Deus lhe falou?" isto é, "na medida em que parte do Livro de Moisés, chamado The Bush." "Eu posso observar", diz o arcebispo Trench ", que Romanos 11: 2Romanos 11: 2 , é uma citação do mesmo tipo Ele nunca pode dizer. ' de Elias ", como na nossa versão, mas sim ' [na história da] Elias ', em que parte das Escrituras que fala dele ". O Alcorão é citado por este meio agora. Seus capítulos são chamados de seus súditos por nomes como "A Vaca", "Thunder", "Smoke", "A Lua", "Divórcio", "The Spider", "A Ressurreição", "caluniador", e assim por no.

A divisão em capítulos foi feita por um cardeal, Hugo de Sancto Caro, sobre o ano de 1250. Ele foi contratado em compilar uma Concordância Latina, o primeiro dos quais não temos qualquer conta, e inventou essa divisão para facilitar seu trabalho. O Livro dos Salmos é naturalmente dividido. Paulo cita "Salmo segundo" e "outro Salmo" em Atos 13:33Atos 13:33 ; Atos 13:35Atos 13:35 . Os capítulos ter sido marcado, maior precisão foi obtido colocando maiúscula A, B, C, e assim por diante, a distâncias regulares deslocamento na margem, de modo a que qualquer passagem perto do início de um capítulo seria citado; como, por exemplo, "John, 10, A;" na parte inferior, "Jeremiah, 14, D", e assim por diante. As primeiras versões inglesas todos mostrou esse arranjo, e de Marbeck Concordância, o primeiro em Inglês, faz suas referências dessa maneira. Estas divisões menores por cartas eram inconvenientes, porque não foram feitas por qualquer sistema, e em diferentes traduções foram de diferentes comprimentos. Eles geralmente abraçado cerca de seis ou sete versos sob uma letra. As divisões em capítulos não foram uniformes; pelo menos eles não são tão em nossas traduções em inglês iniciais. Wycliffe, por exemplo, divide Jude em dois capítulos; Coverdale e faz trinta capítulos em 1 Crônicas dividindo o quarto capítulo em duas. Muito frequentemente no Pentateuco e Job, e, ocasionalmente, em outros lugares, existe uma diferença de 1-4 versos no início de um capítulo. Quando este for o caso, também, a nossa versão, muitas vezes faz com que a divisão no pior lugar.

As divisões em versos foram feitos por várias pessoas. Sobre 1430 Rabino Mordecai Nathan dividiu a Bíblia hebraica, assim, usando capítulos do Cardeal Hugo. Em 1527, uma Bíblia Latina foi publicado em Lyon em que essa divisão do Antigo Testamento foi seguido, e o Novo Testamento também dividido, mas em versos em média o dobro do tempo como o nosso. Mas o nosso arranjo presente nesta parte das Escrituras foi feita por volta de 1550, por Robert Stephens, uma impressora de Paris, que executou o trabalho, ao fazer uma viagem a cavalo de Lyon para Paris. Isso foi feito apenas como uma propaganda para uma edição do Testamento ele logo depois de publicado em grego, com duas versões latinas. As circunstâncias em que o trabalho foi feito efetivamente impediu o exercício de qualquer assistência escolar ou críticas ou habilidade. Mas, embora o Antigo Testamento foi dividida em primeiro lugar, nenhuma edição do mesmo em hebraico foi impresso, assim, até 1661. O primeiro Inglês Escrituras impressas com versos foi o Testamento impressos em Genebra, de 1557, e em 1560 a Bíblia inteira no mesmo lugar. Bíblia dos Bispos, no próximo fim, publicado em 1568, tinha-los, mas também tinha as cartas de guia marginais, como nas traduções anteriores, e em suas referências marginais que usa as letras em vez dos versos. Na próxima tradução protestante, o Rei James, ou "nosso presente, as letras são completamente omitido. Ele parece nunca ter sido considerado que a divisão em versos capítulos substituído; mas realmente uma referência ao Luke 243 seria muito mais curto do que para Lucas 0:13Lucas 12:13 . Os Salmos são, pela sua estrutura, naturalmente dividido em versos. Mas, ainda assim nossas traduções não são uniformes neste, mesmo aqui. Salmos 42, por exemplo, é na Bíblia de Coverdale fez um parágrafo; Mateus, doze versos; Cranmer de, quinze, Genebra e bispos ', onze; ea Douay, doze. Na Bíblia de Cranmer cada uma das seções alfabéticas de Salmos 119 é numerada de forma independente, 1-8.

De tudo isto, parece que estas divisões não têm autorização divina que seja, foram feitas sem cuidado, e deve ser desconsiderada em buscar o sentido de qualquer parte da Escritura. Daí segue-se que as melhores Bíblias de uso comum são aqueles chamados Parágrafo Bíblias, no qual o. a matéria é reduzida a forma de prosa comum, exceto nos livros poéticos, que são impressas em linhas curtas, de modo a mostrar a sua estrutura poética. Infelizmente, mas poucas edições são assim publicado. O religioso Tract Society of London questão alguns; um em 12mo, cerca de trinta anos atrás, foi o melhor. Aquele que eles saíram recentemente, em 8vo real, com notas e mapas, tem todas as passagens paralelas, e, apesar de muito útil, é tão sobrecarregada com marcas de referência no texto como para distrair a atenção do leitor constantemente. Rev. TW Colt publicou uma muito boa em Cambridge, Mass., 1834. Antes disso, outros tinham sido saiu em Oxford, principalmente censurável como não mostrando a forma poética de algumas partes. Uma das Bíblias Parágrafo mais útil para o aluno Inglês é a de Bishop Wilson, Bath, 1785, 3 vols. 4to; mas trabalha sob a desvantagem apenas falado.


Afinal de contas, a melhor maneira de fazer referências teria sido por um sistema como os "fólios" dos advogados. Coloque uma marca especial a cada palavra centésimo, e um número correspondente na margem, e você tem não só um meio fácil de referência, mas um guarda contra mudanças no texto, e estão ainda em plena liberdade para imprimir o assunto seja como prosa ou poesia, sem distrair o olho ou quebrar o sentido em menor grau. É, porém, tarde demais para fazer isso com a nossa versão atual. Como a próxima melhor coisa, mais Bíblias parágrafo deve ser impresso, em todos os aspectos, como outros livros, a não ser que o início de cada verso pode ser mostrado por uma pequena marca no corpo da linha, e seu número na margem oposta. - Christian Advocate (NY). (Veja BÍBLIA ).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.