sábado, 1 de novembro de 2014

BIOGRAFIA JOHN COTTON 1584-1652



                  BIOGRAFIA DE JOHN COTTON INGLES

                          PATRIARCA NA INGLATERRA

John Cotton é lembrado como "o patriarca da Nova Inglaterra." Ele nasceu em Derby em 04 de dezembro de 1584, filho de um advogado, Roland de algodão, e Maria Hurlbert. Seus pais eram simpáticos ao puritanismo. Algodão entrou para o Trinity College, em Cambridge, com a idade de treze anos, graduando-se com um grau de bacharel em 1603. Ele ainda não foi convertido. Ele disse mais tarde que ele interiormente se alegrou quando ouviu os sinos da morte de pedágio para William Perkins, de forte pregação de Perkins sobre o pecado humano e julgamento divino "sitiou e sitiada coração [do algodão]."
Cotton tornou-se um companheiro no mais Puritanminded Emmanuel College, em Cambridge, sob Laurence Chaderton, onde obteve seu mestrado em 1606. Durante os próximos seis anos, de acordo com o seu amigo e biógrafo, Samuel Whiting, algodão era "cabeça palestrante e reitor, e catequista ", e" um tutor diligente para muitos alunos. "No meio desses anos, Cotton foi convertido sob o ministério de Richard Sibbes, cujos sermões o convenceu de que ele tinha vindo a construir a sua salvação na capacidade intelectual, em vez de somente em Cristo . Através de sermões Sibbes "sobre a regeneração, Algodão abraçou promessas de salvação de Deus.
A conversão de algodão teve consequências privadas e públicas, porque ele não podia mais usar o estilo elegante púlpito que tinha outros impressos. Negando suas inclinações naturais, ele optou por método de pregação estilo simples de Perkins.
Algodão obtido um diploma de Bacharel em Teologia no Emmanuel College, em 1610, e nesse mesmo ano foi ordenado em Lincoln. Em 1612, tornou-se vigário da grande igreja paroquial de São Botolph em Boston, Lincolnshire, na idade de vinte e sete, e lá permaneceu por vinte e um anos. De acordo com Cotton Mather, algodão foi trazido para a plena certeza de fé no dia em que se casou com Elizabeth Horrocks, logo após a sua instalação no St. Botolph. Naquele dia, Mather disse, Cotton "recebeu o primeiro que a garantia do amor de Deus para a sua própria alma, pelo Espírito de Deus, aplicando eficazmente a promessa da graça eterna e vida para aquele que felizmente manteve com ele todo o resto de seus dias; por esta causa, ele iria depois costumam dizer, 'Deus fez naquele dia, um dia de casamento duplo para mim!' "(Magnalia, 2: 237).
Durante seus anos em St. Botolph, Não-conformidade de algodão custou-lhe breves suspensões de seu ministério em 1615 e 1621, mas as suas relações de apoio com seus bispos diocesanos ea comunidade Boston ajudou a levantar essas suspensões. A pregação de Algodão (duas vezes no sábado, assim como no início da manhã às quintas-feiras e sextas-feiras e nas tardes de sábado) e ministério derrotou a facção arminiano local, ajudou os crentes reformados crescer na graça e no conhecimento de Cristo, e ajudou inúmeros colegas e estudantes de teologia que eram atormentados por políticas dos bispos ou estavam buscando uma compreensão mais profunda várias doutrinas. Por exemplo, James Ussher falou longamente com algodão sobre a doutrina da predestinação. John Preston tinha seus estudantes de teologia completar sua preparação ministerial com algodão. William Ames enviou alguns estudantes alemães de Algodão de Franeker. Outros estudantes do continente, como Maximiliaan Teellinck (o filho mais velho de Willem Teellinck, pai da Segunda Reforma holandês), veio morar e estudar com algodão. John Norton, que viria a ser o sucessor de algodão em Boston, Nova Inglaterra, e seu primeiro biógrafo, disse que "Cotton respondeu muitas cartas que foram enviadas longe e de perto, em que foram tratados muitos casos difíceis de consciência, e muitas dúvidas por ele liberado para a maior satisfação "(Abel sendo morto, ainda fala, 1658).
Anthony Tuckney, um primo da mulher de algodão, foi nomeado assistente de algodão em 1629. Tuckney acabaria por suceder algodão em St. Botolph e também serviria como um membro da Assembléia de Westminster. O timing foi providencial, para o ano seguinte, tanto de algodão e sua esposa foram desativados por um ano a partir da malária. Elizabeth morreu com ele em 1631.
Teófilo Clinton, quarto conde de Lincoln, sediou os Cottons, enquanto eles estavam doentes. Em sua mansão, algodão tornou-se bem informados sobre a colonização da Nova Inglaterra. Seu interesse já havia sido despertado, como pode ser visto no sermão de despedida, ele pregou a companhia de John Winthrop pouco antes de eles partiram para a América.
Após a morte de sua esposa, Cotton viajou por toda a Europa enquanto se recuperava. Cada vez mais, ele percebeu o quão bom ele e sua igreja tinha em meio à crescente perseguição eclesiástica de não-conformidade. Mas a vez de algodão a sofrer opressão viria logo. Pouco depois ele se casou com Sarah Hawkridge, viúva de John Story, em 1632, Cotton foi intimado a comparecer perante o Tribunal do Alto Comissariado de William Laud. Ele escapou, no entanto, para Londres, onde permaneceu escondido durante vários meses, enquanto contemplava seu futuro. No caminho para Londres, ele consultou o venerável John Dod, que disse: "Eu sou velho Pedro, e, portanto, deve estar ainda, e suportar o peso; mas você, sendo jovem Peter [Cotton já estava Fortyseven anos], pode ir para onde quiser, e deveria, ser perseguida em uma cidade, para fugir a outra. "
Thomas Goodwin e John Davenport tentou persuadir Cotton que conformando não era um mal, mas em suas discussões Cotton realmente convenceu-os de que a conformidade não era mais uma opção. Cotton estava profundamente interessado na colonização da Nova Inglaterra desde o seu início através de sua amizade com John Davenport e John Winthrop. Iludindo o relógio definido por ele em vários portos ingleses, ele emigrou para a colônia da baía de Massachusetts em julho 1633 com seu colega, Thomas Hooker. Ele chegou em Boston no início de setembro.
Algodão foi recebido com alegria em Nova Inglaterra e rapidamente dada a posição mais importante na maior igreja da colônia. Em 10 de outubro, ele foi escolhido para ser professor da Primeira Igreja de Boston, da qual John Wilson (1588-1667) era pastor. No primeiro ano do ministério de algodão, a igreja tomou em 117 novos membros. Winthrop, comentou: "Mais foram convertidos e acrescentou que a igreja do que todas as outras igrejas na Bay" (Journal of John Winthrop, p. 106).
O algodão era muito popular em Boston. Sua influência, tanto na eclesiástico e em assuntos civis, foi provavelmente maior do que a de qualquer outro ministro da Nova Inglaterra na época. De acordo com o historiador William Hubbard, "O que quer que ele entregue no púlpito foi logo colocado em uma ordem de tribunal, se de natureza civil, ou configurar como uma prática na igreja, se de um concernment eclesiástica." Vernon Parrington comentou ", O New England que a geração imigrante legou aos seus filhos deu em cima dele as marcas de modelagem a mão de John Cotton mais claramente do que as de qualquer outro ministro "(Main Currents em Americana Pensamento, p. 27).
Algodão tomou parte ativa em três grandes controvérsias teológicas e políticas de seu tempo. Primeiro, ele estava no centro da polêmica antinomian que giravam em torno Anne Hutchinson. Hutchinson, que havia seguido do algodão para o Novo Mundo e para Boston, afirmou a aderir a ênfase de algodão no primário da graça e da soberania divina na conversão, e acusou todos os outros ministros da Nova Inglaterra (exceto seu CUNHADO recém-chegado, John Wheelwright) de pregando um pacto de obras, em vez de o pacto da graça. Entusiasticamente abraçar a doutrina da revelação imediata, ela afirmou que a segurança da fé é vivida por sentimentos internos do testemunho imediato do Espírito Santo e não a evidência de boas obras. Ela minimizou assim a necessidade de santificação e para a lei como uma regra de vida. Esta mulher talentosa atraiu muitos fiéis em sua bolsa e conseguiu fazer com que o atrito entre algodão e outros ministros, até o ponto de que alguns dos ministros, especialmente Thomas Shepard, começou a questionar a ortodoxia de algodão. Algodão inicialmente parecia apoiar Hutchinson e algumas de suas idéias, particularmente a ênfase exagerada clerical sobre a santificação como prova de eleição e em preparacionismo. Algodão abraçou claramente essas duas doutrinas, mas se sentiu desconfortável com a quantidade de ênfase que recebiam entre o clero da Nova Inglaterra.
Vistas aberrantes de Hutchinson foram gradualmente trazidos à tona, no entanto, e quando ela abertamente entrou em misticismo, Cotton lado dos outros ministros contra ela. Isso tornou-se evidente quando colegas clérigos de algodão presenteou-o com uma lista de perguntas para esclarecer seu ponto de vista em relação a Hutchinson, após o qual o Sínodo detalhados uma lista de erros Hutchinsonian. A polêmica terminou dramaticamente com julgamento e condenação de Hutchinson tanto pelo Tribunal Geral da colônia e pela igreja de Boston, o que levou à sua expulsão da colônia.
Em segundo lugar, Cotton debatido amplamente com Roger Williams em questões como a separação entre Igreja e Estado ea liberdade de consciência individual. Williams afirmou que o precedente bíblico para a autoridade espiritual do estado não era mais válido após a vinda de Cristo, porque ele só tinha sido simbólico. Cotton respondeu que tal argumento poderia ser usado para negar sanção divina de todo o governo civil. Algodão também rejeitou tentativa Williams 'para negar o poder religioso do estado, porque ele acreditava que, sem que o poder não pode haver reforma. Se Williams teve seu caminho, Cotton fundamentado, não haveria meios eclesiásticos para erradicar a heresia, o que seria tentar a Deus para destruir toda a sociedade. Cotton acredita que a punição para a falsa doutrina, no entanto acreditava sinceramente, era permitido após várias admoestações, para então, ter sido melhor instruído, "não é perseguido por causa da consciência, mas por pecar contra sua própria consciência." Cotton tentou afastar banimento de Williams, mas em última análise, aprovou-o como "justos aos olhos de Deus." Em última análise, o seu banimento foi um grande alívio para quase todos os interessados.
Em terceiro lugar, em 1646, o algodão era um de uma comissão de três escolhidos para enquadrar um modelo de governo da igreja. A escolha não foi surpresa para ele já tinha escrito O Caminho das Igrejas de Cristo na Nova Inglaterra (1641) e As Chaves do Reino dos Céus, eo poder (1644). Esses livros, que passou por várias impressões, foram amplamente utilizados pelos Independentes na Assembléia de Westminster. Depois de ser atacado por Robert Baillie, um participante escocês, que defendeu uma solução Presbiteriana para a Inglaterra, Cotton respondeu em 1648 com o seu Caminho de Igrejas Congregacionais Cleared, no qual ele apresentou New England Congregationalism como volante entre independência rigorosa e presbiterianismo. Todos estes escritos foram acompanhados com um apelo final para alojamento em determinadas consultas de algodão Destinadas ao Alojamento (1655). No New England ministro foi tão influente como algodão em promover a prática da igreja congregacional.
Cotton escreveu quase quarenta obras em sua vida, muitos dos quais nunca foram reimpressos. Seu catecismo, Leite para Babes (1646), ligado com o New England Primer, tornou-se um padrão para as crianças da Nova Inglaterra até o final do século XIX. Sua exposição sobre o décimo terceiro capítulo do Apocalipse (1655) tratou de assuntos milenares e, juntamente com o derramamento das Sete Taças (1642) e as igrejas Ressurreição (1642), opôs-se fortemente o catolicismo romano. Esses escritos e outros muitas vezes tocado em questões que ocorrem na Inglaterra com o qual Cotton sempre ficaram lado a lado.
Algodão foi igualmente conhecido por sua humildade semelhante à de Cristo. Por exemplo, quando um de seus paroquianos admoestou-o de que sua pregação tinha se tornado escuro ou apartamento, Cotton respondeu: "Ambos, irmão, pode ser ambos.: Deixe-me ter suas orações para que possa ser de outra forma" Esse tipo de humildade susteve em muitos conflitos. Ele também ajudou a manter a paz entre seus colegas e fê-lo muito influente na promoção da forma da Nova Inglaterra. Seja como um supervisor da faculdade de Harvard, ou escrever sobre questões do dia na Nova Inglaterra, como nos jardins e Confins da Batismo de Crianças (1647) e O canto dos Salmos a Portaria Evangelho (1646), de algodão era um líder entre os líderes e uma força imponente a ser reconhecida por qualquer que se opôs seus pontos de vista.
Algodão permaneceu em Primeira Igreja até sua morte, em 23 de dezembro de 1652. John Wilson estava ao seu lado em seus últimos momentos, orando para que Deus levante a luz de Seu semblante sobre o seu colega moribundos. Cotton respondeu: "Ele tem feito isso já, irmão." Em seguida, ele cometeu seus filhos a aliança da graça de Deus como sua porção que nunca falha, depois que ele pediu para ficar sozinha. Ele morreu poucas horas depois.

Cotton foi sobrevivido por sua segunda esposa, Sarah (que posteriormente se casou com Richard Mather), e vários filhos. Um filho, Seaborn, assim chamado porque ele nasceu em sua viagem para a América, se formou em Harvard e se tornou um ministro em Hampton, New Hampshire, para vinte e seis anos. Outro filho, John, Jr., tornou-se ministro em Plymouth, Massachusetts e Charleston, South Carolina. Ele pregou para os índios e revisado a tradução de John Eliot Bíblia. A filha, Mariah, casado Aumento Mather, e era a mãe de Cotton Mather. Aumentar e Cotton Mather, tanto observou teólogos da Nova Inglaterra, tomou o manto de algodão.
fonte www.bibleaguetrust.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.