sexta-feira, 20 de março de 2015

HISTORIA DA IGREJA DA RUSSIA



HISTÓRIA DO CRISTIANISMO RUSSO: A PARTIR DO PUBLISHER


tdução ao Millennium do cristianismo russo.
BEM VINDO AO NOSSO PROBLEMA comemora o ". Cristianização da Rus '" Esta é uma ocasião histórica grande, e nós abrimos a questão com uma grande pintura do evento que está sendo comemorado: Prince Vladimir de supervisionar o batismo em massa, c. 988, do povo de Kiev, a capital do reino de Vladimir da Rus '. Esta é a história da pintura.
Encomendado pelo ucraniano Católica Sínodo dos Bispos, o original desta pintura mede 12 metros de comprimento e 6 metros de altura e trava na sede da Arquidiocese de Filadélfia Igreja Católica ucraniana.
No centro da pintura, está a cruz do Senhor coberto com um pano branco. À esquerda da cruz é o foco principal da pintura, Grand Prince Vladimir (ou Volodymyr), régua das regiões que hoje são conhecidos como a Ucrânia. À sua direita está sua nova esposa, a princesa Ana, a irmã dos bizantinos co-imperadores Basílio II e Constantino, e à esquerda do casal real aparecem seus vários filhos e professora dos filhos.
A mão direita de Vladimir é no ombro de seu filho, Yaroslav, que, quando ele ascendeu ao trono, continuou promovendo a fé cristã em Rus 'e veio a ser conhecido como Yaroslav ", o Sábio." Em suas mãos ele segura um pergaminho contendo As palavras de Jesus a partir de Matt. 28:19: "Ide, pois, ensinai todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. . . "O pergaminho foi destinado para simbolizar entrega de Vladimir a nova fé sobre as gerações seguintes de governantes de Kiev.
À direita da princesa está um grupo de donzelas do país, com cavaleiros e outros moradores preencher o restante da cena. A diversidade de trajes são um retrato fiel dos estilos de roupas usadas pelos povos de Kiev em que dia.
Imediatamente à frente da cruz são o bispo eo clero envolvidos na realização do batismo, enquanto que no lado esquerdo da pintura aparece o drama da derrubada do ídolo pagão, Perun. Infantaria e cavalaria estar por manter a ordem.
No fundo é a cidade de Kiev, com um grande grupo de pessoas que saem para ser batizado. Nas nuvens sobre a cidade não parece Santo André Apóstolo, padroeiro da Ucrânia. O arco-íris significa um fim de anos turbulentos do reino.
A cruz ornamentada na mão esquerda de Vladimir representa não apenas a fé cristã, mas a riqueza espiritual da fé que moldou a cultura das nações ucranianos e russos durante os séculos vindouros. Em primeiro plano aparece um grupo de pessoas que recebem o batismo. O escudo realizada pelo jovem rapaz que está na frente do príncipe tem o símbolo do tridente, o brasão de armas da realeza que foi adotado mais tarde como um símbolo do estado de Kiev. Esta versão do tridente foi feita pelo pintor de moedas cunhadas durante o reinado de Vladimir. Aliás, o homem na água logo abaixo do escudo é, na verdade, um auto-retrato do pintor, o falecido Peter Andrusiw.
Há muita coisa que precisa aprender sobre o cristianismo "por trás da Cortina de Ferro." Esperamos que esta edição ajuda a recolher as suas riquezas.

 

HISTÓRIA DO CRISTIANISMO RUSSO: VOCÊ SABIA?

os fascinantes sobre o cristianismo russo.
Esse  príncipe Vladimir, o governante eslava creditado com a cristianização da Rus '(não a Rússia), supostamente ordenou que todos os habitantes de Kiev, sua capital, para aparecer no rio para o batismo em um determinado dia, em 988 ou eles seriam considerados inimigos do reino?
Essa  uma das razões Vladimir supostamente decidiu aceitar o cristianismo era porque, depois de defesas de vários grandes religiões auditiva, ele foi curado de uma doença nos olhos depois de sua avó Olga orou ao seu Deus, o Deus dos ortodoxos?
Que  outra razão alegada para a conversão de Vladimir foi o relatório dos seus emissários que quando eles viram a grandeza dos serviços Ortodoxas Orientais em Constantinopla, eles eram tão impressionada que "Nós não sabíamos se estávamos no céu ou na terra, porque na terra não existe nenhum tal esplendor e tanta beleza! "?
Isso  crentes da parte ucraniana da União Soviética durante séculos abraçaram Santo André Apóstolo como seu santo padroeiro, citando várias fontes antigas que dizem que ele, a "primeira chamada" apóstolo, o trabalho missionário realizado em sua terra natal c.50 -60 AD?
Isso  apesar dos acontecimentos do milênio realizados principalmente em Moscou, em 1988, o batismo que o milênio comemora realmente ocorreu na região que é hoje conhecido como a Ucrânia, na antiga cidade de Kiev (centenas de quilômetros de Moscou, que nem sequer existia em 988 )?
Que  a Igreja Católica Ucraniana, que reivindica linhagem direta com o 988 o batismo, é hoje proibida na República Socialista Soviética da Ucrânia, e seus quatro milhões de adeptos ou estão adorando "underground" na Ucrânia ou espalharam por todo o mundo, principalmente para os EUA e Canadá?
Que  a Constituição da União Soviética diz que seus cidadãos são "garantidos. . . o direito de professar. . . qualquer religião, e para conduzir o culto religioso "?
Que , enquanto as estatísticas da União Soviética são muito questionáveis, parece certo que hoje há cerca de 50 milhões de cidadãos soviéticos são membros da Igreja Ortodoxa Russa, cerca de 10 milhões são membros da Igreja Católica Romana, e pelo menos outros 12 milhões são membros da as Igrejas Ortodoxa da Geórgia e Armênia, e de várias igrejas protestantes?
Essa  adição à 72 milhões acima dos muçulmanos, judeus, e outros, pelo menos, 40 por cento dos soviéticos manter uma identidade religiosa, enquanto que apenas 19 milhões são membros do Partido Comunista?
Que  tão recentemente como o final dos anos 1950 e início dos anos 60, durante a política de Nikita Kruschev de "desestalinização", de 7.000 a 10.000 russo Igrejas Ortodoxas-cerca de metade dos então foram abertos fechado e dissolvido por ação do governo?
Que  em algumas repúblicas da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, os crentes podem, com pouca resistência, evangelizar, levar a cabo a instrução religiosa, e publicar literatura religiosa?
Isso  clérigos da Igreja Ortodoxa Russa pôs os pés sobre o que é hoje conhecido como o Estado do Alasca, em 1794, e estabeleceu igrejas ortodoxas todo o caminho para San Francisco, Calif., antes de Alaska foi mesmo comprado da Rússia pelo governo dos Estados Unidos?

 

A FONTE PRIMÁRIA DA MILLENNIUM LEGENDS / EVENTOS HISTÓRICOS

onhecidamente um bom bocado de lenda, eles ainda são a melhor história que temos.
Estes trechos a partir do que é conhecido pelo eslavos orientais como o  Chronicle Primária , escrito cerca de 900 anos atrás, contêm em prosa dramática os principais contas sobre as quais as celebrações milenares são baseadas: a do apóstolo André visitar a Ucrânia; que do batismo de Olga; e que do grande batismo de Kiev.
Ele está sendo chamado, variadamente (dependendo em cima de suas tendências), "The Millennium do cristianismo na Ucrânia", "The Millennium do cristianismo na Rússia", "The Millennium do cristianismo na URSS", "O Milênio da Igreja Ortodoxa Russa, "" O Milênio da Igreja Ortodoxa Ucraniana ", e vários outros.
No entanto, independentemente de seus vieses muito diferentes, todos os grupos que participam das milhares de atividades comemorativas estão unidos em referência a um documento como uma fonte para o que os eventos estão sendo comemorado:  The Chronicle primário (Laurentian texto) , ou  Tales dos anos pesados ​​- uma compilação que apareceu provavelmente pela primeira vez na sua extensão atual em 1116, sob o nome de uma Sylvester, mas que é amplamente aceito como sendo escrito principalmente por um Ortodoxa Ucraniana monge chamado Nestor, e acrescentou mais tarde por Sylvester e outros.
Em suas quase 200 páginas, este extenso compêndio inclui histórias do eslavos orientais história que data desde os dias de Noé e até o século 12, que trata amplamente com toda a história da Rus 'de Kiev, mas, sendo de autoria de um monge, com especial destaque para "história da salvação". eslavos Oriental "
Em relação ao milênio, os celebrantes se referem mais frequentemente a três dos  Chronicle  contas: a do apóstolo André visitando o futuro local de Kiev e de outras partes da URSS moderna; a do batismo da Princesa Olga, uma rainha da Rus 'de Kiev e avó de Grand Prince Vladimir; e que de Vladimir ordenar o cristianismo como religião oficial do seu reino e que ordena a todos os cidadãos para ser batizado. Em extratos das tradução 1953 chamado  O Primary Chronicle russo , editado e traduzido por Samuel Hazzard Cruz e Olgerd P. Sherbowitz-Wetzor (Medieval Academy of America:. Cambridge, Mass), essas contas são apresentadas a seguir, intercaladas com as notas do editor de explicação e comentários.
Mas, primeiro, uma nota sobre a precisão: Enquanto os historiadores de uma ampla gama de perspectivas questionar a precisão dos detalhes dessas contas, mesmo os historiadores mais céticos parecem concordar que o  Chronicle  geralmente é preciso em suas contas dos acontecimentos gerais. No caso das duas últimas contas, sua precisão geral tem sido muito corroborada por outras fontes confiáveis. Como para a primeira conta, um caso convincente pode ser feito (ver A União Soviética comemora 1000 anos de cristianismo) que provavelmente contém, pelo menos, um germe de precisão, embora a evidência para isso é claramente especulativo.
No entanto, não é especulativo que, há pelo menos 800 anos, o  Chronicle tem sido uma coleção muito amado de "histórias dos povos", um legado de história e lenda que foi passado com orgulho de uma geração de eslavos orientais para o próximo, até mesmo para o dia de hoje.

ANDRÉ APÓSTOLO VISITAS RUS'-UCRÂNIA, C. 50-60

Datado de, pelo menos, o século 4, a tradição tem sido forte e generalizada entre os crentes eslavos orientais que André Apóstolo de Cristo, durante suas viagens missionárias para as colônias gregas do Mar Negro, visitou os territórios que foram mais tarde se tornaria a Ucrânia e Rússia -e possivelmente deixou alguns novos convertidos ao cristianismo por trás. Se historicamente verificável ou não, aqui é definitivamente uma das fontes "primárias" da celebração milenar.
O Dnieper [rio] flui através de várias bocas para o Mar Pontus, que é chamado o russo [hoje o Black] Mar, e foi esse mar ao lado do qual ensinou St. Andrew, irmão de Pedro.
Quando Andrew estava ensinando em Sinope e veio a Kherson [uma cidade antiga no lado norte do Mar Negro em frente Constantinopla], ele observou que a boca do Dnieper estava nas proximidades. Concebendo o desejo de ir para Roma, ele, assim, viajou para a foz do rio Dnieper.
Daí ele subiu o rio, e por acaso ele parou embaixo das colinas sobre a costa.Ao se levantar de manhã, ele observou que os discípulos que estavam com ele, "Vedes estas colinas? Assim será o favor de Deus brilhar sobre eles que neste local uma grande cidade se levantará, e Deus lhes erguer muitas igrejas aí. "Ele se aproximava das colinas, e tendo os abençoou, ele montou uma cruz. Depois de oferecer sua oração a Deus, ele desceu do monte em que Kiev foi posteriormente construída, e continuou sua viagem até o Dnieper.
Ele, então, atingiu os eslavos no ponto onde Novgorod [uma antiga cidade ao nordeste de Kiev] agora está situado. Ele viu essas pessoas existente de acordo com seus costumes, e em observar como eles se banhado e esfregou-se, perguntou-se a eles. Ele foi lá entre os Varangians [a principal tribo eslava na região] e veio para Roma, onde ele contou o que tinha aprendido e observado. "Maravilhoso de se relacionar", disse ele, "eu vi a terra dos eslavos, e enquanto eu estava entre eles, notei suas saunas de madeira [ou spas ou saunas]. Eles aquecê-los ao calor extremo, em seguida, se despir, e depois de si unção com um líquido ácido, eles levam ramos jovens e atacar seus corpos.
"Eles realmente chicotear-se tão violentamente que mal escapar vivo. Em seguida, eles se banhar com água fria, e, portanto, são revividos. Eles acham que nada de fazer isso todos os dias, e embora atormentado por ninguém, eles realmente provocado tal tortura voluntária sobre si mesmos. Na verdade, eles fazem de não o ato um mero lavar mas um verdadeiro tormento. "Quando seus ouvintes soube disso, se admiravam. Mas Andrew, após a sua estadia em Roma, voltou a Sinope.
Esta última história, sobre a observação de Andrew das Novgorodians, é a parte mais altamente questionado da narrativa. Estudiosos sugerem que ele foi adicionado na  Chronicle  algum tempo depois de Nestor, provavelmente por um de Kiev que, herdar o legado de uma uma rivalidade secular entre as cidades de Kiev e Novgorod, queria confirmar que os Novgorodians eram tolos, tanto para trás como o primeiro século.

O BATISMO DE OLGA, C. 955

Princesa Olga (ou Ol'ha) é a primeira mulher a ter sido registrado na história da Ucrânia como tendo se tornado um cristão abertamente, embora é muito improvável que ela foi a primeira mulher cristã ucraniana. Mas porque ela era uma princesa, ela foi a primeira mulher ucraniana ter sido  registrado  como um cristão.
Ela era a esposa do príncipe Ihor (r. 913-945), um escandinavo, que foi um dos primeiros grandes príncipes do império de Kiev-Rus '. Além disso, ela era a avó do príncipe Vladimir quem ordenou o batismo nacional.
O Chronicle  afirma que ela era inteligente e régio mesmo antes de se tornar um cristão, mas que ela inicialmente usou sua inteligência e porte real para exigir vingança cruel e inesperada em cima de seus inimigos.Quando ela aprendeu sobre o cristianismo é desconhecido; é quase certo havia vários crentes na comitiva do marido, e ela poderia ter aprendido isso com eles. No entanto, obviamente, ela não fez a sua profissão de fé conhecida até que seu marido foi morto há vários anos.
Como público, ela, na verdade, era sobre a mudança da fé pagã de seus súditos para a "nova" fé cristã é muito aberto a questão; No entanto, de acordo com a  Chronicle , ela fez a sua mente rápida e proclamou-o abertamente, sem levar em conta as consequências para a sua reputação com seu povo. Este é o Chronicle  conta romântico:
Olga foi para a Grécia, e chegou a Tsar'grad [Constantinopla]. O imperador reinante foi nomeado Constantine [VII], filho de Leo. Olga vieram antes dele, e quando ele viu que ela era muito justo do semblante e sábio, bem como, o imperador perguntava a seu intelecto.
Ele conversou com ela e comentou que ela era digno de reinar com ele em sua cidade. Quando Olga ouviu suas palavras, ela respondeu que ainda era um pagão, e que, se ele desejar para batizar-la, ele deve executar esta função ele mesmo; caso contrário, ela não estava disposto a aceitar o batismo. O imperador, com o apoio do patriarca, em conformidade a batizou.
Quando Olga foi iluminada, ela se alegrou na alma e no corpo. O patriarca, que instruiu-a na fé, disse-lhe: "Bendita és tu entre as mulheres da Rus ', por amaste a luz, e sair da escuridão. Os filhos de Rus 'te abençoará para a última geração de teus descendentes. "Ele ensinou-lhe a doutrina da Igreja, e instruiu-a em oração e jejum, em caridade, e na manutenção da castidade.Ela inclinou a cabeça, e como uma esponja absorvendo a água, ela ansiosamente bebeu em seus ensinamentos. A princesa se curvaram diante do patriarca, dizendo: "Por meio de tuas orações pai de santo, que eu possa ser preservada a partir dos ofícios e assaltos do diabo!" At ele, o batismo, ela foi batizada de Helena, após a antiga imperatriz, mãe de Constantino, o Grande. O patriarca, em seguida, abençoou-a e rejeitou-a.
Depois de seu batismo, o imperador convocou Olga e dado a conhecer a ela que ele desejava que ela se tornasse sua esposa. Mas ela respondeu: "Como você pode me casar, depois de si mesmo me batizar e me chamando de sua filha? Por entre os cristãos que seja ilegal, como o senhor deve saber. "Em seguida, o imperador disse:" Olga, você me enganou. "Ele deu-lhe muitos presentes de ouro, prata, sedas, e vários vasos, e rejeitou-a, ainda chamando sua filha.
Desde Olga estava ansioso para voltar para casa, ela foi para o patriarca de pedir sua bênção para a viagem de volta para casa, e disse-lhe: "O meu povo e meu filho são pagãos. Que Deus me proteja de todo o mal! ". . . Assim, o patriarca a abençoou, e ela voltou em paz ao próprio país, e chegou em Kiev.. .
. . . . eo imperador grego enviou uma mensagem para ela dizendo: "Na medida em que eu deu muitos presentes em você, você me prometeu que no seu retorno à Rus 'você me mandaria muitos presentes de escravos, cera e peles, e expedição soldados para ajudar me. "Olga fez resposta para os enviados que, se o imperador iria passar um tempo tão longo com ela no Pochayna [região], como ela havia permanecido no Bósforo [mar], ela iria conceder seu pedido. Com estas palavras, ela dispensou os enviados.
Agora Olga morava com seu filho [o rei-menino] Sviatoslav [ela era regente com ele até que ele estava de idade]. E ela pediu-lhe para ser batizado, mas ele não quis ouvir a sua sugestão, embora quando qualquer homem gostaria de ser batizado, ele não estava impedido, mas apenas zombou. . . .
 Chronicle  passa a discorrer sobre a cegueira de quem como Sviatoslav que não acreditam, e em continuar o testemunho de Olga para seu filho. Chronicle  , em seguida, narra várias campanhas de batalha de Sviatoslav.Finalmente, Sviatoslav anuncia que está indo para mover o seu trono para a região do Danúbio, mas o doente Olga convence-lo a ficar em Kier até que ela está morta. Apenas três dias depois, de acordo com a  Chronicle , ela respira o seu último. Após a morte do amado senhora,. . .
Seu filho chorou por ela com grande pranto, como fez o mesmo seus netos e todas as pessoas. . . .
Olga foi o precursor da terra cristã, mesmo que o dia-spring precede o sol como a aurora precede o dia. Para ela brilhava como a lua de noite, e ela estava radiante entre as infiéis como uma pérola na lama, uma vez que as pessoas estavam sujas, e ainda não purificados de seus pecados pelo santo batismo. . . [The  Chronicle  afirma que] ela foi a primeira a partir de Rus 'para entrar no reino de Deus, e os filhos de Rus', assim, elogiá-la como seu líder, pois desde sua morte, ela tem intercedeu junto a Deus em favor deles.

ACEITAÇÃO DE VLADIMIR DO CRISTIANISMO E DO BAPTISMO DA RUS 'DE KIEV, C. 988

Apesar do  Chronicle  afirmação de que Olga foi "o primeiro da Rus 'para entrar no reino de Deus", não há dúvida de que o Cristianismo foi introduzido na Rus' de Kiev muito antes de Olga, e certamente antes Príncipe Vladimir. Por exemplo, o  Chronicle , se contradizer, diz uma igreja cristã existia em Kiev, durante o reinado do marido de Olga, Ihor. E outros registros nos convencer de que havia muitos comerciantes da região, bem como cavaleiros e soldados, que eram ou se converte em ou tiveram uma familiaridade com a nova fé.
Em sua narrativa desconexa, o Chronicle  relata várias lendas relativas à adopção do cristianismo como religião do Estado, bem como várias contas tradicionais do batismo do príncipe Vladimir. A grande ironia sobre o milênio é que ninguém sabe exatamente onde ou quando Vladimir foi batizado (embora fosse mais provável em 988 ou 989, com o batismo de Kiev vir pelo menos um ano mais tarde, tornando-se assim impossível ter o batismo célebre de Kiev em 988).
E, independentemente do fato de que o Chronicle  faz depender a aceitação generalizada de impostos cristianismo simples som, é certo que, enquanto alguns cidadãos da Rus 'de Kiev aceitou pacificamente, outros resistiram e "teve que ser convencido" pela força. Este conhecimento é atenuado pelo fato de que a aceitação do cristianismo de Vladimir não era apenas um movimento espiritual; com o seu reino de tal proximidade com o Império Bizantino Christian, foi também um movimento muito político. No entanto, ele deu ao Cristianismo endosso do príncipe, e proporcionou a igreja com mais recursos para cumprir a sua missão. A conta começa com representantes de diversas religiões que vêm visitar o up-and-coming Príncipe Vladimir:
c. 986 -Vladimir foi visitado por búlgaros [da região da Bulgária] de maometano fé, que disse: "Embora você seja um príncipe sábio e prudente, você não tem religião. Adote a nossa fé, e reverenciar Mohammed. "Vladimir perguntou qual era a natureza de sua religião.
Eles responderam que acreditavam em Deus, e que Mohammed instruiu-os a praticar a circuncisão, que não comem porco, para beber vinho, e depois da morte, prometeu-lhes pleno cumprimento de seus desejos carnais."Mohammed", eles afirmaram, "vai dar a cada homem de 70 mulheres justas. Ele pode escolher um um justo, e sobre essa mulher vai Mohammed conferir os encantos de todos eles, e ela será sua mulher. Mohammed promete que um pode, então, satisfazer todos os seus desejos, mas quem é pobre neste mundo não será diferente na próxima. "Eles também falaram outras coisas falsas (que por modéstia não podem ser escritas para baixo).
Vladimir escutou [atenta] para eles, pois ele gostava de mulheres e indulgência, a respeito de que ele ouviu com prazer. Mas a circuncisão e abstinência de carne de porco e vinho foram desagradável para ele. "Beber", disse ele, "é a alegria do Russes. Não pode existir sem que o prazer ".
Depois vieram os alemães [da Igreja latina], afirmando que eles estavam vindo como emissários do papa. Eles acrescentaram, "Assim diz o Papa:" O seu país é como o nosso país, mas sua fé não é como o nosso. Para a nossa fé é a luz. Nós adoramos a Deus, que fez o céu ea terra, as estrelas, a lua, e todas as criaturas, enquanto os seus deuses são apenas madeira. ' "
Vladimir perguntou o que seu ensino era. Eles responderam: "O jejum de acordo com a sua força. Mas o que se come ou bebe é tudo para a glória de Deus, como nosso mestre Paul disse "Então Vladimir respondeu:" Sai daqui.; nossos pais aceito nenhum princípio. "
Os judeus khazares [membros da tribo Khazar eram numerosos na região] ouvi dessas missões, e chegou-se dizendo: "Nós aprendemos que búlgaros e cristãos veio para cá para instruí-lo em suas crenças. Os cristãos acreditam nele quem crucificado, mas acreditamos no único Deus de Abraão, Isaac e Jacó. "
Então Vladimir perguntou o que sua religião era. Eles responderam que seus princípios incluídos circuncisão, não comer carne de porco ou lebre, e observar o sábado. O príncipe perguntou onde era sua terra natal, e eles responderam "em Jerusalém."
Quando Vladimir perguntou onde que era, eles fizeram resposta: "Deus estava zangado com os nossos antepassados, e nos espalhaste entre os gentios por causa dos nossos pecados. Nossa terra foi dada aos cristãos ". O príncipe, então, perguntou:" Como você pode esperar para ensinar aos outros enquanto vocês mesmos são expulsos e dispersos pela mão de Deus?Se Deus amou você e sua fé, você não estaria assim dispersa. . . . Você espera-nos a aceitar que o destino também? "
Em seguida, os gregos [como em grego ortodoxo] enviados para Vladimir um estudioso, que falou assim: "Ouvimos dizer que os búlgaros veio e pediu-lhe para adoptar a sua fé, que polui o céu ea terra. Eles são amaldiçoados acima de todos os homens, como Sodoma e Gomorra, sobre a qual o Senhor deixe pedras candentes queda, e que ele enterrou e submerso.O dia da destruição do mesmo modo aguarda esses homens, em que o Senhor virá para julgar a terra, e para destruir todos os que fazem o mal e abominação ".
"Para eles umedecer os seus excrementos, e despeje a água em suas bocas, e ungir a barba com ele, lembrando Mohammed. As mulheres também executar essa mesma abominação, e mesmo os piores. "Vladimir, ao ouvir ouvir suas declarações, cuspiu sobre a terra, dizendo:" Isso é uma coisa vil. "
Em seguida, o estudioso disse: "Nós, igualmente, ter ouvido falar de como os homens veio de Roma para convertê-lo para a sua fé. Difere, mas pouco da nossa, pois eles comungam com bolachas, chamados oplacki , que Deus não lhes deu, para que ele ordenou que devemos comungar com pão. Para o pão, quando ele tinha tomado, o Senhor deu-o aos seus discípulos, dizendo: 'Este é o meu corpo quebrado para você.' Da mesma forma, tomou o cálice e disse: 'Este é o meu sangue do Novo Testamento. " Eles não agem assim, pois eles têm modificado a fé. "
Então Vladimir comentou que os judeus haviam entrado em sua presença e afirmou que os alemães e os gregos acreditavam nele quem crucificado.Para isso, o erudito respondeu: "Em verdade que acreditamos nele. Para alguns dos profetas anunciaram que Deus deve ser encarnado, e outras que ele deveria ser crucificado e sepultado, mas surgem no terceiro dia e subir ao céu. Para os judeus mataram os profetas, e outros alambiques perseguiram. Quando a sua profecia se cumpriu, nosso Senhor desceu à terra, foi crucificado, ressuscitou e subiu aos céus. . . . "

 

 

 A UNIÃO SOVIÉTICA COMEMORA 1000 ANOS DE CRISTIANISMO

e cristianismo em seu território?

O QUE ESTÁ ACONTECENDO?

Cristianismo nas regiões agora considerados parte da União Soviética tem uma longa e gloriosa história, que remonta antes mesmo 988. Mas parece que um estado ateu como a URSS teria desdenhado qualquer menção de que a história, muito menos uma grande celebração do mesmo. Então, o que está acontecendo e o que está errado, com o grande show Soviética?
É finalmente chegado. a observância de que milhões de ucranianos, bielo cristãos e russos estavam esperando, o milênio da cristianização da Rus '.Ou seja, a alegada aniversário 1000 da ocasião em que o Grand Prince Vladimir ordenou o povo de seu reino para ser batizado na fé cristã ortodoxa, e supervisionou pessoalmente os batismos de a maioria das pessoas em Kiev, a capital do seu reino .
Mas a chegada e celebração deste milênio é fortemente carregado de ironia.Provavelmente, o chefe ironia é o fato de que a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, a União Soviética, um governo zelosamente ateu, está endossando-even financiamento e promovendo-o mais espetacular dos muitos eventos em todo o mundo que estão sendo dedicados a esta "milênio do cristianismo em Rus '. "
A segunda grande ironia é que a cidade de Kiev, onde o batismo célebre aconteceu, agora é a capital da República Socialista Soviética da Ucrânia (UkSSR), uma das várias repúblicas da URSS. Portanto, temos os descendentes do povo que Vladimir levaram para o rebanho da cristandade agora sob o domínio de um governo Cornmunist que, se for para cumprir com os princípios do marxismo-leninismo ortodoxo, deve considerar a religião "um ópio do povo" e trabalhar em todas as formas possíveis para desencorajar a sua existência.
Então, o que realmente está acontecendo aqui, nesta celebração cheia de ironia da "cristianização da Rus"?

"RUSSIAN" HISTÓRIA DO CRISTIANISMO

Na verdade, a mensagem de Cristo tinha alcançado as terras ao norte do Mar Negro, muito antes de os 980s. A tradição da Igreja tem-se que em algum momento entre 50 e 60 dC, o apóstolo André, o primeiro apóstolo que Jesus chamou, visitou o futuro local de Kiev e os novos convertidos possivelmente deixado para trás em outras partes da região, que era então conhecido como Cítia. Na verdade, o apóstolo Paulo menciona os citas em sua carta aos Colossenses (3:11), aparentemente sugerindo que alguns já estavam se tornando cristãos.
A história nos diz que no final do primeiro século, o bispo de Roma, St. Clement, foi exilado para Kherson (ao sul da região da Rus ') e depois martirizado. História diz-nos também que o cristianismo se espalhou pelas colônias gregas ao longo da costa do Mar Negro, e que os bispos do Mar Negro e regiões citas participaram alguns dos primeiros concílios ecumênicos.
Em meados dos 900s, os soldados cristãos no exército do príncipe Sviatoslav (pai do príncipe Vladimir) disse que seus votos de fidelidade em um prédio da igreja que já tinha sido construída em Kiev, a Igreja do Profeta Elias. Então, obviamente, o cristianismo estava longe de ser desconhecido nessas regiões, porém, foi seguramente uma religião minoritária, cujos adeptos foram superados em número pelos adoradores de ídolos pagãos eslavos Oriental ".
Mas então, em cerca de 955, Princesa Olga, a esposa do pai e regente de Sviatoslav para seu filho, aparentemente, foi para Constantinopla e foi batizado um cristão ortodoxo. Em seguida, Vladimir, seu neto, abraçou o cristianismo, e começou a estabelecer-lo como a religião do Estado.
Mudanças radicais na cultura logo em seguida. Vladimir aboliram a pena de morte. Ele e seus sucessores estabeleceram escolas de todo o reino, para que as pessoas pudessem aprender a ler as Escrituras. Eles estabeleceram instituições de solidariedade social, a fim de cuidar da infeliz.
O caminho pela frente parecia brilhante. Mas em 1054, dividida em Oriental e Ocidental da Igreja Universal. O Metropolitanate Kiev, que estava sob a jurisdição do patriarca de Constantinopla, permaneceu no reino Ortodoxa. Não muito tempo depois, os invasores da Ásia desestabilizou o Estado na medida em que a Kiev metropolitana fugiram para o norte para Vladimir-on-Kliazma, e mais tarde mudou seu assento para Moscou. No entanto, essas metropolitas manteve o título Kiev até o século 15, quando a Igreja Moscou declarou-se autocephalous (isto é, auto-dirigido). Enquanto isso, Constantinopla restabelecida uma Metropolitanate em Kiev.
Tempos agitados continuou. A Igreja de Kiev foi novamente dividido em 1596, quando a maioria dos bispos em Rus 'no momento aceitou uma reunião com a Sé de Roma, criando o que veio a ser conhecida como a Igreja Católica Ucraniana (rito oriental). Assim, o patriarca ortodoxo de Constantinopla consagrou todo um novo conjunto de hierarquia para a Igreja Ortodoxa da Ucrânia (que se tornou o nome de escolha para a região, uma vez chamado Rus ').
Os ortodoxos na Ucrânia manteve-se sob a jurisdição do patriarca de Constantinopla até 1686. Nessa altura, os líderes ortodoxos em Moscovo utilizada pressão política para influenciar os turcos (que estiveram no controle de Constantinopla desde 1453) para permitir a transferência do Kiev metropolitana à jurisdição da Igreja de Moscou.
Pouco tempo depois, o governante, em Moscou, Peter I (r.1689-1725), começou a chamar-se o "czar de todas as Russes", pretendendo por esse título para sugerir que todas as pessoas no seu domínio, apesar de suas diferentes origens étnicas , eram povos irmãos que na verdade sempre desejou estar unidos em um único estado. Ucrânia ele chamou de "Malária" -Little Rus '; Bielo-Rússia que chamou de "Belaia" -branco Rus '; e da Rússia que chamou de "Velikaia" -Grande Rus '. O termo que ele cunhou para essa união era "Rosiia" (retirado da versão grega da Rus ').
Pedro proclamou a Igreja Ortodoxa Russa a igreja oficial de todo o seu império e, efetivamente, usou a Igreja para ajudá-lo a fortalecer seu domínio sobre todos os "Russes." Ele esperava que, ao incorporar estes diversos povos sob o mesmo nome, para construir um maciço, unificada império que duraria para sempre. Ele e seus herdeiros passou a conquistar alguns países asiáticos, e da mesma forma tentou uni-las a esta "união".
Embora a dinastia dos czares chegou ao fim com a Revolução de 1917, a ideia do Império Russo parece certamente ter sobrevivido-in o expansionismo ateu e geopolítica da União Soviética, liderada pela Rússia.Mas no momento em que tal império re-forma ainda não foi imaginado; a queda dos czares foi uma boa notícia para os ucranianos, e eles tentaram fazer o máximo de sua liberdade recém-descoberta. Eles formaram um Estado soberano, e começou a planejar uma Igreja Autocéfala Ortodoxa Ucraniana.
Logo, infelizmente, o novo estado caiu abaixo ataque dos bolcheviques; a nova Igreja, no entanto, foi formado com sucesso e passou a perpetuar as tradições culturais únicas da Ucrânia. Mas o Estado soviético reforço não podia tolerar tal tempo uma igreja "nacionalista", e tentou em 1930 para pôr fim absoluto para qualquer outra "Ukrainianization" das gerações mais jovens. A Igreja Ortodoxa Ucraniana foi dissolvido violenta; a única igreja a ser tolerado, e que só mal-era da Igreja Ortodoxa Russa.
Após a Segunda Guerra Mundial, quando o governo Soviética anexou a parte ocidental anteriormente livres da Ucrânia, a Igreja Católica ucraniana foi igualmente forçado a "reunir" com a Igreja Ortodoxa Russa, apesar destes católicos reconhecendo apenas a autoridade do papa, e não conceder qualquer credibilidade para pronunciamentos de um patriarca ortodoxo.Hoje, tudo o que resta de esperança para as igrejas exclusivamente ucraniano é o que é chamado de "Exarcado." Ucraniano Ou seja, a Ucrânia é teoricamente uma parcela autônoma (mas não autocephalous) da Igreja Ortodoxa Russa, e que é a sua  única  Igreja. Assim, tanto quanto nos dias de Pedro I, a Igreja russa ainda está sendo usado como um instrumento de "russificação" para promover as aspirações do governo de Moscou.

AS CELEBRAÇÕES SOVIÉTICOS

Quando as celebrações do milénio em Moscou começou, especialmente as festividades da Páscoa, era óbvio que o espetáculo ia ser impressionante.Mas por algum tempo antes, ao que parece, os líderes soviéticos não podia decidir o que fazer sobre o entre postura do Partido Comunista contra a religião ea enorme afluência popular, para o aniversário se aproximando, tanto na União Soviética e em todo o mundo dilacerado pela milênio.Finalmente chegaram a uma decisão, e ordenou que toda a URSS observar a ocasião, com pompa e circunstância. No entanto, eles astutamente enfatizou que ser uma celebração de um milênio "russo".
Como um de seus primeiros atos reconhecendo a abordagem do milênio, os soviéticos, em 1984, reabriu o mosteiro de São Daniel, em Moscou, em seguida, deu-a ao Patriarcado de Moscou. Depois disso, os trabalhadores aprovados pelo governo começou a fazer muito na preparação para o milênio. Livros foram publicados. Contatos internacionais com líderes de outros grupos religiosos foram iniciadas e solidificado. Convites saiu. E, começando pelo menos tão cedo es abril de 1988, as celebrações começaram, embora as maiores celebrações foram reservados até junho, mês em 988, quando o batismo supostamente ocorreu.
As festas juninas foram agendadas para incluir uma liturgia solene (culto), liderado por hierarcas ortodoxos russos na Catedral Patriarcal da Teofania em Moscou; um  sobor  (reunião do conselho da igreja) na Trindade-St.Sergius Lavra (Mosteiro), perto de Moscou; um encontro festivo especial em Moscou, com a participação de representantes convidados de várias comunidades religiosas, assim como dos governos soviéticos e outros;outras liturgias e massas em todas as Igrejas do Patriarcado de Moscou;celebrações subsidiárias nas cidades de Kiev, Leninegrado e Vladimir; e outras celebrações em Kiev, com a participação de convidados estrangeiros e delegados do sobor  mencionado acima.
Celebrações em outras dioceses do Patriarcado de Moscou se mantiverem até meados de Julho de 1988, com serviços e reuniões do clero e laitvy, em que os decretos e documentos da Igreja  sobor  estavam a ser proclamada.
Apesar da atenção Patriarca Pimen era dar às celebrações Kiev ficou claro que Kiev, o site real do primeiro batismo em massa dos Rus ', estava sendo relegados a uma posição secundária. Moscou permaneceu predominante e preeminente na celebração. Metropolitan Filaret de Kiev, quando perguntado por que isso acontecia disse obedientemente, "Moscou sempre foi o centro da Igreja Ortodoxa da Rus '" (que é a tradução literal do texto ucraniano de seu comentário, a versão em Inglês diz "do russo Igreja Ortodoxa "). A observação pode ser divertido-Moscou não era mesmo uma aldeia em 988, se não fosse um lembrete tão trágico da subserviência da Igreja de Kiev, a "igreja mãe", a sua filha, eventualmente, mais poderoso e mais conhecido, a Igreja de Moscou. Riso Os ucranianos 'neste observação irônica não poderia deixar de ser misturado com suspiros de tristeza, frustração e saudade.

A IRONIA EA ANGÚSTIA

Com a ascensão do último governante Moscou, Mikhail Gorbachev, a União Soviética parece determinado a colocar um rosto humano perante o mundo assistindo. A celebração religiosa bem divulgada encaixa estes planos muito bem. É feita a liberdade, ou pelo menos tolerância-da religião na URSS a parecer uma verdadeira realidade.
E há uma ameixa adicional nesta torta para o governo. Ao fazer o milênio um evento "russa", a preeminência da língua russa e cultura na URSS multi-nacional é dado um impulso bem-vindo. O governo soviético segue os passos de seus antecessores czaristas em crer que é mais fácil governar um domínio unilingual.
Infelizmente, um bom muitos ocidentais não parecem se importar com isso de-culturalização das várias nações não-russas na URSS. Para ver a União Soviética como uma entidade multi-nação, e, especialmente, para tentar diferenciar entre russos, ucranianos e bielo-russos, parece a muitos, como também uma tarefa árdua. Quanto mais simples, eles inconscientemente acho que, para aceitar as etiquetas simples, conveniente proferred primeiro pelos czares e agora pelos soviéticos: ". Santa Rússia" "Rússia", "Mãe Rússia"
Assim, parece ter caído em grande parte os ucranianos dispersos por todo o Ocidente para chamar a atenção do mundo para essa desigualdade, para continuar a levantar tais questões preocupantes como, por que o batismo sendo comemorado principalmente em Moscou, uma vez que teve lugar em Kiev? Porque é que a Igreja Católica Ucraniana proibido em seu país de origem? Por que a Igreja Ortodoxa Ucraniana forçado para dentro da Igreja Ortodoxa Russa, e por que não pode o seu autocephaly ser reconhecido como era antes? Na medida em que a celebração principal sendo em Moscou vai, numerosos ucranianos têm apontado que esta é como comemorar a assinatura da Carta Magna, em Nova York, ou a Declaração de Independência, em Londres.
Annoying como esses pontos podem ser, eles devem ser levantadas, tanto por ucranianos dispersos que estão cientes das lutas dos seus compatriotas, e também por essas outras pessoas interessadas no Ocidente que estão cientes da série de injustiças que as celebrações Soviética aprovados não está reconhecendo.
Mas algumas coisas já é tarde demais para fazer qualquer coisa sobre. As grandes celebrações vai continuar em Moscou. Numerosos VIPs vão e participar. Os meios de comunicação incidirá sobre o espetáculo e cerimônia, da qual Moscou irá certamente proporcionar a mais.
No entanto, ainda há coisas que podem ser feitas. Seria, no interesse da justiça e da paz verdadeira, se:
1) Estas questões foram levantadas por quem vai para as celebrações na União Soviética;
2) as celebrações do Milênio por grupos eslavos (sobretudo ucranianos) fora da União Soviética foram fortemente apadrinhado (ucranianos em muitas grandes cidades canadenses e norte-americanos formaram ucranianos Comitês do Milênio que irá fornecer informações sobre o que está acontecendo em cada área. Na Europa, o chefe celebração da Igreja banido e exilado Católica Ucraniana foi agendada para 03-14 julho, em Roma. Em os EUA, a principal celebração da Igreja Ortodoxa Ucraniana foi marcada para agosto 05-07 em sua sede em South Bound Brook, NJ O mundo celebração dos diáspora ucraniana foram marcadas para agosto 12-14, em Ontário, Canadá);
3) Os leitores levaria tempo para melhor familiarizar-se com as questões complexas da justiça e da paz na URSS.

TRAZENDO DE VOLTA O SIGNIFICADO

Sem o conhecimento de muitos ocidentais, e, certamente, como igualmente sem o conhecimento de muitos russos, as questões espinhosas levantadas aqui trazer sentimentos de angústia para muitos ucranianos e bielo-russos, sentimentos de raiva e frustração beirando o desespero. Muitos no mundo provavelmente não percebem o peso da emoção suportados pelos não-russos como eles vêem essa injustiça perpetrada nos a memória sagrada do batismo de Rus 'de Kiev.
No meio de todas estas políticas, parece um bom tempo para se concentrar novamente no maior significado do Cristo milênio, isto é, as massas de pessoas que recebe, que é o amor personificado. É trágico que a comemoração deste evento, em vez de incentivar as pessoas a crescer no amor para com Deus e os demais seres humanos, tornou-se um meio de afirmar aspirações políticas, talvez, em certa medida, por parte de todos os interessados.
Assim, é importante que a verdade seja dita com amor e ouvido no amor, e que o caminho ser aberto para uma relação justa e verdadeiramente fraterno entre os ucranianos, bielo-russos e os russos das várias comunidades cristãs, bem como entre aqueles que não se sentem eles podem honestamente pertence a nenhuma destas comunidades de fé, ainda estão genuinamente preocupados com os direitos e valores humanos.
O que realmente está acontecendo aqui? Podemos esperar, apesar das evidências contra ele, para o início de uma nova, honesta, relacionamento aberto entre os povos, a luz de Cristo, que está no centro do batismo de Rus 'de Kiev?
A maior necessidade durante este milênio é por amor. É simples assim.
E tão difícil, tão bem

 

 

A HISTÓRIA DO CRISTIANISMO RUSSO:

Cronologia da História da Igreja Russa.

GERAL HISTÓRIA DO MUNDO

Antes de 1000
800  Carlos Magno é coroado imperador do Sacro Império Romano
935  Wang Chien estabelece monarquia central na China
954-55  normandos invasões de France
963-1025  Basil II é imperador bizantino
981  Eric, o Vermelho visita Groenlândia
988  Vikings Attack Inglaterra
1000
1000  Leif Ericsson atinge América
1054  A grande separação entre orientais e ocidentais Igrejas ocorre, e em grande parte permanece até hoje
1066  O normandos conquistar a Inglaterra
1071  Império Bizantino é derrotado pelos turcos em Manzikert
1096-1099  Primeira Cruzada: a Jerusalém
1100
1100-1135  A primeira das regras Henrys na Inglaterra
1113-1115  Bernard se junta a Ordem cristã, torna-se primeiro abade de Claraval
1170  Thomas Becket é assassinado
1182-1226  St. Francisco de Assis vive
1187  Saladino captura de Jerusalém
1200
1200  Islam começa a substituir religiões indianas
1215  D. João assina Carta Magna
1228-1229  Sexta Cruzada: Jerusalém recuperou
1244-1917  Jerusalém em mãos muçulmanas
1260-1294  Kublai Khan é imperador da China
1270  Oitava Cruzada: a Tunis
1271-1295  Marco Polo viagens à China
1273  Rise of família Habsburgo começa
1274  Thomas Aquinas morre
1275  A primeira dissecação humana registrada ocorre
1280-1368  Dinastia Yuan governa China
1300
1305-1376  Papas residir em Avignon
1327  astecas estabelecer Cidade do México
1328-1384  vidas John Wycliffe
1348-1453  Guerra dos Cem Anos
1348-1350  Black Death assola a Europa
1368-1644  dinastia Ming na China
1378-1417  o Grande Cisma divide o papado
1400
1415  Jan Hus é martirizado
1420-1433  guerras hussitas
1431  Joan of Arc queimada
1479-1516  Ferdinand e Isabella regra na Espanha
1485-1509  Henry VII, o primeiro rei de Tudor
1492-1504  Cristóvão Colombo descobre a América, recrosses Atlântico quatro vezes
1490  Os primeiros orfanatos são estabelecidos em Itália e Holanda
1500
1500  Na Europa, o fim da precoce e início da Alta Renascença
1522  Martin Luther terminou de traduzir o Novo Testamento para o alemão
1525  tradução de William Tyndale do Novo Testamento para o Inglês é impresso em Wurms
1555  Michelangelo esculpe o Pieta, eo tabaco é trazido para a América pela primeira vez
1577  Francis Drake embarca em viagem ao redor do mundo via Cabo Horn
1600
1700
1800
1861-1865  US Guerra Civil
1900
1914-1918  Primeira Guerra Mundial
1940-1945  Segunda Guerra Mundial
1955  Seis dos Estados Unidos reconhecem oficialmente a Igreja Ortodoxa Oriental como uma grande fé, e vários outros estados em breve seguir o exemplo
1961  As "reformas" batistas frm separado do AUCECB para formar o "underground" do Conselho de Igrejas Evangélicas Baptistas (curches não registrados com o governo e, portanto, ilegal); muitos deles estão presos e martirizados
1965-1975  A Guerra do Vietnã
1973-1975  Watergate arrombamentos, acusações e condenações
1978  EUA e República Popular da China estabelecer relações diplomáticas plenas

URSS HISTÓRIA

Antes de 1000
c. 50-60  St. Andrew supostamente faz trabalho missionário na Ucrânia e, de pé sobre o futuro local de Kiev, prevê que uma grande cidade cristã, um dia, existem lá
860-65  com Sts. Cirilo e Metódio, missões cristãs para as nações eslavas começar a sério; Cyril estabelece alfabeto cirílico que ainda é usado por eslavos orientais hoje
c. 864  Sob os auspícios da Rus 'Prince Askold e Patriarca Fócio, o primeiro batismo em Rus'-Ucrânia
869  Concílio Ecumênico Oitava (em Constantinopla)
955  Princesa Olga, a rainha da Rus 'de Kiev, é batizado em Constantinopla
988-991  Mass batismo tem lugar em Kiev, Grand Prince Vladimir faz Cristianismo Ortodoxo a religião nacional de Rus'-que permaneceu até 1917
1000
1019  Yaroslav recebe um metropolitano nomeado pelo Patriarca de Constantinopla; esta ligação Rus'-Byzantium continua por quase 400 anos
1025  A bela Catedral de St. Sophia é construído em Kiev
1037  A Igreja Ortodoxa Russa está sob a jurisdição do Patriarca de Constantinopla
1100
1113  A Igreja de São Nicolau, um dos primeiros "igrejas cúpula de cebola", é construído em Novgorod
1200
1204  centro da cristandade oriental, Constantinopla, cai ocidentais Crusaders da cristandade
1206-1226  Temujin é proclamado Gengis Khan, governa o mongóis
1220-1221  mongóis invadem Índia
1237-1240  mongóis invadem e destroem Kiev
1250  Chapéus entrar em forma, e penas de ganso são utilizados para a escrita
1261  Easterners retomar Constantinopla
1300
1325  O metropolita da Igreja Ortodoxa Russa é transferido para Moscou
1326  Moscou torna-se capital da Rússia, e do centro oficial da Igreja Ortodoxa Russa
1363  Timur, o Coxo (Tamerlaine) começa a sua conquista da Ásia
1392  Sergius de Radonezh, o santo padroeiro da Rússia, morre
1396  Stephen, um bispo ortodoxo russo e famoso missionário, morre
1400
1431-1449  dominação da Rússia Os mongóis 'chega ao fim
1448  Sé de Moscou é elevado ao status independente
1450  Moscow emerge como "A Terceira Roma", afirmando ter conseguido Roma e Constantinopla como o centro da Igreja Ortodoxa; Ortodoxia Russa permanece praticamente intocado pelo Renascimento e Reforma
1500
1551  O Conselho histórico de Moscou indica a influência em declínio do patriarcado de Constantinopla e da crescente influência de Moscou
1589-1605  Em Moscou, Iov serve como o primeiro patriarca da nova Patriarcado ortodoxo russo
1596  O Ortodoxa na Polônia se unir com Roma, formando o que é conhecido como a Igreja Uniate
1600
1629  Cyril Lucano, o patriarca de Constantinopla, faz uma confissão calvinista da fé
1642-1658  Patriarca Nikon tenta reformar a Igreja Ortodoxa Russa;resultados de um cisma
1685  Academia Teológica de Moscou é fundada
1690-1700  Patriarca Adrian é o último patriarca russo da Ortodoxia até o século 20
1700
1721  Pedro, o Grande abole o Patriarcado de Moscou, estabelece o Santo Sínodo como uma instituição do Estado para levar a cabo reformas da igreja
1783  Potemkin capta Criméia para a Rússia
1.794  missionários Ortodoxa Russa começar a trabalhar no Alasca com os comerciantes de peles e índios
1800
1809  St. Petersburg Academia Teológica é fundada
1848  de Karl Marx  Manifesto Comunista
1856-1876  Tradução da Bíblia inteira em russo vernacular
1867  A Baptist alemão da Lituânia administra o primeiro batismo Batista na Rússia
1867  a Rússia vende o Alasca para os EUA
1869  O primeiro Russo Baptist Church é estabelecido
1870  Bishop Inocêncio, ex-missionário para o Alasca, funda a Sociedade Missionária Ortodoxa
1.880  líderes russos ortodoxos começam uma perseguição de todas as seitas não-ortodoxos e igrejas
1884  Primeiro Congresso de batistas russos
1.891  líderes russos ortodoxos intensificar a sua perseguição à não-ortodoxos, o que torna difícil para eles encontrar emprego ou que vivem, e levando seus filhos para doutriná-los na fé ortodoxa; não-ortodoxos são julgados em tribunais ortodoxos, os civis não
1894  A Igreja Ortodoxa Russa proíbe batistas para montar
1900
1904-1907  Russo-Japonesa
1917  A Revolução Russa; Patriarcado de Moscou é restabelecida
1918-1928  Lenin separa a Igreja eo Estado e proclama a liberdade religiosa; os batistas começar uma escola pastoral, em Moscou, e uma editora; Batistas russos aumentar para cerca de dois milhões de
1919  Igreja The American ortodoxa ucraniana está organizado
1922  URSS é formado
1929-1939  Stalin de "Age of Terror"; a maioria dos cristãos russos sofrem muito sob essa tirania patrocinado pelo Estado; os piores anos são '34 -38
1943  Desejando reunir o povo russo em face dos exércitos de Hitler [Hitler] 's, Stalin restabelece a Igreja Ortodoxa Russa
1.944  governo soviético orgainzes o todo-União Conselho de cristãos evangélicos batistas; mas o controle soviético da AUCECB faz numerosos cristãos se opõem a ela
1959-1964  Khruschev supervisiona uma grande perseguição aos cristãos, embora não tão assassina como Stalin
1960  A URSS faz seus estatutos restritivas sobre a AUCECB vez mais rigorosos
1961  Igrejas na URSS juntar Conselho Mundial de Igrejas
1974-1975  por seus escritos contra a repressão soviética, Alexander Solzhenitsyn é exilado, escreve  O Arquipélago Gulag , Vols. Um e Dois
1986  Gorbachev inicia política de glasnost, ou "abertura" e liberdade de religiões soviéticos aumenta um pouco
1988  Millenial aniversário do cristianismo na URSS

GOVERNANTES DE KIEV

978-1015  Vladimir I governa Keivan Rus '
1019-1054  Yaroslav "o Sábio" governa Rus '
1113-1125  regras Vladimir Monomach em Rus '
1125-1140  Outros membros da dinastia de Vladimir continuar a governar um constantemente sub-dividindo Rus '
1325-1341  regras Ivan I em Moscou
1359-1389  regras Dmitri Donskoy em Moscou
1425-1462  regras Vasili II em Moscou
1462-1505  Ivan III "o Grande" governa a Rússia
1547-1584  Ivan IV "o Terrível" governa a Rússia
1645-1676  Alexei governa a Rússia
1721-1725  Pedro "o Grande" é o imperador da Rússia
1762-1796  Catherine II é imperatriz da Rússia
1801-1825  Alexander I é czar da Rússia
1894-1917  Nicholas II governa a Rússia
1920-1924  regras Lenin URSS
1924-1953  Josef Stalin
1953-1964  Nikita Khruschev
1964-1980  Leonid Brezhnev
1980-1985  Kosygin e Andropov
1985- ??  Mikhail Gorbachev

A RICA HERANÇA DE ESPIRITUALIDADE ESLAVA ORIENTAL
 ImpressãoBaixar  A-AA +
por Louis Bouyer e os editores
Embora praticamente desconhecido para a maioria dos ocidentais, a história da espiritualidade ortodoxa entre os eslavos orientais da Ucrânia e da Rússia é um tesouro peito profundo de exploração e descoberta espiritual.

EM APENAS 460 ANOS (990-1450), menos da metade do período do milênio que se celebra este ano, pelo menos vários milhares de eslavos orientais, e isto é baseado apenas no número de tomar os votos monásticos-se exercitando-se na devoção e serviço espiritual . Aqui estão as histórias de apenas alguns dos principais luzes.

A espiritualidade dos fiéis ortodoxos em territórios eslavos orientais, como a espiritualidade de toda a própria fé ortodoxa, é em grande parte desconhecido para a maioria dos leitores, protestantes ocidentais. Mas há muito na história de tal espiritualidade, assim como os vários contos abaixo irá demonstrar, que pode inspirar, estimular e incentivar-nos.

Estas biografias são extraídas e condensado de Fr. O livro de Louis Bouyer, Espiritualidade Ortodoxa e Protestante e Espiritualidade Anglicana, No. III da série, A História da Espiritualidade Cristã, por Bouyer, Jean Leclercq, François Vandenbroucke, e Louis Cognet. Originalmente publicado em 1969 por A Seabury Press, a série é agora publicado pela Harper & Row Publishing, Inc., e estes trechos são usados ​​aqui com permissão de Harper & Row.

Comparando o Chronicle Primária contas das conversões de Vladimir e Olga com os de personagens em outros escritos cristãos antigos, é digno de nota que os cronistas não fazem nenhuma tentativa de encobrir a conduta pecaminosa anterior dos dois heróis, como foi o caso, por exemplo, no relato de Eusébio da conversão de Constantino. Na verdade, os cronistas eslavas discute abertamente a brutalidade de Olga e vida dissoluta de Vladimir, retratando duas pessoas que, em cristianizar o reino da Rus 'de Kiev, não eram santos pré-fabricadas, mas conversão necessária, tanto quanto o seu povo.

Este é apenas mais uma prova de que, desde o primeiro, "Russian" O cristianismo foi destacada uma religião de penitentes, penitentes que encontraram nenhuma dificuldade em confessar seus pecados mais grosseiros. Este foi para marcá-lo com um caráter evangélico de golpear a consistência. Claro que algumas distorções surgiu, distorções tão excessivamente penitentes que um astuto disse que os russos eram incapazes de pecar com simplicidade.

No entanto, é fácil ver que, mesmo atrás das distorções estabelecer uma franqueza e humildade que levou muitas pessoas espiritualmente inteligentes russas a própria frase de Cristo: "Eu vim para não chamar os justos, mas os pecadores", uma reivindicação que o nosso cristianismo sobre-civilizado pode encontrar alguma dificuldade em digerir.

Crescendo fora deste espírito penitente é uma rica história de espiritualidade, de crentes eslavos ortodoxos que alcançam para o divino, com todos os seus corações, almas, mentes e pontos fortes. Aqui estão algumas de suas histórias.

O REZAR, APOSENTAR ASCETIC
Em terras russas, como no antigo Oriente, espiritualidade cedo veio para o centro, principalmente, o monaquismo. Monasticism já existia nas regiões bem antes do batismo de Kiev, mas cristianização da família real certamente emprestou-lhe um impulso significativo, como a casa de Vladimir abundantemente estendeu seu interesse e generosidade ao Petcherskaia Lavra, ou o Mosteiro das Grutas, cuja instalação ainda fica em um terreno tão sagrado do chão do lado de fora Kiev. O fundador do mosteiro, St. Antony, aparentemente começou sua vida monástica na Grécia. Mas os registros de seus ensinamentos e práticas parecem sugerir que ele foi mais fortemente influenciada pelo monaquismo sírio, especialmente visto em sua insistência em ascetismo penitencial de um tipo, somos tentados a considerar como desumano.

Nascido em Lyubech, ao norte de Kiev, ele foi incapaz de estabelecer-se em qualquer um dos mosteiros existentes em seu retorno da Grécia. Depois de perambular de um para outro, ele finalmente se estabeleceu em uma caverna no lado da colina com vista para a cidade ou para Kiev. Lá, ele viveu em total solidão a pão e água, cavar sua caverna com suas próprias mãos, vigiando e orando. Discípulos de todos os setores da sociedade em breve se reuniu em volta dele, e começou a ampliar as cavernas e construir um edifício da igreja. Ele congratulou-se com eles, mas quando havia muitos com ele atraiu mais alto da encosta e terminou sua vida em reclusão total. Quando ele morreu, em 1073 (?), O mosteiro foi sob a direção de um de seus seguidores, Teodósio, que realmente foi canonizado como santo antes do Antony se aposentar era.

O HUMBLE PRINCE-CHALLENGER
Na cidade de Vasilkov, em data incerta, Teodósio nasceu em uma família bem-fazer que se mudou pouco depois de Kursk, norte e oeste de Kiev. Seu pai morreu quando ele tinha 13 anos, e ele era doravante sob o polegar de uma mãe que é interpretado por biógrafo de Theodosius como uma verdadeira virago, cuja única paixão era a dominar seu filho mais velho. Ela ficou horrorizada quando ele começou a mostrar compaixão e amor para com os pobres.

St. Francis-like, ele trabalhou nos campos com os servos, regularmente deu suas melhores roupas para os necessitados, e vestido em trapos si mesmo. Uma de suas ocupações favoritas foi a cozer o pão utilizado para a liturgia eucarística. Uma vez ele tentou sair de casa com alguns peregrinos com destino a Jerusalém, mas ele foi pego por sua mãe, castigado, e levado de volta à força. No entanto, isso só aumentou seu anseio por uma vida dedicada à ascese e oração. Ele usava correntes sob suas roupas como os antigos ascetas sírias e, finalmente, quando sua mãe estava fora, correu para Kiev.

Lá, ele procurou em vão o ingresso em vários mosteiros-pobres antigos e sem recomendação como ele era, até a última Antony levou em suas cavernas e deu-lhe um hábito. Quando sua mãe conseguiu obter em suas faixas, ela foi direto para Antony e, afetando a ansiedade a respeito de seu filho, logo derreteu o coração do bom homem. Homem simples que ele estava, ele imprudentemente permitiu-lhe ver o seu filho, e mais uma vez houve um confronto cena, embora desta vez sua rugosidade física foi substituída por chantagem emocional. Mas não adiantou. Teodósio lhe deu mais nenhuma chance de vê-lo, a menos que ela própria se tornou uma freira em um convento na cidade. E, de fato, isso é o que finalmente aconteceu.

Pouco tempo após a entrada de Theodosius para o mosteiro, Antony, enquanto que, em princípio, permanecendo a seu pai espiritual, foi para uma caverna mais distante e se virou na direção da comunidade ao longo de um monge chamado Barlaam. Mas Teodósio logo ganhou a estima dos outros monges, não tanto pelo rigor de suas asceticisms (embora ele tenha prática alguns um pouco extremas) como pela sua humildade; de modo que, quando Barlaam foi convocado pelo príncipe de Kiev para governar o mosteiro de St. Demetrius, os irmãos disse Antony que eles queriam que o novo recruta como seu abade.

Barlaam já tinha começado a levar a comunidade a crescer fora das cavernas através da construção de uma pequena igreja. Theodosius construído um maior e cercado com células e um claustro. Em 1062 os monges transferido para estes edifícios, e as cavernas foram quase nunca usado, posteriormente, exceto como lugares de mais ou menos temporária de retirada, e, finalmente, como túmulos. No mosteiro assim transformado, Theodosius introduziu uma regra monástica mais moderada do que a extremamente rigoroso que Antony tinha defendido.

Mas Teodósio não abandonar por completo qualquer rigoroso ascetismo ou o desejo de solidão total. Apesar de já não são contadas das austeridades extremas de sua juventude, parece que nunca dormiu com exceção assentada, e que regressou a cada Quaresma para as cavernas onde ele havia ordenado que ele deveria ser enterrado. Em geral, no entanto, a vida monástica como ele a viveu encontrado todo o seu significado nas oportunidades incessantes ele oferecidos pela humildade estreitamente vinculados a instituições de caridade, e por sua própria privação pessoal para o bem dos outros.

Como o Superior de um mosteiro cujo prestígio tinha crescido quase de noite, e como um logo para ser o íntimo dos príncipes de Kiev, ele, no entanto, continuou a vestir-se como o mais pobre dos mendigos, e era indiferente ao desprezo que isso provocou. Ele pregou a sua comunidade por exemplo, em vez de por preceito.

Quando o cozinheiro se queixou de que os irmãos não tinha trazido um novo suprimento de madeira, foi ele que, silenciosamente, pôs-se à tarefa, enquanto os outros estavam à mesa. Eles eram tão consternado, ao sair do refeitório, ao vê-lo com um machado na mão e cercado por toras, que todos eles logo começaram a trabalhar.

Mas as coisas nem sempre se saem tão bem, e é evidente a partir da leitura suas exortações aos irmãos que tomaram as coisas facilmente onde a disciplina estava em causa, sabendo que nada seria dito por muito que pisou no pé de seu superior. Quando ouviu os monges conversando em suas celas, quando deveriam estar dormindo, ou em oração, ele contentou-se com batendo em suas portas como um aviso. E se ele os chamou para uma repreensão, ele lhe daria por meio de uma parábola que eles eram bastante livre para não entender.

No entanto, em um ponto Teodósio era intratável: a pobreza. Se ele descobriu disposições supérfluas em qualquer lugar do mosteiro, ele os tinha jogado no fogo de uma só vez. Mas para que o assunto, o mordomo despensa raramente teve oportunidade de colocar muito de lado, para o mosteiro era um centro de caridade em que quase tudo o que vêm em foi prontamente dado para fora novamente. E quando essa economia deliberadamente imprevidente resultou em escassez, somos informados de que Theodosius resolvido a situação por um milagre, uma peça de ouro discreto entregues por um anjo, por exemplo. . . .

Caso contrário, ele parece ter impressionado os irmãos especialmente pela continuidade sereno de sua oração, e pela forma como ele repeliu os ataques de ambos os demônios e bandidos pelas presenças angelicais que ele desenhou para o mosteiro. Um episódio em que a oração e humildade do santo veio junto com sua deliciosa simplicidade ocorreu uma vez, quando ele estava rezando em sua cela. Por alguém que vem para despertar-lhe que ele parou de cantar e respondeu apenas com a terceira batida, para que o chamador poderia pensar que ele estava dormindo auditiva.

Essa mesma simplicidade caracteriza suas relações com príncipes. Ele não só recebê-las sem ser mais impressionado com o seu esplendor do que irritado com sua importunação, mas aceitou seus convites com boa graça. Isso não o impediu de censurar suas recriações pagãs que ele era capaz de observar em tais ocasiões, nem de denunciar corajosamente suas extorsões. Quando o príncipe Sviatoslav (um dos descendentes do príncipe Vladimir) despossuídos seu irmão mais velho Isviaslav, Teodósio consentido para retomar as relações com ele. Mas o monge nunca escondeu do usurpador que ele olhou em seu irmão como o soberano legítimo, e exortou-o até o fim para colocar seu irmão de volta ao trono.

É fácil entender como uma personalidade tão humilde-mas-direta feita Theodosius um santo rapidamente popular. Mas sua espécie de ascetismo moderado era ter menos influência sobre as normas posteriores do Petcherskaia Lavra de estilo rigoroso de St. Antony fez. Parece que a moderação do Lavra tornou-se ainda mais relaxado após a morte de Teodósio, provocando uma contra-reação do ascetismo grave entre os seus sucessores mais graves, que colocam seus olhos sobre um retorno às disciplinas extremas de St. Antony.

Por exemplo, não foi João Sofredor, que havia se enterrado vivo, e Pimen o doente, que estava perpetuamente, intencionalmente doente. Outra figura de destaque nesse tradição ascética era na verdade a partir do momento de Teodósio, e definir, provavelmente, o primeiro exemplo de um tipo de santo que se tornou comum na Rússia: o "louco por Cristo. "Este Isaac, então possuía com suas batalhas contra demônios que ele finalmente afundou na loucura alucinatória, foi resgatado a partir deste por Teodósio. Ele então assumiu as tarefas mais vis da cozinha, até que, ao ver que seus irmãos o consideravam como um santo, ele simulou uma recaída de adiar o seu louvor.

O SCHOLAR / PREACHER
No final do século 12, vivia o único monge além Teodósio de quem temos uma biografia que data de antes das invasões mongóis: St. Abraão de Smolensk, que morreu em 1221. Como Teodósio, Abraham foi inicialmente atraídos para o monaquismo pelo seu voto de pobreza . Mas uma vez que um monge, ele desenvolveu uma paixão pelo estudo, e foi um dos primeiros pregadores e escritores da velha Rússia. Era a Bíblia que lhe interessava, com tais comentários dos Padres da Igreja, como ele poderia pegar. E entre estes escritos apócrifos dos primeiros séculos AD parecem ter particularmente reivindicou sua atenção. Seu misticismo apocalíptico fascinava. Sua pregação, e suas orações pessoais, parecem ter sido dominado pelo medo do julgamento iminente de Deus e uma expectativa impaciente da vida eterna.

Para compreender essas características e o significado que tinha para ele, é preciso colocá-los no contexto histórico. Cristianismo naquele dia mal tinha penetrado as massas pagãs e, em seguida idéias gnósticas heréticas, como um maniqueísmo reviveu, começou a misturar-se com a fé. Neste contexto, não é de estranhar que o conhecimento e as especulações de Abraão levou a ser suspeito de heresia, o ciúme de seus irmãos iletrados apreensão muito rapidamente sobre o que era incomum em sua leitura e preocupações. No entanto, foi uma veia bíblica muito autêntico que havia recapturado em sua expectativa exaltada do Juiz e Salvador. Sua visão do juízo iminente, de fato, deu lugar a uma antecipação da cidade celestial, e um anseio por sua beleza luminosa, à qual o seu gosto para a liturgia e para a iconografia deu igual testemunha. Com St. Abraão, parece claro que a visão russa de um mundo transfigurado, ligada à ressurreição de Cristo ', foi muito consciente também de que o mundo além da morte, como sendo o único que poderia ser além do pecado.

ECHOES BÍBLICOS
Se tomarmos fascínio início do cristão russo com a imagem de Cristo como o servo humilde, juntamente com o ascetismo moderado de Teodósio e o pensamento apocalíptico de Abraão, não podemos evitar ser atingido pelos ecos retumbante da Bíblia para ser ouvido. É certo que a Bíblia, a liturgia, vários grandes textos ascéticos, e os escritos apócrifos em que o cristianismo primitivo em sua maioria é expressa, por muitos anos, constituída quase o único estoque literária de conhecimento neste canto da cristandade. Alguns disseram que os povos dessas regiões foram especialmente afinado com essas "abordagens mais simples e direta para a fé" seja qual for a razão, era apenas lentamente e sempre de forma esporádica que seria influenciada pelas formas mais intelectuais do cristianismo grego.

Se vamos ou não acreditar que havia uma afinidade particular entre a alma eslava e da Bíblia, esta alma foi com freqüência para dar uma visão renovada do cristianismo e um perto do evangelho, bem como aos profetas, precisamente por causa dessa concentração providencial na Bíblia iluminada pelos aspectos contemplativos dos Padres gregos sobre a liturgia bizantina, e uma predileção instintivo para patristics siríaco. A relação entre o homem de Deus com os profetas da Bíblia, em qualquer disfarce o homem de Deus tomará a Rússia, era permanecer característica marcante. Se monges ou bispos professores antigos do Russes "na fé todos tinham uma liberdade de expressão vocal e uma expressão modo inspirado e espontânea, se eles estavam abordando pessoas comuns ou príncipes.

THE BRAVE METROPOLITAN
Isto também é ilustrado na St. Philip, um metropolitana de Moscou, que foi martirizado em 1569, durante a formação do império moscovita. Dirigindo Ivan, o Terrível, durante um serviço na Catedral da Dormição, ele disse: "Senhor, nós estamos oferecendo aqui um sem derramamento de sangue sacrificado enquanto o sangue dos cristãos está fluindo por trás deste santuário. "O príncipe irritado tentou silenciá-lo, mas ele continuou," Eu não posso ficar calado, pois não posso obedecer seu comando, em vez de Deus. Estou lutando pela verdade e do bem, e vou continuar a fazê-lo mesmo se eu perder minha dignidade e sofrem as injustiças mais cruéis. "Não muito tempo depois os líderes da Igreja foram estrangulados pelo poder temporal na Rússia moscovita, que havia se tornado a Terceira Roma.

O PRÍNCIPE ESPIRITUAL
Espiritualidade russa antiga, como os seus homólogos latino e bizantino, foi principalmente a espiritualidade monástica. No entanto, seria um erro pensar que, portanto, negligenciado os problemas específicos de espiritualidade laical. Neste, a Rússia era diferente do ocidental Idade Média, e até mesmo a Idade Média bizantina, ea razão para isso foi antes de mais nada o sentido fortemente evangélico de pelo menos uma parte do monaquismo russo desde seus primórdios. Assim como tinha sido com monaquismo primitivo, o monge na Rússia não era tanto alguém que tinha uma vocação à parte, como alguém que tinha uma vocação particularmente intenso para cumprir as exigências cristãs simples e básicas. Este também foi provavelmente por isso que o leigo viu a vida monástica menos como um ideal de vida, impossível de alcançar, do que como um incentivo positivo para transpor para suas próprias condições a aspiração de ser encontrado lá, no auge da sua pureza.

Se julgado pela escassez de livros penitenciais para leigos publicados na Rússia em seus primeiros anos, então poderíamos dizer que esta mentalidade era pequeno presente. Mas, na verdade, já era tão predominante na cultura que pouco tinha de ser escrito sobre ele. A extensão deste pode ser visto em um tratado escrito por um leigo para seus próprios filhos, a admoestação do príncipe Vladimir Monomach, (r. 1113-1125). Embora as reflexões de um príncipe e carimbado com a sua experiência pessoal, ele está tão profundamente meditado que poderia ser facilmente aplicada a todos os homens com responsabilidades profissionais e familiares.

A religião expressa em que se baseia explicitamente no temor de Deus. Mas não tem que ler muito para ver que o medo deve ser entendida no sentido mais profundo bíblico de uma reverência religiosa todo impregnado pelo cristianismo. Deus, segundo o livro, é o justo Juiz, e um juiz que não espera para a próxima vida para medirei o retribuição cabendo às nossas ações, mas usa as nossas ações para trazer retribuição aqui e agora. Mas ele também é um Pai infinitamente misericordioso, que espera apenas para o arrependimento para conceder o perdão, e chama-o para trás por esse mesmo perdão. Vladimir escreveu:

"Em verdade, meus filhos, entender como misericordioso e overmerciful é o Deus de amor; nós, os homens, sendo pecadores e mortal, se alguém nos erros, queremos dilacerar ele e derramou o seu sangue; mas o nosso Senhor, senhor da vida e da morte, permanece nossos pecados que estão acima de nossa cabeça, mais e mais, até o fim da nossa vida, como um pai, que ama o seu filho, bate-lo, mas chama a ele novamente. "
Além disso, Vladimir mostra uma profunda consciência da criação, em que observamos algo da profundidade poética milenar da alma de o Slav pagã. Mas em Vladimir esse elemento é totalmente cristianizada, na veia de uma ação de graças inteiramente bíblica.

Devemos ser totalmente enganados se imaginar que essas explosões de lirismo religioso, vindo de forma tão inesperada de um político realista e warchief, eram alguma forma de compensação emocional procurado em um esteticismo vaga. Pelo contrário, o tema da religião este leigo é a necessidade de trabalho, para um trabalho paciente e perseverante e estudo exercida sobre todas as tarefas para as quais ele é responsável. Com efeito, revertendo o ditado a que estamos acostumados, ele diz admiravelmente que a oração só tem valor na medida em que é uma forma superior de trabalho.

Por outro lado, ele tem um profundo senso da realidade do pecado, mostrado em suas numerosas citações da liturgia quaresmal e as orações de arrependimento que lhe é própria. Arrependimento, lágrimas e esmolas são as três armas com as quais cada homem deve incessantemente combater o inimigo que ele carrega dentro de si. Vladimir dá um conselho específico para seus filhos: "Se Deus amolece seu coração, derramar lágrimas por causa de seus pecados, dizendo: '. Como te perdoar a prostituta, o ladrão e do publicano, da mesma forma nos perdoar os pecadores' "

Ele não insistir na recitação de orações prontas manhã e à noite (embora ele fez o seu melhor para participar de mattins e vésperas o mais rápido possível), mas em uma curta oração, quando se levantar e ir para a cama, tais como: "Iluminai a minha olhos, ó Cristo Deus, que puseste a Tua luz bonita ", ou" Add to me, ó Senhor, anos a anos que eu possa louvar a Deus, depois de ter se arrependido dos meus pecados e justificado a minha vida. "Sabemos que ele fez uso constante de seu livro de salmos, pois ele cita-lo com freqüência. Ele informa que o tempo livre que ocorre durante as ocupações do dia ser usada para uma troca simples de Deus:

"Quando você está montando a cavalo e não tem conversa de negócios com ninguém, se você sabe que não há outras orações, chamam 'Senhor, tem piedade", incessantemente e secretamente; que a oração é o melhor de tudo, melhor do que pensando em bobagens enquanto equitação. "
Ele insiste com força particular sobre a eliminação de todo o orgulho do coração, e pelo menos um estudioso observou que Vladimir chama Deus de uma terrível juiz apenas no contexto do mandamento do amor para os homens. Generosidade, não excluindo (longe disso) firmeza, parece-lhe a dever essencial do príncipe, com a ausência de toda a avareza que a meditação sobre a morte deve trazer. Na lista de lay obras que ele está sempre mencionando que inclui, naturalmente, da guerra e da caça. Mas devemos notar que ele inculca o dever de evitar todos os outros matar, e não faz segredo de sua oposição de princípio à pena capital.

Seria difícil encontrar em outros lugares, especialmente naquela época, um ideal tão completa e de alta para o leigo cristão.

O PAÍS-SAVING MONK
A invasão mongol / Tartar (1227-1240) produziu um colapso geral da vida política, econômica e cultural do Russes, especialmente nas cidades onde o cristianismo se a conhecer os seus primeiros desenvolvimentos, e onde mosteiros havia sido antecipada estabelecida. Quando alguma forma de vida nacional foi retomada no século 14, centrada no principado de Moscou, o renascimento da religião está intimamente ligada ao renascimento do monaquismo. Mas os monges deste período, pelo menos, o mais fervoroso e influente entre eles, levou a deixar as cidades e liquidação nas vastas florestas do centro do Norte.

Esta tendência tem por muitos anos foi atribuída ao homem que viria a ser o patrono de Moscovo e de toda a Rússia, St. Sergius de Radonezh (d. 1392). Na verdade, esta tendência foi geral e espontânea, com St. Sergius não ser mais que um excelente representante do mesmo; mas podemos estudá-lo mais facilmente em Sergius, porque uma biografia muito notável foi escrito sobre ele logo após sua morte. Ele e seus seguidores haviam sido aparentemente influenciado por seus contemporâneos na Grécia, a quem eles se assemelharam não só no seu gosto pela solidão, mas na intensidade da sua oração interior, em que uma aspiração mística agora mostrou-se pela primeira vez na Rússia.

Sérgio nasceu em uma família nobre de Rostov, a noroeste de Moscou. A família mais tarde se estabeleceu em Radonezh, mas o jovem Sérgio, após um encontro com um monge que abriu sua mente para as coisas de Deus, logo saiu de casa e sentou-se na solidão de uma floresta. Ele construiu uma capela com um celular, mas só se tornou um monge através da intervenção de um padre-monge vizinho, Abbot Metrophanes. À primeira Sergius viveu inteiramente sozinho, em familiaridade com as feras e domar um urso selvagem. Então companheiros se juntaram a ele.

Metrophanes eles haviam visitado mais ou menos regularmente, mas quando ele morreu eles forçaram Sergius para se tornar Superior do Lavra que tinha levantado. No final, ele teve um grande mosteiro à sua volta, com uma igreja dedicada à Santíssima Trindade; e logo uma vila começou a crescer em torno do mosteiro. Como Teodósio, Sergius aplicada, ou tentou aplicar, uma regra moderado. Mas, como ele também teve a humildade de Teodósio (ele insistia em usar trapos, trazendo desprezo infinito sobre a cabeça, como ninguém podia acreditar um homem tão insignificante aparência era um renomado Superior), bem como sua preocupação com a pobreza individual e coletiva, ele faz não parecem ter sido mais bem-sucedida em impor autoridade em seus monges.

Finalmente, quando o próprio irmão entrou na comunidade e conspiraram contra ele, ele retirou-se para a solidão total de mais uma vez, até que ele se tornou propício para voltar. No entanto, sua influência fora do mosteiro foi extraordinário. O metropolitano de Moscovo, Alexis, que foi durante algum tempo regente do Estado moscovita, muitas vezes empregou-o para missões políticas.

Algumas dessas conciliações positivas em causa entre príncipes ou cidades em guerra. Mas outros, prenunciando uma nova articulação entre a igreja e nem sempre o estado-foram tão positivos, como quando ele colocou uma cidade sob um interdito porque seu príncipe recusou-se a submeter-se a Moscovo. Mas sua glória nacional deveu-se principalmente à bênção e encorajamento que ele deu ao príncipe Dmitri Donskoy na véspera da primeira grande vitória russa sobre os tártaros na batalha de Kulikovo (1380).

No entanto, se a Lavra da Trindade era um centro de caridade com obras sociais mais desenvolvidas do que as de muitos mosteiros mais antigos, e até mesmo um centro de renovação nacional manteve-se em primeiro lugar um santuário para a oração mais fervorosa. Não nos é dito que Sergius praticado qualquer forma de aseticism que não seja o trabalho mais humilde e a abnegação mais completa; mas o fervor de sua oração é levada a cabo por seu biógrafo, que se manifesta em certas visões luminosas que cercaram sua pessoa (como um anjo concelebrar com ele, ou o brilho do cálice que ele tinha acabado de consagrado).

No final de sua vida, ele se trancou em silêncio total. Mas, este homem de oração e solidão-a solidão povoada com as multidões que se reuniram em torno dele, é uma sensação de doçura radiante e bondade inigualável que irá perdurar. Apesar do que o governo soviético moderno gostaria, o túmulo de Sérgio ainda é uma das mais freqüentadas e o local de peregrinação mais fervoroso em toda a Rússia, bem outdrawing que de VI Lênin, fundador da União Soviética.

Essas histórias de espiritualidade entre os crentes ortodoxos do Russes vêm apenas do período entre 988 e 1450; mais mil histórias poderiam ser contadas a partir deste mesmo período, para não mencionar os anos entre 1450 e hoje. Mas estes são, de alguma representante sentido. É claro que, com a exceção de Vladimir Monomach de, estas são histórias de espiritualidade monástica, e em grande parte deixar de mencionar a espiritualidade dos leigos e leigas da Russes. No entanto, estes contos devem ser suficientes para demonstrar que, para os ocidentais, pelo menos, um vasto tesouro praticamente desconhecida de exploração espiritual, e descoberta se encontra esperando para ser encontrado.
CRISTIANISMO RUSSO E DA REVOLUÇÃO: O QUE ACONTECEU?
 ImpressãoBaixar  A-AA +
por Andrew Sorokowski
A Rússia e os países eslavos circundantes ao mesmo tempo foram considerados entre os "mais cristão" das nações. Então, onde estava a igreja durante a revolução que fez a URSS ateísta?

Ele já foi conhecida como "Santa Rússia", uma terra de florescência com os edifícios da igreja multi-abobadadas tão associados ao eslavos orientais "Ortodoxia, uma terra grávida com a herança espiritual e fortemente em contato com as tradições mais antigas da fé. Mas por volta da virada do século 20, algo drástico aconteceu.

A NAÇÃO chefe da URSS, a República Socialista Soviética da Rússia, já foi considerado entre os "cristãos" a maioria das nações do mundo, uma terra com uma rica, história milenar de igrejas e mosteiros, a fonte de numerosos santos reverenciados e mártires, com um legado acarinhados e abundante da música sacra, iconografia e literatura espiritual. No entanto, dentro de menos de um ano depois de março de 1917, quando o último czar abdicou, um grupo de ateus militantes haviam tomado o poder; muitos russos estavam saqueando igrejas; estavam zombando da religião e as pessoas religiosas sem piedade; foram mesmo assassinando padres, monges e outros crentes aos milhares. O que tinha acontecido?

Para atribuir tudo a "Revolução" levanta a questão. Na verdade, não tinha sido mais do que uma revolução na Rússia, nas primeiras décadas do século 20. As revoltas anti-czarista de 1905 resultou em um governo constitucional com uma legislatura eleita, o Durma, e tinha início a um período de reforma liberal. A revolução de março 1917 viu a formação de um governo provisório composto principalmente por liberais moderados, embora com um número crescente de socialistas. Entretanto, nada disso directamente ameaçado a igreja ou religião.

REVIVAL, ENTÃO. . . REVOLUÇÃO!
Com efeito, durante esses anos, a Rússia estava experimentando uma espécie de renascimento espiritual. Muitos intelectuais marxistas desiludidos virou-se para o cristianismo. Alguns ansiava por uma revolução mística que iria transformar a própria vida. Um grupo, que publicou a coleção  Vekhi (Sinalização)  em 1909, criticou duramente o radicalismo de seus companheiros intelectuais. Entre seus membros eram o proeminente teólogo Sergei Bulgakov e o grande filósofo Berdiaev. Tanto dentro como fora da Igreja Ortodoxa Russa, escritores, artistas e outros membros das florescentes intelligentsia russos estavam procurando respostas espirituais para os problemas do indivíduo e da sociedade.

Para as Igrejas Ortodoxas no Império Russo, a abdicação do czar foi uma oportunidade de se libertar do controle do Estado. Assim, o clero, hierarquia e outros representantes dos crentes realizou um  sobor , ou conselho, que restabeleceu o patriarcado que havia sido suprimida pelo czar Pedro, o Grande, em 1721. A Igreja Ortodoxa Russa (ROC) parecia prestes a entrar numa nova era gloriosa .

Como, então, poderiam os bolcheviques-um partido pequeno, conspirativo determinado a esmagar a Igreja e acabar com a religião-assumir o vasto império em novembro de 1917 e transformá-lo em primeiro estado ateu do mundo?

Certamente não foi sem luta. Os bispos ortodoxos e politans metro estavam perfeitamente a par dos objectivos dos bolcheviques. Em janeiro de 1918, o patriarca recém-eleito, Tikhon, alertou o novo regime de não perseguir a igreja, e excomungou todos os que podem estar envolvidos em tal atividade. Durante os próximos dois anos, pelo menos 28 bispos e inúmeros sacerdotes foram assassinados. O clero sobreviventes foram despojados de seus direitos civis e submetido a pressão econômica intensa.

Quanto à massa de crentes, aqueles que tinham quaisquer opiniões políticas claras tendem a simpatizar com os democratas constitucionais, ou, no caso dos camponeses que compunham a maioria da população, com os socialistas-não agrárias moderadas com os bolcheviques. Mas em um país tão longínquo, pobre e predominantemente rural, a maioria das pessoas tinha pouco conhecimento ou preocupação para a política, e até mesmo menor influência política. Para assumir o controle, os bolcheviques não precisa convencer a maioria da correção de seus pontos de vista. Era mais uma questão de assumir o controle das principais cidades, o exército e os meios de comunicação; isso que fizeram com implacável eficiência.

No entanto, é preciso uma guerra de três anos civis para que eles re-conquistar a maior parte do antigo império russo e criar a nova federação socialista, conhecido desde 1922 como a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Neste conflito, muitos sacerdotes e bispos ROC apoiou os anti-Bolshevi exércitos brancos, embora já em setembro 1919 Patriarca Tikhon advertiu seu clero para ficar fora da política, e lembrou aos fiéis que a Igreja não impôs obrigações políticas sobre eles.

UMA IGREJA UNPREPARED
O ROC não parecem ter abelha realmente preparado para o ataque bolchevique. Por quase dois séculos que tinha sido trammeled pelo Santo Sínodo, órgão do Estado criado para supervisionar a igreja. Não só foi o ROC intimamente ligada com o estado-lo tornou-se praticamente uma parte da burocracia. Fechar identificação entre Igreja e Estado foi a política de Konstantin Pobedonostsev, um leigo que dirigiu o Santo Sínodo de 1889 a 1905. Ele viu isso, essencial para um governo forte expressa. Mas isso impediu o ROC de desenvolver vida livre ou que exerçam uma autoridade independente e, portanto, credível-moral. Além disso, o ROC não conseguiu preparar adequadamente seu clero para enfrentar os desafios filosóficas do dia. Demasiadas vezes ele foi visto, não totalmente imprecisa, como uma instituição de obscurantista e reacionário.

Mas, em um império que era apenas metade etnicamente russa, o ROC estava na maior das diversas igrejas cristãs e da revolução afetou cada um deles de forma diferente. A Revolução de Março proporcionou uma oportunidade para outros povos predominantemente ortodoxos, como os bielo-russos e ucranianos, para reviver suas próprias igrejas tradicionais, que tinham sido suprimidos por czares.

Os evangélicos e batistas (cujas notável crescimento no século 19 tinha sido em parte devido à sua forte conhecimento das Escrituras, mas que havia sido impiedosamente perseguidos pelo governo) também se beneficiou da revolulion-em primeiro lugar. Os bolcheviques inicialmente tolerado esses movimentos porque eles tendem a enfraquecer a Igreja ortodoxa estabelecida. Mais tarde, é claro, eles iriam tentar destruí-los também.

AS MASSAS E O PARTIDO
A maioria dos camponeses, ou seja, a maioria da população da Rússia-permanecem, passiva durante a revolução e da guerra civil. A vida era precário o suficiente, e opondo-se a qualquer autoridade, czarista ou bolchevique, era perigoso. Também foi dito que a tradição ortodoxa russa deu uma cepa de fatalismo e outro mundanismo que tornou tudo muito fácil para os ímpios para assumir assuntos seculares.

É claro que os bolcheviques se encontrar apoiadores ativos. Por um lado, a piedade lendária do camponês russo tem sido um pouco exagerado. Na segunda metade do século 19, niilistas e incursões radicais populistas, tinha feito no campo, muitas vezes jogando em cima do anti-clericalismo latente do camponês.

Além disso, o padre da aldeia, geralmente um próprio camponês, nem sempre foi um objeto de veneração. No entanto devotos os moradores possam ser, eles só podiam ver um mal educado, por vezes, padre moralmente corrupto, que normalmente tinha nascido em seu estado, tanto quanto chamado a ele, como meramente seu igual, se não o seu inferior.

Serviços no idioma eslavo eclesiástico, que as pessoas mal podia entender, dificilmente satisfeito suas necessidades intelectuais, e sem educação adequada que poderiam receber pouco alimento espiritual dos rituais altamente formais da Igreja. Além disso, uma instituição que representava o regime autocrático foi automaticamente suspeito para muitos.

Assim, até mesmo os cristãos piedosos poderia tornar-se alienado da ROC. Isso não torná-los bolcheviques, mas pode torná-los cúmplices involuntários na luta contra a religião.

Na verdade, os bolcheviques saudou os cristãos que, pensando sua fé foi de alguma forma compatível com o marxismo, o desejo de cooperar. Estas almas bem intencionadas parecem ignorar que as noções cristãs de moralidade eram incompatíveis com o credo bolchevique, porque o marxismo ensinou que a moral foram condicionadas pelas relações sócio-econômicas.

Quando as condições mudou, mudou também a moral. Moralidade era relativa, não absoluta. Nem poderia os imperativos da luta de classes ser dificultada por escrupuloso "moral burguesa." Pode-se dizer que o fim justifica os meios-se houvesse qualquer necessidade de justificação. Na verdade, sua atitude para com os seus simpatizantes cristãos sintetizou moralidade dos bolcheviques. Eles aparentemente calculou que uma vez que esses "companheiros de viagem" tinha descoberto a contradição inerente à sua posição, poucos teriam a coragem de renunciar marxismo em favor de um cristianismo cada vez mais desfavorecida.

Ao mesmo tempo, a pobreza brutal do russo vida da aldeia também deve ter ganhado apoio ativo aos bolcheviques. Afinal de contas, o governo provisório liberal-democrática só  falou  sobre a tomada de terras dos latifundiários ricos e dando para os camponeses; os bolcheviques encorajou-os a ajudar a si mesmos. E, infelizmente, uma das maiores proprietárias de terras passou a ser a Igreja.

Os bolcheviques fizeram o seu melhor para propagar a imagem da Igreja como um explorador rico, mesmo virando piedade da Igreja contra ele. Quando a fome eclodiu em 1920-1921, a hierarquia ortodoxa russa rapidamente criar um fundo de alívio e contribuiu generosamente para isso. No entanto, a Igreja isentos das coleções de seus objetos sacramentais, como os cálices utilizados no culto divino. Aproveitando isso, os bolcheviques organizaram seu próprio esforço de ajuda, em seguida, comandou a Igreja a entregar os objetos sacramentais também. Quando ele se recusou, eles colocaram vários homens da igreja em julgamento por se recusar a ajudar os famintos.

Um grupo de apoiantes bolcheviques surgiu dentro da própria Igreja. Durante o final do século 19, os seminários ortodoxos russos haviam se tornado focos de radicalismo. Muitos jovens sacerdotes haviam abraçado as idéias socialistas, que foram reforçados por seu ressentimento de seus superiores imediatos, os bispos, assim como por sua desaprovação do papel social e político da sua Igreja. Eles se juntaram a intelectuais que tinham abandonado o marxismo, mas procurou combinar o cristianismo com uma ética social radical.

Na esteira do bolchevique take-over alguns destes ativistas formaram a Igreja renovacionista. Vendo a sua oportunidade, os bolcheviques manipulado e, eventualmente, assumiu o controle do movimento renovacionista, usando-a para enfraquecer o mainstream Igreja Patriarcal. Mas, em seguida, do ROC Patriarca Tikhon morreu, e seu sucessor, o Metropolitan Sergii, foi persuadido em 1927 para declarar a lealdade de sua Igreja ao estado soviético. Depois disto, os bolcheviques não tinha mais utilidade para os renovacionistas, e suprimiu-los.

Mas mesmo se a manipulação de simpatizantes ajudou os bolcheviques assumir, o que tornou possível para eles manter em? Era uma coisa para eles usarem o exército ea polícia para esmagar toda a oposição ativa. Mas como eles poderiam conquistar as almas dos cem milhões de crentes cristãos? Ou eles fizeram?

VERDADEIROS CRENTES?
Não há uma resposta certa para esta pergunta. De acordo com uma teoria, marxismo-leninismo foi um substituto da religião que tomou o lugar da Ortodoxia nos corações e mentes das pessoas. Com Marx, Engels e Lenin como "profetas",  Capital  e outros escritos como sua "escritura", com o materialismo dialético como sua "teologia" e do Partido Comunista como o seu "sacerdócio", marxismo-leninismo era uma fé secular ready-made. Com propaganda hábil e uma boa dose de coerção, os bolcheviques simplesmente "convertidos" as pessoas de uma ortodoxia para outro. Acostumado a obediência inquestionável, as massas aquiesceu.

Embora possa ser verdade que marxismo-leninismo está em vigor a religião oficial do Estado soviético confessional, esta teoria tende a exagerar o sucesso dos comunistas. Mesmo hoje em dia, eles ainda estão tentando substituir rituais ortodoxos com ritos soviéticos artificiais. Na verdade, apesar dos terrores stalinistas dos anos 1920 e 30, o cristianismo não foi suplantada com o novo credo Soviética, exceto nas mentes dos poucos membros e simpatizantes do partido.

Mesmo no meio da revolução, a freqüência à igreja foi elevada. Martírio aumentou o prestígio da Igreja. Mais tarde, a maioria das Igrejas Ortodoxas simplesmente passou à clandestinidade, onde os julgamentos das catacumbas revitalizou a fé. Hoje, os ateus convictos ainda são apenas uma fração da população.

Enquanto a maioria parece indiferente à religião e ateísmo, alguns estudiosos estimam que até 45 por cento das pessoas na URSS são crentes religiosos. Isso inclui cerca de 50 milhões Ortodoxa, talvez até três milhões de evangélicos batistas, cerca de 10 milhões de católicos, e dezenas de milhões de muçulmanos e pessoas de outras religiões não-cristãs.

Um indicador da força do cristianismo no estado soviético militantemente ateu foi a decisão do governo de restabelecer o Patriarcado caducado da Igreja Ortodoxa Russa em 1943, em troca de apoio deste último, o esforço de guerra soviético e da nova política nacionalista russo. Este ato, no entanto, reviveu a tradicional aliança entre Igreja e Estado-uma parceria benéfica para a hierarquia, mas, sem dúvida, prejudicial para a fé. Na verdade, os principais hierarcas estão do lado mais de uma vez com ateu de funcionários contra sacerdotes excessivamente ativos e populares. E para muitos ucranianos, celebrações do milénio, sancionados pelo governo este ano, mas são outro produto dessa aliança "profana" entre clérigos e os comissários.

DILEMA DA IGREJA
A parceria desigual e desconfortável entre Igreja e Estado deixa crentes rank-and-file em um dilema. Para desafiar os hierarcas poderia dividir a Igreja, mas a seguir a sua linha política atinge muitos como hipócrita. A clivagem resultante entre a Igreja institucional e da massa de crentes é, naturalmente, apenas o que os bolcheviques ordenada. Pois foi por essas técnicas de "dividir e conquistar" que eles foram capazes de subjugar o Império Russo esmagadoramente cristão.

Eles enfraqueceram a Igreja por dentro, jogando fora de leigos contra o clero, clero contra a hierarquia. Eles comprometido a Igreja aos olhos dos fiéis aterrorizando os bispos na fidelidade a um estado ateu. E depois do terror dos anos 30 que tentou minar o reavivamento espiritual-se-ia dizer a verdadeira revolução, interior nas almas das pessoas, por sustentar um estabelecimento igreja conservadora e statebound sem vida.

A história triste e desconcertante de take-over dos bolcheviques de terra cristã traz várias lições para nós hoje, lições muito numerosos um multi-facetada mais do que pode ser discutido neste breve espaço. Eles incluem:

Igrejas devem estar preparados para enfrentar o desafio intelectual do marxismo e outras ideologias seculares, especialmente na esfera sócio-econômico; por um lado, eles não devem ser passivo ou inconsciente de desenvolvimentos políticos; por outro, não deve ser chamar à aliança facile com os movimentos de forma latente anti-cristãs; eles devem recebê-reforma a partir de dentro, mas resistir a manipulação de fora ea lista continua.

A lição final poderia ser: Os soviéticos estiveram no poder por pouco mais de 70 anos, cerca de dois terços de um século e nesse tempo gerações graves de lhes ter realizado radicalmente esforços violentos e persistentes para extinguir a fé cristã em seu reino. No entanto, hoje, a sobrevivência do cristianismo na URSS, sim, até mesmo o florescimento de it-é reconhecido pela maioria da comunidade internacional, incluindo muitos soviéticos. E não é de surpreender.

Afinal de contas, o cristianismo tem sido a religião dos eslavos orientais por pelo menos mil anos-10 séculos. Com essa comparação em mente, os cristãos podem ver o domínio soviético como apenas mais uma tentativa de passagem, que em breve será transformado.
SITUAÇÃO RELIGIOSA HOJE DA UNIÃO SOVIÉTICA
 ImpressãoBaixar  A-AA +
por Brad Gillispie
O governo soviético relata que a religião é definitivamente em declínio na URSS. E dado o assédio persistente do Estado, é de se esperar que, mas fontes confiáveis ​​dizem que não é assim.

Desde os primórdios da URSS, a religião não tem resistido em terreno movediço. A ideologia comunista diz que a religião pode ser usado ou abusado, dependendo do que melhor se adapta às extremidades do estado. Com essa ambivalência aumentando a complexidade das relações Igreja-Estado na URSS, o que realmente é a situação hoje?

A relação que existe hoje entre o governo soviético e os grupos religiosos dentro de seus territórios, apesar de algumas aparições recentes da concórdia em torno das celebrações do milénio, é na verdade um ainda caracterizado por incertezas constantes, hostilidades frequentes, desconfiança mútua e muito "sangue ruim". O observância do milênio trouxe uma calma aparente na superfície da água, mas de acordo com várias fontes, ela tem realmente feito pouco para garantir alguma regularidade nas correntes imprevisíveis abaixo.

No entanto, a religião é, obviamente, ainda uma parte importante da vida de milhões de cidadãos soviéticos. De acordo com estimativas recentes do Conselho soviético de Assuntos Religiosos (a organização do Estado que monitora todas as atividades religiosas na URSS), os crentes religiosos compõem entre 10 e 20 por cento da população. Com uma população de mais de 283 milhões, isso seria colocar o número total de crentes religiosos, entre 28 e 56 milhões.

BEM, ISSO DEPENDE
As afiliações religiosas predominantes de cidadãos soviéticos variar em república. Ortodoxia é a religião predominante na Rússia, Arménia, Bielorrússia, Geórgia, Moldávia e Ucrânia; crentes nos Estados Bálticos da Estónia e Letónia são predominantemente luterana; A Lituânia é fortemente católica; e as repúblicas do Oriente Médio do Azerbaijão, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Uzbequistão e turcomanos são quase totalmente muçulmano. Além disso, um grande número de batistas, pentecostais, adventistas do sétimo dia, as Testemunhas de Jeová e os judeus estão espalhadas por todo o país.

Em uma entrevista recente, Konstantin Kharchev, presidente do Conselho de Assuntos Religiosos (CRA), divulgou os dados oficiais sobre o número de comunidades religiosas ou seja, igrejas ou sinagogas-na União Soviética. De acordo com o relatório, a maioria das confissões religiosas sofreram declínios desde 1971 (ver gráfico).

Mas, enquanto seus números mostram um declínio, eles realmente levantar mais perguntas sobre a situação do que respostas. Em alguns casos, por exemplo, com as Testemunhas de Jeová, os números incluem congregações que não são oficialmente registrados com o governo. No entanto, algumas denominações não registrados, como os católicos ucranianos ", o que é proibido na União Soviética, não são mencionados em tudo, ainda são numerosos demais para ser incluído na categoria" outros ". O governo calcula que o número de congregações batistas em 2976. No entanto, os batistas próprios reivindicam mais de 5.000 congregações registradas, além de cerca de 2.000 congregações não registrados.

O governo soviético tem a palavra final sobre se uma congregação pode ser legalmente registrada. Muitas congregações, incluindo toda a denominação católica ucraniana, vêm tentando há anos para se registrar com o CRA-mas ​​eles foram negados inscrição. Devido a esta disposição, o CRA pode facilmente controlar a contagem oficial de igrejas.

Este desejo de controle tipifica a atitude do governo soviético em relação a grupos religiosos na União Soviética. A igreja não é forçada a escolher entre se registrar com o governo e permitindo uma certa quantidade de interferência em seus assuntos, ou recusando-se a registar-se e correr o risco de multas e prisões por violar a lei soviética contra atividades religiosas não registradas.

O millenium celebração endossado pelo governo é um exemplo de tentativa dos soviéticos para manipular a religião para seu próprio ganho. Voltar em 1986, secretário-geral Mikhail Gorbachev e do Politburo soviético indicou a intenção de minimizar a importância do milênio e não permitir que todas as celebrações.

Agora, sob a bandeira da nova política de  glasnost , Gorbachev eo Politburo estão apoiando oficialmente celebrações programadas da Igreja Ortodoxa Russa. No entanto, essa mudança não por qualquer meio indicam que o governo, de repente, adotou uma postura pró-religião. O ateísmo ainda é um princípio básico do marxismo, e Gorbachev, apesar das referências que ele fez para Deus enquanto em Washington para a cimeira de 1987, tem em outras ocasiões deixou claro que ele ainda se opõe à religião em geral.

Assim, o que  glasnost  significa, na prática não é, obviamente, o mesmo que a sua definição Inglês comum de "abertura", sugere. Na verdade, a sua tradução literal é algo mais parecido com "publicidade" e alguns soviéticos realmente disse observadores americanos que  glasnost  principalmente para o Ocidente um programa de relações públicas para fazer americanos e europeus ocidentais pensam que os soviéticos mudaram a sua posição sobre o ser humano e direitos religiosos.

MUDANÇA PROFUNDA OU SUPERFICIAL?
No entanto, cristã ocidental deve ser grato pelas oportunidades de ministério que surgiram por causa da  glasnost  e da celebração do milênio. Embora o milênio é essencialmente uma celebração ortodoxa, as restrições de relaxamento governamentais simultâneas geralmente se aplica a maioria das denominações cristãs na União Soviética. Parece que os mais altos níveis do governo soviético estão se esforçando para apresentar aos olhos do mundo uma relação de trabalho civilizado e cordial entre o governo e as suas comunidades religiosas.

Por exemplo, os soviéticos tem colocado a Igreja Ortodoxa 100.000 recém-Bíblias impressas, e deram o todo-União Conselho de Igrejas Evangélicas-cristãos batistas permissão para importar mais de 115.000. Além disso, o governo permitiu que pelo menos 29 igrejas ortodoxas para reabrir dentro dos últimos três anos, e homens da Igreja, geralmente visto nem ouvido nos meios de comunicação, de repente se tornaram vozes respeitáveis ​​nos jornais soviéticos e televisão.

Os cristãos, como crente ortodoxo Alexander Ogorodnikov, que foi liberado do campo de trabalho, em 1987, depois de cumprir oito anos de atividades religiosas, escreveram cartas aos líderes soviéticos pedindo mudanças nas leis contra a religião e não ter ainda sido penalizado por tal audácia.

Muitos crentes ganharam libertação antecipada de campos de trabalho e hospitais psiquiátricos. E muitas famílias cristãs estão sendo dadas vistos de saída para deixar a União Soviética e que vivem no Ocidente.

Mas, no fundo, as perseguições contra os cristãos locais ainda ir em frente. Nos últimos meses, a milícia rompeu serviços de igrejas não registradas em nada menos do que 13 cidades. Os proprietários das casas onde foram realizados os serviços foram multados em 100 rublos, ou cerca de metade do salário de um mês. Um cristão, dentro de um período recente de dois anos, foi multado em 3.000 rublos, ou pagar total de 15 meses.

As bases jurídicas para essas perseguições são leis aprovadas por Josef Stalin em 1929. Estes estatutos ilegais todas as atividades religiosas, exceto no culto de domingo em igrejas registradas. Embora o governo soviético agora práticas não-cumprimento seletivo dessas leis, é importante que eles ainda estão nos livros. Houve uma conversa de que revoga a legislação de 1929, mas, até agora, que a conversa não foi apoiada por quaisquer ações definitivas.

De acordo com essas leis, é ilegal para ensinar os menores a respeito de Deus. Escolas dominicais são contra a lei, as crianças não podem, legalmente, ir à igreja, e os pais não podem, legalmente, ensinar os filhos a respeito de Deus, mesmo em suas próprias casas. Sob a nova atmosfera na União Soviética, muitas crianças e jovens já freqüentam a igreja. Mas ainda é ilegal, e é incerto quando ou se o governo soviético vai parar de girar a vista grossa para essas atividades e começar a fazer cumprir as leis de novo.

O milênio trouxe muitas mudanças positivas na atmosfera da União Soviética. Mas só o tempo dirá se essas oportunidades são para ser permanente, ou se eles serão retirados quando a excitação sobre o milênio morre para baixo e os olhos do Ocidente olhar longe da religião Soviética. CH
O QUE A CONSTITUIÇÃO SOVIÉTICA DIZ SOBRE LIBERDADE E RELIGIÃO
 ImpressãoBaixar  A-AA +
pelos Editores
A União Soviética promete seus cidadãos a liberdade de consciência e de religião.

A CONSTITUIÇÃO DA UNIÃO SOVIÉTICA promete seus cidadãos a liberdade de consciência e de religião, como é óbvio nesta declaração do artigo 52 da Constituição Soviética:

"Os cidadãos da URSS são garantidos a liberdade de consciência, isto é, o direito de professar ou não professar qualquer religião, e para conduzir a adoração religiosa ou propaganda ateísta."
É claro que ele não mencionar aqui que o governo vai fomentar a produção de propaganda ateísta, enquanto assediar aqueles que preferem conduzir o culto religioso. Isso seria retirar a máscara de objetividade governamental que o governo soviético seria assim gostaria de manter. Mas a falsidade escondida de tal garantia da liberdade logo fica claro como se examina outros artigos da Constituição Soviética, que mostram como o sistema político soviético era tão aberta a leis-reprimindo religião como os de Josef Stalin.

Do artigo 6º: " A liderança e força orientadora da sociedade soviética  e o núcleo de seu sistema político, de todas as organizações estatais e organizações públicas,  é o Partido Comunista  da União Soviética. . . . O Partido Comunista. . . determina. . . o curso da política interna e externa da URSS, dirige o grande trabalho construtivo do povo soviético, e confere um caráter planejada, sistemática e teoricamente fundamentada à sua luta para a vitória do comunismo ".

Do artigo 3º: " O Estado soviético está organizada e funciona com base no princípio do centralismo democrático  . . . . O centralismo democrático combina liderança central com a iniciativa local e atividade criadora. . . . "

A partir do artigo 39: "Prazer por cidadãos dos seus direitos e liberdades  não deve ser feita em detrimento do interesse da sociedade ou do Estado. "

A partir do artigo 59: "exercício de seus direitos e liberdades dos cidadãos é inseparável do exercício das suas funções e obrigações."

"Os cidadãos da URSS são obrigados a respeitar a Constituição da URSS e as leis soviéticas, em conformidade com as normas de conduta socialista, e defender a honra e dignidade da cidadania soviética".


Finalmente, a partir do artigo 50, uma declaração de que ecoa a Constituição, exceto dos Estados Unidos para algumas adições cruciais: "De acordo com os interesses do povo e  , a fim de reforçar e desenvolver o sistema socialista , os cidadãos da URSS são garantidos a liberdade de expressão , de imprensa e de reunião, reuniões, procissões de rua e de demonstralinn "[ todos os itálicos acrescentados-Eds .]]

fonte 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.