sexta-feira, 31 de outubro de 2014

OS ARTIGOS SMALCALD


                               Os artigos Smalcald

                                           Prefácio

1] Uma vez que o Papa Paulo III convocou um Conselho no ano passado, para montar em Mântua sobre Pentecostes, e depois transferiu-de Mântua, de modo que ainda não se sabe onde ele vai ou pode corrigi-lo, e nós da nossa parte ou tiveram que esperar que seriam convocados também para o Conselho ou [a temer que iríamos] ser condenado unsummoned, eu estava direcionado para compilar e recolher os artigos da nossa doutrina [a fim de que ele pode ser simples] em caso de deliberação sobre o que e quão longe nós seria disposto e capaz de produzir para os papistas, e em que aponta que a intenção de perseverar e permanecer até o fim.

2] Tenho conformidade compilado estes artigos e os apresentou para o nosso lado. Eles também foram aceitos por unanimidade e confessou ao nosso lado, e isso foi resolvido que, no caso do Papa com seus adeptos nunca deve ser tão ousado como a sério e de boa fé, sem mentir e enganar, para realizar uma verdadeiramente livre [legítimo ] Conselho Cristão (como, aliás, seria o dever de fazer), eles ser entregue ao público, a fim de estabelecer o Confissão da nossa fé.

3] Mas, embora a corte romana é tão terrivelmente com medo de um Conselho Cristão livre, e evita a luz tão vergonhosamente, que tem [totalmente] removido, até mesmo daqueles que estão ao seu lado, a esperança de que ele nunca vai permitir uma livre Conselho, e muito menos que ela própria irá realizar um, whereat, como é justo, eles [muitos papistas] são muito ofendido e não têm pouca dificuldade em conta que [estão revoltados com esta negligência do papa], uma vez que eles percebem, assim, que o Papa preferiria ver toda a cristandade perecer e todas as almas condenadas do que sofrer ele próprio ou seus partidários para ser reformado ainda um pouco, eo seu [sua] tirania de ser limitada, no entanto, eu determinei entretanto a publicar estes artigos em impressão comum, de modo que , eu devo morrer antes de que haveria um Conselho (como eu espero e esperança, porque os patifes que fogem da luz e evitam o dia tomar as dores miseráveis ​​para atrasar e dificultar o Conselho), aqueles que vivem e permanecem depois de mim pode ter meu testemunho e confissão de produzir, além da confissão que tenho emitido anteriormente, em que até este momento eu respeitados, e, pela graça de Deus, vai cumprir.

4] Por que eu vou dizer? Como posso reclamar? Eu ainda estou vivendo, escrita, pregação e palestras por dia; [E] ainda não são encontrados esses homens maldosos, não só entre os adversários, mas também falsos irmãos que professam estar do nosso lado, como se atreve a citar meus escritos e doutrina diretamente contra mim, e deixe-me olhar no e ouvir, embora eles sabem muito bem que eu ensino o contrário, e como desejo de adornar seu veneno com o meu trabalho, e com o meu nome para [enganar e] enganar as pessoas pobres. [Meu Deus!] Ai de mim! o que primeiro vai acontecer quando eu morrer?

5] Na verdade, eu deveria responder a tudo, enquanto eu ainda estou vivo. Mas, novamente, como posso parar sozinho todas as bocas do diabo? especialmente daqueles (como todos eles são envenenados) que não quer ouvir ou perceber o que escrever, mas apenas se exercitam com toda a diligência como eles podem mais vergonhosamente perverter e corromper a nossa palavra em cada letra. Estes eu deixo a resposta diabo, ou pelo últimos ira de Deus, como eles merecem.6] , muitas vezes eu acho que o bom Gerson, que duvida que alguma coisa boa deve ser [escrito e] publicado. Se isso não for feito, muitas almas são negligenciadas que poderiam ser entregues; mas se for feito, o diabo está lá com malignos, línguas vilão sem número que Envenom e pervertem tudo, de modo que, no entanto, o fruto [a utilidade dos escritos] é impedida.7] No entanto, o que eles ganham, assim, é manifesto. Por enquanto eles mentiram tão vergonhosamente contra nós e por meio de mentiras, que pretendia manter o povo, Deus tem constantemente avançou Sua obra, e foi fazendo o seu seguinte cada vez menor ea nossa maior, e por suas mentiras causou e ainda faz com que sejam trouxe à vergonha.

8] Devo contar uma história. Havia um médico enviou aqui para Wittenberg da França, que disse publicamente diante de nós que seu rei estava certo e mais do que certo, que entre nós não há nenhuma igreja, nenhum magistrado, sem vida conjugal, mas todos vivem promiscuamente como gado, e cada um faz o que lhe agrada.9] Imagina agora, como é que aqueles que por seus escritos têm incutido tais mentiras grosseiras para o rei e de outros países como a pura verdade, olhe para nós naquele dia perante o tribunal de Cristo? Cristo, Senhor e Juiz de todos nós, sabe muito bem que eles mentem e têm [sempre] mentiu, sua sentença que, por sua vez, deve ouvir; que eu sei com certeza. Deus converter ao arrependimento aqueles que podem ser convertidos! Quanto ao resto, será dito, Ai, e, infelizmente! eternamente.

10] Mas, para voltar ao assunto. Eu, na verdade o desejo de ver um Conselho verdadeiramente cristã [montados algum tempo], a fim de que muitos assuntos e pessoas pode ser ajudado. Não que a gente precisa, para nossas igrejas são agora, pela graça de Deus, tão iluminada e equipada com a Palavra pura e uso correto dos Sacramentos, com o conhecimento dos vários chamados e de obras certas, que da nossa parte pedir para não Conselho, e em tais pontos não tem nada melhor para esperar ou esperar de um Conselho. Mas vemos nos bispados em todos os lugares tantas paróquias vagos e desoladas que o coração iria quebrar, e ainda nem os bispos, nem cânones importam como as pessoas pobres vivem ou morrem, para quem, no entanto, Cristo morreu, e que não são permitidos para ouvi-lo falar com eles como o verdadeiro pastor com suas ovelhas.11] Isto me faz tremer e temer que em algum momento ele pode enviar um conselho de anjos sobre a Alemanha totalmente nos destruir, como Sodoma e Gomorra, porque estamos tão desenfreadamente zombar dele com o Conselho.

12] Além desses assuntos eclesiásticos necessários, haveria também nas imobiliárias político inúmeras questões de grande importância para melhorar. Não é a discordância entre os príncipes e os Estados; usura e avareza ter estourado como uma inundação, e tornaram-se legal [são defendidos com um show de direita]; libertinagem, lascívia, extravagância no vestir, a gula, jogos, display inativo, com todos os tipos de maus hábitos e maldade, insubordinação de assuntos, de empregadas domésticas e trabalhadores, de todo o comércio, também as exações [e preços de venda mais exorbitantes] dos camponeses (e quem pode enumerar todos?) ter aumentado tanto que não pode ser corrigida por dez Conselhos e vinte dietas.13] Se tais assuntos principais das propriedades espirituais e mundanos como são contrários a Deus seria considerado no Conselho, eles teriam todas as mãos tão cheias que o jogo da criança e absurdo de vestidos longos [insígnia oficial], grandes tonsuras, cinctures amplas [ou faixas], chapéus ou maças episcopais ou cardeais ", e como malabarismo seria no tempo médio ser esquecido. Se primeiro tinha executado comando ea ordem de Deus no estado espiritual e secular, gostaríamos de encontrar tempo suficiente para alimentar a reforma, roupas, tonsuras e opas. Mas se queremos engolir tais camelos, e, em vez disso, a tensão em mosquitos, deixa os feixes de pé e julgar os motes, também pode de fato estar satisfeito com o Conselho.

14] Portanto, eu apresentei alguns artigos; pois temos sem isso tantas ordens de Deus para observar na Igreja, o Estado, e da família que nunca podemos cumpri-las. O que, então, é o uso, ou o que é o lucro que muitos decretos e estatutos que nela são feitas no Conselho, especialmente quando estes principais assuntos comandados de Deus não são nem considerado nem observado? Assim como se ele fosse obrigado a honrar o nosso malabarismo como uma recompensa do nosso trilhando os Seus mandamentos solenes sob os pés. Mas nossos pecados pesam sobre nós e fazer com que Deus não tenha misericórdia de nós; para não nos arrependermos, e, além disso, o desejo de defender toda abominação.

15] O Senhor Jesus Cristo, que tu mesmo convocar um Conselho, e entregar teus servos pelo teu glorioso advento! O Papa e seus adeptos são feitas para; eles terão nenhum dos Thee. Fazer Tu, então, ajudar a nós, que somos pobres e necessitados, que suspiram a Ti, e Te suplico fervorosamente, de acordo com a graça que Tu nos deu, através do Teu Espírito Santo, que vive e reina contigo eo Pai, abençoada para sempre. Amém.
 
 

A PRIMEIRA PARTE

Dispõe sobre os artigos Sublime Relativamente a Divina Majestade, como:

I. Que Pai , Filho , e Espírito Santo , três pessoas distintas em uma essência divina ea natureza , são um só Deus , que criou o céu ea terra.

II. Que o Pai é nascido de ninguém; o Filho do Pai; o Espírito Santo procede do Pai e do Filho.

III. Isso não é o Pai nem o Espírito Santo, mas o Filho se tornou homem.

IV. Que o Filho se tornou homem desta maneira , que ele foi concebido , sem a cooperação do homem , pelo Espírito Santo , e nasceu da pura , santa [ e sempre ] Virgem Maria. Depois Ele sofreu , morreu , foi sepultado , desceu ao inferno , ressuscitou dos mortos , subiu aos céus , está sentado à direita de Deus , virá para julgar os vivos e os mortos , etc. , como o Credo dos Apóstolos , bem como a de Santo Atanásio , eo Catecismo de uso comum para as crianças , ensinar.

Com relação a esses artigos não há contenção ou litígio, uma vez que em ambos os lados confessá-los. Portanto, não é necessário agora para tratar ainda mais deles.
 
 

A SEGUNDA PARTE

Dispõe sobre os artigos que se referem ao Escritório e obra de Jesus Cristo, ou a nossa redenção.

Parte II, Artigo I: O primeiro e principal artigo.

1] Que Jesus Cristo , nosso Deus e Senhor , morreu por nossos pecados , e ressuscitou para nossa justificação , Rom. 04:25 .

2] E só Ele é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo , João 1:29 ; e Deus fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos , é. 53: 6 .

3] Da mesma forma: Todos pecaram e são justificados sem mérito [ livremente , e sem suas próprias obras ou méritos ] pela sua graça , pela redenção que há em Cristo Jesus , no Seu sangue , Rom. 3: 23f

4] Agora, uma vez que é necessário acreditar, e isso não pode ser de outra forma adquirida ou apreendidos por qualquer trabalho, legislação, ou de mérito, é claro e certo que esta fé nos justifica como diz São Paulo, Rom. 03:28 : Para nós concluímos que o homem é justificado pela fé , sem as obras da lei . Da mesma forma 03:26 : Que ele seja justo , e justificador daquele que tem fé em Cristo.

5] deste artigo nada pode ser produzido ou se renderam [nem nada pode ser concedido ou permitido ao contrário da mesma], mesmo que o céu ea terra, e tudo o que não vai cumprir, deve afundar para a ruína. Pois não há nenhum outro nome debaixo do céu , dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos , diz Pedro, Atos 4:12 . E pelas suas pisaduras fomos sarados , É. 53: 5 . E em cima deste artigo todas as coisas dependem que nós ensinamos e prática em oposição ao Papa, o diabo, eo [toda] mundo. Portanto, devemos ter a certeza sobre esta doutrina, e não duvido; pois de outro modo tudo está perdido, eo Papa e diabo e todas as coisas alcançar a vitória e terno sobre nós.
 
 

Parte II, Artigo II: da massa.

1] que a Missa no Papado deve ser o maior e mais horrível abominação, uma vez que diretamente e poderosamente em conflito com este chefe artigo, e ainda acima e antes de todas as outras idolatrias papistas que tem sido o principal e mais especioso. Por isso foi decidido que este sacrifício ou trabalho da Missa, mesmo que ele seja processado por um mau malandro [e abandonados], liberta os homens de seus pecados, tanto nesta vida e também no purgatório, enquanto apenas o Cordeiro de Deus deve e deve fazer isso, como já foi dito acima. Deste artigo nada deve ser objecto de renúncia ou concedeu, porque o primeiro artigo não permite isso.

2] Se, por acaso, havia papistas razoáveis ​​poderíamos falam moderadamente e de uma forma amigável, assim:. em primeiro lugar, por que eles tão rigidamente defender a Missa Pois é, mas uma pura invenção dos homens, e não foi ordenado por Deus; e cada invenção do homem podemos [segurança] descartar, como Cristo declara: Matt. 15: 9 : Em vão me adoram , ensinando doutrinas que são preceitos dos homens .

3] Em segundo lugar. É uma coisa desnecessária, que pode ser omitida sem pecado e perigo.

4] Em terceiro lugar. O sacramento pode ser recebido de uma maneira melhor e mais abençoado [mais aceitável a Deus], ​​(sim, a única maneira abençoada), de acordo com a instituição de Cristo. Por que, então, eles conduzir o mundo a uma angústia e [extremo] miséria por conta de uma questão fictícia, desnecessária, que pode ser bem obtido em outro e de maneira mais abençoada?

5] Vamos [cuidado ser tomado para que] ele ser pregado publicamente ao povo que a Missa como twaddle caso commentitious [homens ou invenção humana] pode ser omitida sem pecado, e que ninguém será condenado quem não observá-lo, mas que ele pode ser salvo de uma maneira melhor, sem a missa. Aposto [Assim que virá a acontecer] que a missa será então o colapso de si mesmo, não só entre os insanos [rudes] as pessoas comuns, mas também entre todos os piedosos, Christian, razoáveis, tementes a Deus os corações; e que o mais, quando eles iriam ouvir que a Missa é uma coisa [muito] perigoso, fabricado e inventado sem a vontade ea Palavra de Deus.

6] Em quarto lugar. Uma vez que tais abusos inumeráveis ​​e indizíveis têm surgido em todo o mundo a partir da compra e venda de massas, a massa deve por direito ser abandonado, se não por outro propósito senão o de evitar abusos, embora em si mesmo que tinha algo vantajoso e bom. Quanto mais devemos a cedê-lo, de modo a impedir [fugir] para sempre esses abusos horríveis, uma vez que é totalmente desnecessário, inútil e perigosa, e podemos obter tudo de um modo mais preciso, rentável, e certa, sem a missa .

7] Em quinto lugar. Mas desde que a Missa não é outra coisa e pode ser outra coisa (como a Canon e todos os livros declarar), do que uma obra de homens (mesmo de patifes perversos), pelo qual se tenta reconciliar-se e outros a Deus, e obter e mérito a remissão dos pecados ea graça (pois assim a missa é observada quando se observa na melhor das hipóteses, caso contrário que finalidade serviria?), por isso mesmo, pode e deve [certamente] ser condenada e rejeitada. Para isso conflita diretamente com o chefe artigo, que diz que não é um mau ou um mercenário piedosa da Missa com o seu trabalho, mas o Cordeiro de Deus eo Filho de Deus, que tira os nossos pecados.

8] Mas, se alguém deve avançar o pretexto de que como um ato de devoção que ele deseja para administrar o sacramento, ou Comunhão, para si mesmo, ele não é de verdade [que ele iria cometer um grande erro, e não estaria falando sério e sinceramente ]. Porque, se ele deseja comungar com sinceridade, o caminho mais seguro e melhor para ele é no sacramento administrado de acordo com instituição de Cristo. Mas que a comunhão um administrar a si mesmo é um conceito humano, incerto, desnecessário, sim, proibido. E ele não sabe o que está fazendo, porque sem a Palavra de Deus, ele obedece a uma opinião humana falsa e invenção.9] Assim, também, não é certo (mesmo que o assunto não fosse correto) para que se use o sacramento comum de [pertencente a] a Igreja de acordo com sua própria devoção privada, e sem a Palavra de Deus e para além da comunhão de Igreja para brincar com ela.

10] Este artigo sobre a missa será todo o negócio do Conselho. [O Conselho vai transpirar mais longo, e estar ocupado com este artigo sobre a massa.] Para se fosse [apesar de que seria] possível para eles para conceder-nos, todos os outros artigos, mas eles não podiam admitir isso. Como Campegius disse em Augsburgo que ele seria feito em pedaços antes que ele iria abandonar a missa, por isso, com a ajuda de Deus, eu também iria sofrer-me a ser reduzido a cinzas antes que eu permitiria que um mercenário da Missa, seja ele bom ou ruim, a ser feita igual a Cristo Jesus, meu Senhor e Salvador, ou para ser exaltado acima dele. Assim, são e permanecem eternamente separados e opostos um ao outro. Eles se sentem bem o suficiente para que quando a massa cai, o papado está em ruínas. Antes eles vão permitir que isso ocorra, eles vão colocar-nos todos à morte, se puderem.

11] Além de tudo isso, a cauda deste dragão, [quero dizer] da missa, tem gerado uma numerosa vermes-ninhada de idolatrias múltiplas.

12] Em primeiro lugar, o purgatório. Aqui eles levaram seu comércio em purgatório por massas de almas, e vigílias e celebrações semanais, mensais e anuais de exéquias, e, finalmente, pela Semana Comum e Dia de Finados, por almas banhos para que a Missa é usado quase que sozinho para os mortos, embora Cristo instituiu o sacramento só para os vivos. Portanto purgatório, e cada solenidade, rito, eo comércio ligado a ele, deve ser considerado como nada além de um espectro do diabo. Para entrar em conflito com o chefe artigo [que ensina] que só Cristo, e não as obras dos homens, são para ajudar [definir] gratuitos almas. Sem mencionar o fato de que nada tenha sido [divinamente] ordenou ou intimados sobre nós a respeito dos mortos. Portanto tudo isso pode ser omitida com segurança, mesmo se não fosse erro e idolatria.

13] Os papistas citar aqui Agostinho e alguns dos pais que se diz ter escrito sobre o purgatório, e eles pensam que nós não entendemos por quê e para quê eles falaram como eles fizeram. Que Santo Agostinho não escrever que há um purgatório, nem ele tem um testemunho da Escritura para obrigá-lo a isso, mas ele deixa em dúvida se existe um, e diz que sua mãe pediu para ser lembrado no altar ou Sacramento. Agora, tudo isso é de fato nada mais que a devoção dos homens, e que, também, dos indivíduos, e não estabelecer um artigo de fé, que é a prerrogativa de Deus somente.

14] Nossa papistas, no entanto, citar tais declarações [opiniões] dos homens a fim de que os homens devem acreditar em sua horrível, blasfemo, e amaldiçoou o tráfego nas missas pelas almas no purgatório [ou em sacrifícios para os mortos e oblações], etc. Mas eles nunca vão provar essas coisas de Agostinho. Agora, quando eles aboliram o tráfico de massas para o purgatório, de que Agostinho nunca sonhou, vamos então discutir com eles se as expressões de Agostinho sem Escritura [estar sem o mandado da Palavra] estão a ser admitidos, e se os mortos Deve ser lembrado na Eucaristia.15] Por que não vai fazer para moldar artigos de fé das obras ou palavras dos santos Padres; caso contrário, o seu tipo de tarifa, de vestuário, de casa, etc., teria que se tornar um artigo de fé, como foi feito com as relíquias. [Temos, no entanto, uma outra regra, ou seja,] A regra é: A Palavra de Deus deve estabelecer artigos de fé, e mais ninguém, nem mesmo um anjo.

16] Em segundo lugar. A partir disso, seguiu os maus espíritos que perpetraram muito velhacaria [exercido a sua malícia] aparecendo como as almas dos defuntos, e com indizível [horrível] mentiras e truques exigiu missas, vigílias, peregrinações, e outras esmolas.17] Tudo o que tínhamos a receber como artigos de fé, e viver em conformidade; eo Papa confirmou estas coisas, como também a massa e todas as outras abominações. Aqui, também, não há [não pode e não deve ser qualquer] produzindo ou rendição.

18] Em terceiro lugar. [Daí surgiu] as peregrinações. Aqui, também, massas, foram procurados a remissão dos pecados ea graça de Deus, para a missa tudo controlado. Agora é fato certo que tais peregrinações, sem a Palavra de Deus, não foram nos mandou, nem são necessárias, uma vez que podemos ter essas coisas [a alma pode ser cuidada] de uma maneira melhor, e pode omitir essas peregrinações sem qualquer pecado e perigo. Por que, portanto, eles deixam em casa [deserto] a sua própria paróquia [os chamados ministros, suas paróquias], a Palavra de Deus, esposas, filhos, etc., que são ordenados e [atenção para quem é necessária e tem sido] ordenou, e correr atrás desses, incerto, perniciosa vontade-o'-the-tufos desnecessários do diabo [e erros]?19] A não ser que o diabo estava andando [feito louca] o Papa, levando-o a louvar e estabelecer essas práticas, em que as pessoas novamente e novamente se rebelaram contra o Cristo com suas próprias obras, e tornaram-se idólatras, o que é pior de tudo; além disso, não é necessário nem ordenado, mas é sem sentido e duvidosa, e além prejudicial. Por isso, também aqui, não pode haver produzindo ou entregar [a ceder ou conceder qualquer coisa aqui não é lícito], etc.20] E que isso seja pregado, que tais peregrinações não são necessárias, mas perigoso; e depois ver o que vai ser deles. [Porque assim eles vão perecer por sua própria vontade.]

21] Em quarto lugar. Fraternidades [ou sociedades], em que claustros, capítulos, vigários ter atribuído e comunicado (por um contrato legal e venda) todas as massas e as boas obras, etc., tanto para os vivos e os mortos. Isto não só é completamente uma bugiganga humana, sem a Palavra de Deus, completamente desnecessário e não mandou, mas também contrário ao chefe artigo, de redenção. Por isso, não é de forma a ser tolerado.

22] Em quinto lugar. As relíquias, em que não são encontrados tantas falsidades e tomfooleries sobre os ossos de cães e cavalos, que até o diabo riu de tais rascalities, deveria há muito tempo ter sido condenado, embora houvesse algumas boas neles; e tanto mais, porque eles estão sem a Palavra de Deus; não sendo nem ordenado nem aconselhou, eles são uma coisa totalmente desnecessária e inútil.23] Mas o pior é que [eles imaginaram que] essas relíquias teve que trabalhar indulgência e perdão dos pecados [e reverenciado eles] como um bom trabalho e serviço de Deus, como a missa, etc.

24] Em sexto lugar. Aqui pertencem as indulgências preciosas concedido (mas apenas por dinheiro), tanto para os vivos e os mortos, pelos quais o miserável [sacrílega e maldito] Judas, ou o Papa, vendeu o mérito de Cristo, juntamente com os méritos supérfluos de todos os santos e de toda a Igreja, etc. Todas essas coisas [e cada um deles] não estão a ser suportados, e não são apenas sem a Palavra de Deus, sem necessidade, não mandou, mas são contra o chefe artigo. Para o mérito de Cristo é [apreendido e] não obtidos por nossas obras ou pence, mas de graça, mediante a fé, sem dinheiro e mérito; e é oferecido [e apresentados] não através do poder do Papa, mas através da pregação da Palavra de Deus.
 
 

Da invocação dos Santos .

25] A invocação dos santos é também um dos abusos do Anticristo em conflito com o chefe artigo, e destrói o conhecimento de Cristo. Nem é comandado nem aconselhou, nem tem qualquer exemplo [ou testemunhos] nas Escrituras, e mesmo que fosse uma coisa preciosa, já que não é [ao mesmo tempo, pelo contrário, é uma coisa mais prejudicial], em Cristo nós tem tudo mil vezes melhor [e mais seguro, de modo que não está na necessidade de invocar os santos].

26] E, embora os anjos no céu rogai por nós (como o próprio Cristo também faz), como também fazem os santos na terra, e talvez também no céu, mas não se segue daí que devemos invocar e adorar os anjos e santos, e rápido, segure festivais, celebrar a missa em sua honra, fazer oferendas, e estabelecer igrejas, altares, culto divino, e de outras formas ainda servi-los e considerá-los como ajudantes em necessidade [como patronos e intercessores], e dividir entre eles todos os tipos de ajuda, e atribuem a cada um uma forma particular de assistência, como os papistas ensinar e fazer. Para isso é idolatria, e tal honra pertence somente a Deus.27] Pois, como um cristão e santo na terra você pode orar por mim, não apenas em um, mas em muitas necessidades. Mas, por essa razão, eu não sou obrigado a adorar e invocar você, e celebrar festivais, rápido, fazer oferendas, segure massas para a sua honra [e adoração], e coloquei minha fé em você porque a minha salvação. Posso de outras formas de fato honrar, amar e agradecer em Cristo.28] Se agora tal honra idólatra foram retirados os anjos e santos falecidos, a honra restante seria sem danos e rapidamente seria esquecido. Para quando vantagem e assistência, tanto corporal e espiritual, não são mais de se esperar, os santos não será incomodado [o culto dos santos, em breve desaparecer], nem em seus túmulos, nem no céu. Pois, sem uma recompensa ou por puro amor ninguém vai lembrar muito, ou estima, ou honrá-los [conceder-lhes honra divina].

29] Em suma, a própria massa e tudo o que procede dele, e tudo o que está ligado a ele, não podemos tolerar, mas deve condenar, de modo que possamos manter o santo Sacramento puro e certo, de acordo com a instituição de Cristo , empregados e recebida pela fé.
 
 

Parte II, Artigo III: de capítulos e claustros.

1] Essa capítulos e claustros [faculdades de cânones e habitações comunistas], que anteriormente eram fundadas com a boa intenção [de nossos antepassados] para educar homens eruditos e castos [e] mulheres modestas, deveria novamente ser virou-se para tal uso, em ordenar que pastores, pregadores, e pode ser tido outros ministros das igrejas, e da mesma forma outras pessoas necessárias [montado] para [a administração política de] o governo secular [ou para a comunidade] em cidades e países, e bem-educado, donzelas para as mães e donas de casa, etc.

2] Se eles não vão servir a esse propósito, é melhor que ser abandonadas ou demolidas, ao invés de [continuou e], com os seus serviços blasfemas inventados por homens, considerado como algo melhor do que a vida cristã ordinária e os ofícios e chamados ordenado por Deus. Por tudo isso, também é contrário ao primeiro artigo principal sobre a redenção por meio de Jesus Cristo. Acrescente-se que (como todas as outras invenções humanas), estes não têm nem foi ordenado; eles são desnecessário e inútil, e, além disso, pagar por ocasião perigosa e vão trabalho [aborrecimentos perigosas e adoração infrutífera], tais serviços como os profetas chamam Aven , ie ., dor e trabalho.
 
 

Parte II, Artigo IV: do papado.

1] Que o Papa não é, de acordo com a lei divina ou de acordo com a Palavra de Deus, o cabeça de toda a cristandade (para este [nome] pertence a um só, cujo nome é Jesus Cristo), mas é apenas o bispo e pastor de a Igreja em Roma, e dos que voluntariamente ou por meio de uma criatura humana (isto é, um magistrado político) se apegaram a ele, ser cristãos, não sob ele como um senhor, mas com ele, como irmãos [os colegas] e companheiros , como os conselhos antigos e da idade de São Cipriano show.

2] Mas hoje nenhum dos bispos se atrevem a enfrentar o Papa como irmão, como foi feito na época [na época de Cipriano]; mas eles devem chamá-lo de senhor mais gracioso, apesar de ser reis ou imperadores. Esta [Essa arrogância] não vamos, não pode, não deve tomar sobre a nossa consciência [com uma boa consciência aprovar]. Deixe-o, no entanto, que irá fazê-lo, fazê-lo sem nós [em sua própria conta e risco].

3] Daí segue-se que todas as coisas que o Papa, de um poder tão falso, malicioso, blasfemo e arrogante, tem feito e realizado. foram e ainda são puramente assuntos diabólicos e transações (com exceção de coisas como pertencentes ao governo secular, onde Deus muitas vezes permite que muita coisa boa para ser feita para um povo, mesmo através de um tirano e [infiel] canalha) para a ruína de todo o santo [católica] ou Igreja Cristã (medida em que está em seu poder) e para a destruição do primeiro e principal artigo sobre a redenção feita por meio de Jesus Cristo.

4] Para todos os seus touros e livros são existentes, no qual ele ruge como um leão (como o anjo em Apocalipse 12 retrata-lo, [chorando] que nenhum cristão pode ser salvo a menos que o obedece e está sujeito a ele em tudo as coisas que ele quer, que ele diz, e que ele faz tudo o que equivale a nada menos do que dizer:. Embora você crer em Cristo, e tem nele [sozinho] tudo o que é necessário para a salvação, mas não é nada e tudo em vão, a menos que você considera [tem e adoração] me como seu deus, e estar sujeita e obediente a mim. E, no entanto, é manifesto que a Santa Igreja tem sido sem o Papa, pelo menos, mais de 500 anos, e que, mesmo para os dias de hoje as igrejas dos gregos e de muitas outras línguas não foram nem estão ainda sob o Papa.5] Além disso, como muitas vezes observou, é uma invenção humana, que não é ordenado, e é desnecessário e inútil; para o santo cristão [ou católica] Igreja pode existir muito bem sem essa cabeça, e ele certamente teria permanecido melhor [mais puro, e sua carreira teria sido mais próspero] se tal cabeça não tinha sido levantado pelo diabo.6] E o papado também é de nenhum uso na Igreja, porque não exerce cargo cristã; e, portanto, é necessário que a Igreja a continuar e existir sem o Papa.

7] e supondo que o papa deu a este ponto, de modo a não ser supremo por direito divino ou de comando de Deus, mas que devemos ter [que deve ser eleito] uma certa] cabeça [, a quem todo o resto aderir [ como o seu apoio], a fim de que a unidade [concórdia e] dos cristãos pode ser preservado contra as seitas e hereges, e que tal cabeça foram escolhidos por homens, e que foram colocados dentro da escolha e poder dos homens para alterar ou remover esta cabeça, assim como o Concílio de Constança adotado quase este curso com referência aos Papas, depondo três e eleger um quarto; supondo, eu digo, que o Papa e Veja em Roma iria ceder e aceitar isso (que, no entanto, é impossível, pois assim ele teria que sofrer todo o seu reino ea propriedade de ser derrubado e destruído, com todos os seus direitos e os livros, uma coisa que, para falar em poucas palavras, ele não pode fazer), no entanto, mesmo desta forma o cristianismo não seria ajudado, mas muitos mais seitas surgiria do que antes.

8] Porque desde que os homens teriam de ser sujeitos a este assunto, não do comando de Deus, mas a partir de seu bom prazer pessoal, seria facilmente e em pouco tempo ser desprezado, e finalmente manter nenhum membro; nem ele teria de ser para sempre confinado a Roma ou em qualquer outro lugar, mas pode ser em qualquer lugar e em qualquer igreja Deus iria conceder um homem apto para o [levando com ele uma grande tal] escritório. Oh, o estado complicado e confuso de coisas [perplexidade] que resultaria!

9] Portanto, a Igreja nunca pode ser melhor governado e preservado do que se todos nós vivemos sob uma cabeça, Cristo, e todos os bispos iguais no cargo (embora eles sejam desiguais presentes), ser diligentemente ingressou na unidade de doutrina, fé, sacramentos , oração e obras de caridade, etc., como São Jerônimo escreve que os sacerdotes de Alexandria em conjunto e em comum rege as igrejas, assim como também os apóstolos e, posteriormente, todos os bispos, em toda a cristandade, até que o Papa levantou a cabeça acima tudo.

10] Este ensino mostra força que o Papa é o próprio Anticristo, que se exaltou acima, e se opuseram-se contra Cristo, porque ele não vai permitir que os cristãos a ser salvo sem o seu poder, o que, no entanto, não é nada, e que não é ordenado nem ordenado por Deus.11] Isto é, propriamente falando a exaltar-se acima de tudo que se chama Deus , como diz Paulo, 2 Tessalonicenses. 2: 4 . Mesmo os turcos ou os tártaros, grandes inimigos dos cristãos como eles são, não faça isso, mas eles permitem que quem quiser acreditar em Cristo, e levar homenagem corporal e obediência dos cristãos.

12] O Papa, no entanto, proíbe esta fé, dizendo que para ser salva uma pessoa deve obedecê-lo. Este não estamos dispostos a fazer, mesmo que por esse motivo devemos morrer em nome de Deus s.13] Tudo isto procede do fato de que o Papa queria ser chamado o chefe supremo da Igreja Cristã por direito divino. Assim ele teve que fazer-se igual e superior a Cristo, e teve que fazer-se a ser proclamada a cabeça e, em seguida, o Senhor da Igreja, e, finalmente, do mundo inteiro, e simplesmente Deus na terra, até que ele se atreveu a emitir comandos até mesmo para os anjos no céu.14] E quando nós distinguir o ensinamento do Papa a partir de, ou medir e segurá-la contra, a Sagrada Escritura, encontra-se [ele aparece claramente] que o ensinamento do Papa, onde é melhor, foi tirado da lei imperial e nações, e trata de questões políticas e decisões ou direitos, como o show Decretals; Além disso, ele ensina de cerimônias relativas à igrejas, roupas, alimentos, pessoas e coisas pueris, teatrais e cômicos [semelhantes] sem medida, mas em todas estas coisas nada de Cristo, a fé, e os mandamentos de Deus. Por último, é nada mais do que o próprio diabo, porque acima de e contra Deus ele insiste [e dissemina] seu [papal] falsidades relativos massas, o purgatório, a vida monástica, as próprias obras e [fictícia] culto divino (para isso é o muito papado [sobre cada um dos quais o Papado é completamente fundada e está em pé]), e condena, assassinatos e tortura todos os cristãos que não exaltam e honrar estas abominações [do Papa] acima de todas as coisas. Por isso, tão pouco como nós pode adorar o próprio diabo como Senhor e Deus, podemos suportar seu apóstolo, o Papa, ou o Anticristo, em seu governo como chefe ou senhor. Para a mentir e matar, e destruir o corpo ea alma eternamente, que é aquela em que seu governo papal realmente consiste, como já muito claramente demonstrado em muitos livros.

15] Nestes quatro artigos que eles terão o suficiente para condenar no Conselho. Por que não pode e não vai conceder-nos ainda o ponto menos em um desses artigos. Desse devemos estar certos, e nos animar com a [empresa ser prevenido e feita em] a esperança de que Cristo, nosso Senhor, atacou seu adversário, e ele vai pressionar a casa de ataque [perseguir e destruí-lo], tanto pelo Seu Espírito e vinda. Amém.

16] Para no Conselho não vamos estar diante do Imperador ou o magistrado político, em Augsburg (onde o Imperador publicou um édito mais gracioso, e causou assuntos a ser ouvido gentilmente [e desapaixonadamente]), mas [que aparecerão] antes de o Papa e próprio diabo, que pretende ouvir nada, mas apenas [quando o caso foi anunciado publicamente] para condenar, para assassinar e forçar-nos à idolatria. Por isso não devemos aqui para beijar seus pés, ou a dizer: "Tu és o meu Senhor gracioso", mas como o anjo em Zacarias 3: 2 disse a Satanás: O Senhor te repreenda , ó Satanás .
 
 

TERCEIRA PARTE DOS ARTIGOS.

Em relação aos seguintes artigos podemos [poderão] tratar com homens eruditos e razoáveis, ou entre nós. O papa e seu [Pontifícia] governo não se importam muito sobre estes. Para com eles a consciência não é nada, mas o dinheiro, [glória] honras, poder são [a eles] tudo.
 
 

Parte III, artigo I. Of Sin

1] Aqui devemos confessar, como diz Paulo em Rom. 05:12 , que o pecado teve origem [e entrou no mundo] de um homem, Adão, por cuja desobediência todos os homens se tornaram pecadores, [e] sujeito à morte eo diabo. Isto é chamado de pecado original ou capital.

2] Os frutos deste pecado são depois os maus atos que são proibidos nos Dez Mandamentos, como [desconfiança] incredulidade, falsa fé, idolatria, estar sem o temor de Deus, a presunção [imprudência], o desespero, a cegueira [ou completa perda de visão ], e, em suma, não sabe ou que diz respeito a Deus; além disso, a mentir, a jurar por [ao abuso] o nome de Deus [a jurar falsamente], não para orar, não para clamar a Deus, não a considerar [a desprezar ou negligência] Palavra de Deus, para ser desobedientes aos pais, ao assassinato, ser casta, roubar, enganar, etc.

3] Este pecado hereditário é tão profunda [e horrível] a corrupção da natureza que nenhuma razão pode compreendê-lo, mas ele deve ser [aprendidas e] acreditava desde a revelação da Escritura, Ps. 51: 5 ; Rom. 6: 12ff ; Ex. 33: 3 ; Gen. 3: 7 ss Por isso, nada mais é que erro e cegueira em relação a este artigo o que os médicos escolares têm ensinado, a saber:

4] Que, desde a queda de Adão os poderes naturais do homem ter permanecido inteiro e incorrupto, e que o homem, por natureza, tem uma razão certa e uma boa vontade; as quais coisas os filósofos ensinam.

5] Mais uma vez, que o homem tem o livre arbítrio para fazer o bem e omitir o mal, e, inversamente, para omitir o bem e fazer o mal.

6] Mais uma vez, que o homem por seus poderes naturais podem observar e manter [fazer] todos os mandamentos de Deus.

7] Mais uma vez, que, por seus poderes naturais, o homem pode amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

8] Mais uma vez, se um homem faz, tanto quanto está nele, Deus certamente lhe concede Sua graça.

9] Mais uma vez, se ele quiser ir para o Sacramento, não há necessidade de uma boa intenção de fazer o bem, mas é suficiente que ele não tem um propósito perverso de cometer o pecado; tão completamente bom é a sua natureza e tão eficaz Sacramento.

10] [Novamente,] que não é fundada sobre as Escrituras que para um bom trabalho é necessário o Espírito Santo com sua graça.

11] Essas e muitas coisas semelhantes surgiram por falta de compreensão e ignorância no que diz respeito tanto esse pecado e Cristo, nosso Salvador, e eles são verdadeiramente dogmas pagãos, que não podemos suportar. Porque, se este ensinamento foram direita [aprovado], então Cristo morreu em vão, já que há no homem nenhum defeito nem pecado para o qual ele deveria ter morrido; ou Ele teria morrido apenas para o corpo, não para a alma, na medida em que a alma é [totalmente] som, eo corpo só está sujeito à morte.
 
 

Parte III, artigo II. Da Lei

1] Aqui temos que a Lei foi dada por Deus, em primeiro lugar, para coibir o pecado por ameaças e do medo de punição, e pela promessa e oferta de graça e benefício. Mas tudo isso abortou por causa da maldade que o pecado opera no homem.2] Para, assim, uma parte [alguns] foram prestados pior, aqueles, ou seja, que são hostis a [ódio] a Lei, pois proíbe o que eles gostam de fazer, e ordena o que eles não gostam de fazer. Por isso, onde quer que eles podem escapar [se eles não foram contidos por] punição, eles [seria] fazer mais contra a Lei do que antes. Estes, então, são os homens rudes e maus [desenfreada e assegurar], que fazem o mal onde quer que eles [notar que eles] têm a oportunidade.

3] O resto tornar-se cego e arrogante [são feridos com arrogância e cegueira] e [insolência] conceber a opinião que eles observam e pode observar a lei por seus próprios poderes, como já foi dito acima sobre os teólogos escolásticos; daí vêm os hipócritas e falsos santos [hipócritas ou].

4] Mas o chefe do escritório ou vigor da lei é que ela revelar o pecado original, com todos os seus frutos, e mostrar ao homem como muito baixa a sua natureza caiu, e tornou-se [e fundamentalmente] totalmente corrompido; como a Lei deve dizer ao homem que ele não tem Deus nem respeito [cuida de] Deus, e adora outros deuses, um assunto que ele não teria acreditado antes e sem a lei. Desta forma, ele torna-se aterrorizado, é humilhado, desponds, se desespera, e ansiosamente deseja ajuda, mas não vê nenhuma fuga; ele começa a ser um inimigo da [enfurecido com] a Deus e murmurar, etc.5] Isto é o que Paulo diz: Rom. 04:15 : A lei opera a ira . E Rom. 5:20 : O pecado é aumentada pela lei . [ a lei para que a ofensa abundasse .]
 
 

Parte III, artigo III. De arrependimento.

1] Este escritório [da Lei] do Novo Testamento mantém e insta, como São Paulo, Rom. 01:18 faz, dizendo: A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens de . Mais uma vez, Rom 3:19 : Todo o mundo é culpado diante de Deus. Nenhum homem é justo diante dEle . E Cristo diz: João 16: 8 : O Espírito Santo convencerá o mundo do pecado.

2] Este, então, é o raio de Deus pelo qual Ele bate em um monte [atira para o chão] ambos os pecadores manifestos e falsos santos [hipócritas], e não sofre um para a direita [declara há um justo], mas leva-los todos juntos para terror e desespero. Este é o martelo, como Jeremias 23:29 diz: Não é a minha palavra como um martelo que esmiúça a rocha em pedaços ? Este não é contritio activa ou arrependimento fabricado, mas Passiva contritio [tortura de consciência], a verdadeira tristeza de coração, o sofrimento ea sensação de morte.

3] Este é, então, o que significa começar o verdadeiro arrependimento; e aqui o homem deve ouvir tal frase como esta: Você é tudo de nenhuma conta, se você pecadores manifestos ou santos [em sua própria opinião]; todos vocês devem se tornar diferente e fazer o contrário do que você é agora e está fazendo [não importa o tipo de pessoas que são], se você é tão grande, sábio, poderoso e santo como você pode. Aqui ninguém é [justo, santo], divino, etc.

4] Mas, para este cargo o Novo Testamento acrescenta imediatamente a promessa consoladora de graça por meio do Evangelho, que deve ser acreditado, como Cristo declara: Marcos 1:15 : Arrependei-vos e crede no Evangelho , isto é , tornar-se diferente e fazer o contrário, e. acreditar Minha promessa. E John, precedendo Ele, é chamado de pregador de arrependimento, no entanto, para a remissão dos pecados, ou seja ., John estava a acusar de tudo, e condená-los de serem pecadores, para que soubessem que eles estavam diante de Deus, e pode reconhecer que estavam perdidos homens, e pode, assim, estar preparado para o Senhor, para receber a graça, e para esperar e aceitar Dele a remissão dos pecados. Assim também o próprio Cristo diz: Lucas 24:47 : 6] O arrependimento ea remissão dos pecados deve ser pregado em meu nome entre todas as nações .

7] Mas sempre que a lei por si só, sem o Evangelho está sendo adicionado exercícios este seu escritório há [nada mais do que] a morte eo inferno, eo homem deve desespero, como Saul e Judas; como São Paulo, Rom. 7:10 , diz: Com o pecado a Lei mata .8] Por outro lado, o Evangelho traz consolo e remissão não só de uma maneira, mas por meio da Palavra e dos Sacramentos, e afins, como ouviremos mais tarde, a fim de que [assim] há com o Senhor abundante redenção , como Ps. 130: 7 diz contra o cativeiro terrível do pecado.

9] No entanto, agora temos de contrastar o falso arrependimento dos sofistas com verdadeiro arrependimento, a fim de que tanto pode ser o melhor compreendida.
 
 

Do arrependimento falso dos papistas .

10] Era impossível que eles devem ensinar corretamente a respeito de arrependimento, já que eles não [justamente] conhecer os verdadeiros pecados [o verdadeiro pecado]. Pois, como foi mostrado acima, eles não acreditam corretamente quanto ao pecado original, mas dizem que os poderes naturais do homem ter permanecido [totalmente] intacto e incorrupto; que a razão pode ensinar corretamente, ea vontade pode, de acordo com ela fazer corretamente [realizar aquelas coisas que são ensinadas]; que Deus certamente concede Sua graça quando um homem faz, tanto quanto nele está, de acordo com seu livre arbítrio.

11] Ele tinha que seguir dali [a partir deste dogma] que eles fizeram [deve fazer] penitência apenas para pecados atuais, tais como maus pensamentos para que uma pessoa rendimentos (por emoção ímpios [concupiscência, sentimentos viciosos e inclinações], luxúria e disposições inadequadas [segundo eles] não são pecados), e para as palavras ímpias e más ações, que o livre-arbítrio poderia facilmente ter omitido.

12] E de tal arrependimento que corrigir três partes, contrição, confissão e satisfação, com esta magnífica] consolação [e prometem acrescentou: Se o homem realmente se arrepender, [sentir remorso,] confessar, prestar satisfação, ele, assim, teria merecido o perdão, e pagou por seus pecados diante de Deus [expiado seus pecados e obteve uma redenção plenário]. Assim, o arrependimento que instruiu os homens a descansar a confiança em suas próprias obras.13] Daí a expressão teve origem, que foi contratado no púlpito quando a absolvição pública foi anunciada para o povo: Prolong ó Deus , a minha vida , até que eu faça a satisfação pelos meus pecados e alterar a minha vida.

14] Houve aqui [silêncio profundo e] nenhuma menção de Cristo, nem a fé; mas os homens esperavam por suas próprias obras para vencer e apagar os pecados diante de Deus. E com esta intenção que se tornaram padres e monges, que pode matriz nos contra o pecado.

15] Como a contrição, esta é a forma como foi feito: Uma vez que ninguém podia se lembrar de todos os seus pecados (especialmente cometidos através de um ano inteiro), que inseriu esta disposição, ou seja, que se um pecado desconhecido deve ser lembrado mais tarde [if a lembrança de um pecado oculto talvez devesse voltar], isso também deve se arrepender e confessar, etc. Enquanto isso, eles eram [a pessoa era] encomendados à graça de Deus.

16] Além disso, uma vez que ninguém poderia saber como é grande a contrição deve ser de forma a ser suficiente diante de Deus, que deu a este consolo: Aquele que não poderia ter contrição, pelo menos deveria ter atrito, o que eu posso chamar de meio contrição ou o início de contrição; pois eles têm-se entender nenhum desses termos nem entendê-los agora, tão pouco como I. Tal atrito foi contado como contrição quando uma pessoa foi se confessar.

17] E quando isso aconteceu que alguém disse que ele não poderia ter contrição nem lamentar seus pecados (como pode ter ocorrido em amor ilícito ou o desejo de vingança, etc.), que perguntou se ele não queria ou desejo de ter contrição [lamento]. Quando alguém iria responder Sim (para que, salvo o próprio diabo, que aqui dizer que não?), Eles aceitaram isso como contrição, e perdoou-lhe os seus pecados por causa deste bom trabalho de sua [que eles adornados com o nome de contrição] . Aqui eles citou o exemplo de St. Bernard, etc.

18] Aqui vemos como razão cega, em assuntos relacionados a Deus, tateia aproximadamente, e, de acordo com sua própria imaginação, procura consolo em suas próprias obras, e não consigo pensar em [inteiramente esquece] Cristo e da fé. Mas, se é [claramente] visto à luz, esta contrição é um fabricado e pensamento fictício [ou imaginação], derivado do próprio poder do homem, sem fé e sem o conhecimento de Cristo. E em que o pobre pecador, quando ele refletiu sobre sua própria cobiça e desejo de vingança, às vezes, [talvez] ter rido um pouco do que choraram [ou riu ou chorou, ao invés de pensar em outra coisa], a não ser como haviam sido verdadeiramente impressionado com [o raio] da Lei, ou tinham sido em vão vexado pelo diabo com um espírito triste. Caso contrário, [com exceção dessas pessoas] tal contrição foi certamente mera hipocrisia, e não mortificar a concupiscência dos pecados [chamas do pecado]; pois tinham a lamentar, enquanto eles preferem continuaram a pecar, se tivesse sido livre para eles.

19] No que diz respeito a confissão, o procedimento era o seguinte: cada um tinha [foi chamado] para enumerar todos os seus pecados (que é uma coisa impossível). Este foi um grande tormento. De como ele tinha esquecido [Mas, se alguém tinha esquecido alguns pecados] ele seria absolvido sob a condição de que, se lhe ocorreria, ele ainda deve confessá-los. Desta forma, ele nunca poderia saber se ele tinha feito uma confissão suficientemente puro [perfeitamente e corretamente], ou quando confessando que nunca teria um fim. No entanto, ele foi apontado para suas próprias obras, e confortado assim: As mais plenamente [sinceramente e francamente] uma confessa, e quanto mais ele se humilha e degrada-se diante do sacerdote, o mais cedo e melhor ele torna a satisfação por seus pecados; para tal humildade certamente ganharia graça diante de Deus.

20] Aqui, também, não havia nenhuma fé, nem Cristo, ea virtude da absolvição não foi declarado a ele, mas sobre a sua enumeração de pecados e de sua auto-humilhação dependia sua consolação. Que tortura, malandragem, e idolatria tal confissão produziu é mais do que pode ser relacionado.

21] Quanto à satisfação, esta é de longe a] parte desconcertante [mais envolvidos de todos. Para nenhum homem poderia saber o quanto a prestar para um único pecado, para não dizer o quanto para todos. Aqui eles recorreram ao dispositivo de impor uma pequena satisfação, o que poderia de fato ser processado, como cinco Nori, um dia de jejum, etc .; para o resto [que faltava] do [em sua] arrependimento eles foram encaminhados para o purgatório.

22] Aqui, também, não havia nada além de angústia e [extremo] miséria. [Para] alguns pensavam que nunca iria sair do purgatório, porque, de acordo com os antigos cânones, o arrependimento de sete anos é necessário para um único pecado mortal.23] No entanto, a confiança foi colocada sobre o nosso trabalho de satisfação, e se a satisfação poderia ter sido perfeito, a confiança teria sido colocado nele inteiramente, e nem a fé nem Cristo teria sido de uso. Mas essa confiança era impossível. Pois, embora qualquer um tinha feito penitência dessa forma por cem anos, ele ainda não sabe se ele terminou sua penitência. Isso significava uma eternidade para fazer penitência e nunca cheguem ao arrependimento.

24] Aqui, agora, a Santa Sé em Roma, de vir em auxílio da Igreja pobre, inventou indulgências, pelo que perdoou e remetidos [expiação] ou de satisfação, em primeiro lugar, para uma única instância, por sete anos, por cem anos e distribuídos los entre os cardeais e bispos, para que se pudesse conceder indulgência por cem anos e outro para cem dias. Mas ele reservou para si só o poder de remeter toda a satisfação.

25] Agora, desde que isso começou a render dinheiro, eo tráfico de touros tornou-se rentável ele inventou o ano jubileu de ouro [um ano verdadeiramente aurífero], e fixa-lo em Roma. Ele chamou isso de a remissão de todos os castigos e culpa. Então o povo veio correndo, porque cada um de bom grado teria sido liberada a partir desta dolorosa, fardo insuportável. Isso significava encontrar [cavar] e levantar os tesouros da terra. Imediatamente o Papa ainda pressionou ainda mais, e se multiplicaram os anos dourados uns sobre os outros. Mas quanto mais ele devorou ​​o dinheiro, o mais amplo cresceu sua goela.

Mais tarde, por isso, ele emitiu eles [aqueles anos dourados de sua] por seus legados [em toda parte] para os países, até que todas as igrejas e casas estavam cheias do Ano de Ouro. 26] Por fim, ele também fez uma incursão no purgatório entre os mortos, em primeiro lugar, ao fundar missas e vigílias, posteriormente, por indulgências e do Ano de Ouro, e, finalmente, tornou-se alma tão barato que ele lançou um por um asse.

27] Mas tudo isso, também, de nada valeu. Pois, embora o Papa ensinou aos homens a depender e confiar em, essas indulgências [para a salvação], mas ele tornou a [toda] a matéria novamente incerta. Porque em seus touros, ele declara: Quem quiser compartilhar as indulgências ou um ano de ouro deve ser contrito, e confessaram, e pagar o dinheiro. Agora, temos ouvido anteriormente que esta contrição e confissão estão com eles incerto e hipocrisia. Da mesma forma, também ninguém sabia o que era a alma do purgatório, e se algum nela havia, ninguém sabia o que tinha se arrependido e confessado corretamente. Assim, ele pegou o dinheiro precioso [o Papa pegou a pence santo], e os consolou enquanto isso com [os conduziu a confiança em] seu poder e indulgência, e [então novamente levou-os longe do que e] dirigiu-los novamente para o seu incerto trabalho.

28] Se, agora [embora], havia alguns que não acreditam [reconhecer]-se culpado de tais pecados reais em [cometido] por pensamentos, palavras e obras, -como eu, e como eu, nos mosteiros e capítulos [fraternidades ou colégios de padres], queria ser monges e sacerdotes, e jejuando, vigiando, orando, dizendo Missa, roupas grossas e duras camas, etc., lutou contra [esforçou para resistir] maus pensamentos, e em plena sério e com força queria ser santo, e ainda o hereditário, mal inato às vezes fazia no sono o que é acostumado a fazer (como também Santo Agostinho e Jerônimo entre outros confessar), - ainda a cada um segurava o outro em estima, para que alguns, de acordo com o nosso ensino, foram considerados como santo, sem pecado e cheia de boas obras, tanto assim que, com este espírito que iria comunicar e vender nossas boas obras para os outros, por serem consideradas supérfluas para nós, para o céu. Isso é verdade, e selos, cartas e casos [que isso aconteceu] estão à mão.

29] [Quando houve tal, eu digo:] Estes não precisam de arrependimento. Para o que eles iriam se arrepender, já que não haviam praticado maus pensamentos? O que eles confessam [relativo palavras não pronunciadas], uma vez que tinha evitado palavras? Por que eles devem prestar satisfação, uma vez que eles eram tão inocente de qualquer ação que eles poderiam até mesmo vender sua justiça supérfluo outros pobres pecadores? Esses santos eram também os fariseus e escribas na época de Cristo.

30] Aí vem o anjo de fogo, St. John [ Rev. 10 ], o verdadeiro pregador do [verdadeiro] arrependimento, e com um [trovão e] parafuso arremessa ambos [os que vendiam e essas obras de compra] sobre um montão, e diz: Arrependei-vos ! Matt. 3: 2 .31] Agora, o antigo [os pobres coitados] imaginar: Por que, nos arrependemos! O último [o resto] dizer: Nós não necessitam de arrependimento.32] John diz: Arrependei-vos, tanto de você, porque sois falsos penitentes; por isso são estes [o resto] falsos santos ou hipócritas [], e todos vocês em ambos os lados precisam do perdão dos pecados, porque nenhum de vocês sabe o verdadeiro pecado não quer dizer nada sobre o seu dever de arrepender-se e evitá-lo . Para ninguém de vocês é bom; você está cheio de incredulidade, estupidez e ignorância de Deus ea vontade de Deus. Por aqui Ele está presente de cuja plenitude todos nós recebemos , e graça por graça , João 1:16 , e sem ele nenhum homem pode ser justo diante de Deus. Portanto, se você deseja se arrepender, arrepender-se corretamente; sua penitência não vai conseguir nada [nada]. E vós, hipócritas, que não precisam de arrependimento, ninhada 'Serpentes, que tem certeza de que você que você vai escapar da ira vindoura? etc. Matt. 3: 7 ; Lucas 3: 7 .

33] Da mesma forma, Paulo também prega, Rom. 3: 10-12 : Não há justo , há quem entenda , não há quem busque a Deus , não há ninguém que faça o bem , não há um; todos eles são ido para fora do caminho; eles estão juntos de ser rentável .34] E Atos 17:30 : Deus manda agora que todos os homens em todos os lugares a se arrependerem . "Todos os homens", diz ele; ninguém excetua aquele que é um homem.35] Este arrependimento nos ensina a discernir o pecado, ou seja, que estamos completamente perdido, e que não há nada de bom em nós da cabeça aos pés [tanto dentro como fora], e que devemos absolutamente se tornar novos e outros homens.

36] Este arrependimento não é fragmentada [parcial] e pobres [fragmentária], como a que faz penitência por pecados reais, nem é incerto como esse. Por que não debater o que é ou não é pecado, mas lança tudo em um montão, e diz: Tudo em nós é nada, mas o pecado [afirma que, no que diz respeito a nós, tudo é simplesmente pecado (e não há nada em nós que não é pecado e culpa)]. O que é o uso de [Pois, por que desejamos] investigar, dividindo, ou distinguir um longo tempo? Por esta razão, também, esta contrição não [duvidosa ou] é incerto. Pois não há nada com o qual podemos pensar em alguma coisa boa para pagar o pecado, mas há apenas uma desesperada certeza a respeito de tudo que estamos, pensar, falar ou fazer [toda a esperança deve ser deixado de lado em relação a tudo] , etc.

37] Em confissão como forma, também, não pode ser falso, incerto, ou fragmentada [mutilado ou fragmentária]. Para ele que confessa que tudo nele é nada, mas o pecado compreende todos os pecados, exclui nenhum, esquece nenhum.38] Nem pode a satisfação ser incerto, porque não é o nosso incerto, trabalho pecador, mas é o sofrimento eo sangue do [impecável e] Cordeiro inocente de Deus, que tira o pecado do mundo.

39] Desse arrependimento John prega, e depois Cristo no Evangelho, e nós também. Por este [pregação] arrependimento que correr para o chão o Papa e tudo o que é construído em cima de nossas boas obras. Por tudo é construído sobre um alicerce podre e vão, que é chamado de um bom trabalho ou lei, mesmo que nada de bom trabalho está lá, mas apenas obras más, e ninguém faz a lei (como Cristo, João 7:19 , diz) , mas todos transgredi-la. Portanto, o edifício [que é gerado em cima dele] é nada, mas a falsidade ea hipocrisia, mesmo [na parte] onde é mais sagrado e belo.

40] E nos cristãos este arrependimento continua até a morte, porque, através de toda a vida sustenta com o pecado que permanece na carne, como Paul, Rom. 7: 14-25 , [mostra] atesta que ele guerras com a lei em seus membros , etc .; e que, não por suas próprias forças, mas pelo dom do Espírito Santo que segue a remissão dos pecados. Este dom limpa diariamente e varre os pecados remanescentes, e trabalha de modo a tornar o homem verdadeiramente puro e santo.

41] O Papa, os teólogos, os juristas, e todos os outros homens não sabem nada sobre isso [a partir de sua própria razão], mas é uma doutrina do céu, revelou através do Evangelho, e deve sofrer para ser chamado de heresia pelos santos sem Deus [ou hipócritas].

42] Por outro lado, se iria surgir certas sectarists, alguns dos quais são, talvez, já existente, e no tempo da insurreição [dos camponeses] veio para o meu próprio ponto de vista, afirmando que todos aqueles que um dia receberam o Espírito ou o perdão dos pecados, ou tinha-se tornado crentes, mesmo que se havia pecado, que ainda permanecem na fé, e tal pecado não lhes fará dano algum, e [portanto] a chorar assim: "Faça o que quiser, se você acreditar, todos os valores para nada; fé apaga todos os pecados ", etc., dizem eles, além disso, que, se qualquer um pecados depois de ter recebido a fé eo Espírito, que ele nunca realmente tinha o Espírito e fé: eu tinha diante de mim [visto e ouviu] muitos desses homens insanos, e temo que em algum demônio tal ainda é remanescente [esconder e habitação].

43] É, portanto, necessário conhecer e ensinar que, quando os homens santos, continua a ter e sentir o pecado original, também arrependimento diário e lutando com ele, acontecer a cair em pecados manifestos, como David em adultério, assassinato e blasfêmia , que a fé eo Espírito Santo se afastou de eles [expulsavam fé e do Espírito Santo]. Porque o Espírito Santo não permite pecado ter domínio, para ganhar a mão superior, de modo a ser realizado, mas reprime e impede-o de modo que ele não deve fazer o que desejar. Mas se ele faz o que quer, o Espírito Santo ea fé são [certamente] não está presente. Para São João diz: 1 João 3: 9 : Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado , ... e ele não pode pecar . E, no entanto, também é verdade quando o mesmo São João diz: 1: 8 : Se dissermos que não temos pecado , enganamos a nós mesmos, ea verdade não está em nós .
 
 

Parte III, artigo IV. Do Evangelho.

Vamos agora voltar ao Evangelho, que não apenas de uma forma nos dá conselhos e ajuda contra o pecado; porque Deus é superabundante rico [e liberal] em Sua graça [e bondade]. Em primeiro lugar, através da palavra falada pelo qual o perdão dos pecados é pregado [Ele comanda a ser pregado] em todo o mundo; que é o escritório peculiar do Evangelho. Em segundo lugar, através do Batismo. Em terceiro lugar, por meio do santo sacramento do altar. Em quarto lugar, através do poder das chaves, e também através da conversa mútua e consolação de irmãos, Matt. 18:20 : Onde dois ou três estiverem reunidos , etc.
 
 

Parte III, artigo V. do batismo.

1] O batismo é nada mais do que a Palavra de Deus na água, comandada por sua instituição, ou, como diz Paulo, uma lavagem na Palavra ; como também Agostinho diz: Deixe a Palavra veio para o elemento , e torna-se um sacramento .2] E por esta razão que não concordo com Thomas e os pregadores monásticas [ou] dominicanos que se esquecem da Palavra (instituição de Deus) e dizer que Deus tem transmitido para a água um poder espiritual, que através das lavagens com água o pecado.3] Nem [não estamos de acordo] com Scotus e os monges Descalços [menoritas ou monges franciscanos], que ensinam que, com a ajuda da vontade divina, o batismo lava os pecados, e que esta ablução ocorre apenas pela vontade de Deus, e de nenhuma maneira por meio da palavra ou água.

4] do batismo de crianças que temos de que as crianças devem ser batizadas. Para eles pertencem à redenção prometida feita por meio de Cristo, ea Igreja deve administrá-lo [Batismo e do anúncio de que a promessa] para eles.
 
 

Parte III, artigo VI. Do Sacramento do Altar.

1] do Sacramento do Altar temos que o pão eo vinho na Ceia são o verdadeiro corpo e sangue de Cristo, e são dados e recebidos não só pela piedosa, mas também por maus cristãos.

2] E isso não é apenas um formulário é para ser dada. [Para] nós não precisamos que a grande arte [sabedoria especioso] que é para nos ensinar que, sob a forma de um não é tanto como sob ambos, como os sofistas e do Concílio de Constança ensinar.3] Pois mesmo se fosse verdade que há tanto sob o mesmo como sob tanto, mas a uma forma só não é toda a ordenança e instituição [feita] ordenado e comandado por Cristo.4] E nós especialmente condenar e em nome de Deus execrar aqueles que não só omitir ambas as formas, mas também bastante autocraticamente [tiranicamente] proibir, condenar, e blasfemar los como heresia, e assim exaltar-se contra e acima de Cristo, nosso Senhor e Deus [oposição e colocando-se à frente de Cristo], etc.

5] No que diz respeito a transubstanciação, nós nos importamos nada sobre a sutileza sofística por que eles ensinam que a licença de pão e vinho ou perder a sua própria substância natural, e que continuam a existir apenas a aparência e cor do pão, e não verdadeiro pão. Para isso está em perfeito acordo com Sagradas Escrituras que não é, e permanece, pão, como o próprio Paulo o chama, 1 Coríntios. 10:16 : O pão que partimos . E 1 Cor. 11:28 : Deixe-o assim coma deste pão .
 
 

Parte III, artigo VII. Das chaves.

1] As teclas são um escritório e poder dado por Cristo à Igreja para ligar e desligar o pecado, não só o bruto e pecados conhecidos, mas também o sutil, oculto, que são conhecidos apenas por Deus, como está escrito em Ps. 19:13 : Quem pode entender os seus erros ? E em Rom. 07:25 St. O próprio Paulo reclama que, com a carne, ele serve à lei do pecado .2] Por que não está em nosso poder, mas pertence somente a Deus, para julgar o que, como é grande, e quantos são os pecados, como está escrito em Salmos. 143: 2 : Não entres em juízo com o teu servo; para em teus olhos não deve vivente .3] E Paulo diz: 1 Cor. 4: 4 : Por que eu não sei nada por mim mesmo; ainda que não estou aqui justificada .
 
 

Parte III, artigo VIII. Da Confissão.

1] Desde Absolution ou o poder das chaves também é uma ajuda e consolação contra o pecado e uma má consciência, ordenado por Cristo [Ele] no Evangelho, confissão ou absolvição deve de maneira nenhuma ser abolido na Igreja, especialmente por conta de [concurso] e consciências tímidas e por conta dos jovens [e caprichosas] não treinados, a fim de que eles possam ser examinados e instruídos na doutrina cristã.

2] Mas a enumeração dos pecados deve ser livre para cada um, para o que ele deseja para enumerar ou não para enumerar. Por enquanto estamos na carne, não vamos mentir quando dizemos: ". Eu sou um homem pobre [Eu reconheço que sou um pecador miserável], cheio de pecado" Rom. 07:23 : vejo outra lei nos meus membros , etc. Pois desde a absolvição privado tem origem no Gabinete do Chaves, ele não deve ser desprezado [negligenciadas], mas muito e muito estimado [do maior valor], como [também ] todos os outros escritórios da Igreja Cristã.

3] E nas coisas que dizem respeito à faladas, para fora do Word, devemos manter firmemente que Deus concede Seu Espírito ou graça para ninguém, a não ser através ou com o anterior fora Palavra, a fim de que possamos [assim] ser protegido contra a entusiastas, ie ., espíritos que se vangloriam de que eles têm o Espírito sem e antes do Word, e, consequentemente, julgar a Escritura ou a Palavra falada, e explicar e esticá-la ao seu bel prazer, como Muenzer fez, e muitos ainda o fazem nos dias de hoje, que desejam ser juízes agudas entre o espírito ea letra, e ainda não sabem o que dizer ou declarar.4] Para [na verdade] o papado também não é nada além de pura entusiasmo, pelo qual o Papa goza de todos os direitos que existem no santuário de seu coração, e tudo o que ele decide e comanda com [em] sua igreja é espírito e à direita, embora que está acima e contrária às Escrituras e da palavra falada.

5] Tudo isso é o velho diabo e antiga serpente, que também se converteu Adão e Eva para entusiastas, e levou-os para fora da Palavra de Deus para espiritualizar e presunção, e, no entanto, ele conseguiu isso através de outras palavras para fora.6] Assim como também nossos entusiastas [nos dias de hoje] condenar a Palavra para fora, e, no entanto, eles mesmos não estão em silêncio, mas eles encher o mundo com suas pratings e escritos, como se, de fato, o Espírito não poderia vir através dos escritos e falado palavra dos apóstolos, mas [primeiro] através de seus escritos e palavras que ele deve vir. Por que [então] não eles também omitir seus próprios sermões e escritos, até que o próprio Espírito vem aos homens, sem seus escritos e, antes deles, como eles se gabar de que Ele veio para eles sem a pregação das Escrituras? Mas estas questões não há tempo agora para disputar mais longamente; temos exortou outros lugares suficientemente este assunto.

7] , mesmo para aqueles que acreditam que antes do Batismo, ou tornar-se acreditar no Batismo, acreditamos através do anterior para fora Word, como os adultos, que têm vindo a razão, deve primeiro ter ouvido: Quem crer e for batizado será salvo , apesar de eles estão em primeiro incrédulo, e receber o Espírito e Batismo 10 anos depois.8] Cornélio, Atos 10: 1 e ss , tinha ouvido falar muito antes entre os judeus da vinda do Messias, através de quem ele era justo diante de Deus, e de tal fé suas orações e esmolas eram aceitáveis ​​para Deus (como Lucas o chama devoto e Deus- temente), e sem tal precedente Palavra e audição não poderia ter acreditado ou sido justo. Mas São Pedro teve que revelar-lhe que o Messias (em quem, como aquele que estava para vir, ele tinha até então acreditava) já tinha vindo, para que sua fé a respeito da vinda do Messias segurá-lo cativo entre os judeus endurecidos e incrédulos, mas saber que ele estava agora a ser salvo pelo presente Messias, e não deve, com o [ralé da] judeus negar nem persegui-lo.

9] Em uma palavra, o entusiasmo inerente a Adão e seus filhos desde o princípio [da primeira queda] para o fim do mundo, [o veneno] tendo sido implantado e infundida eles pelo velho dragão, e é a origem, poder [vida], ea força de todas as heresias, especialmente de que do Papado e Maomé.10] Por isso convém e deve manter constantemente este ponto, que Deus não deseja lidar com nós de outra forma que não através da palavra falada e os Sacramentos.11] É o próprio diabo todo o que é exaltado como Espírito sem a Palavra e dos Sacramentos. Porque Deus quis aparecer mesmo a Moisés através da sarça ardente e falada Palavra; e nenhum profeta nem Elias, nem Eliseu, recebeu o Espírito sem os Dez Mandamentos [ou Palavra falada].12] Nem era João Batista concebida sem a palavra anterior de Gabriel, nem ele pular no ventre de sua mãe, sem a voz de Maria.13] E Pedro diz: 2 Pet. 01:21 : A profecia nunca foi produzida por vontade de homem; mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo . Sem a Palavra para fora, no entanto, eles não eram santos, muito menos seria o Espírito Santo moveu-os a falar quando eles ainda eram profano [ou profano]; pois eles eram santos, diz ele, uma vez que o Espírito Santo falou através deles.
 
 

Parte III, artigo IX. De excomunhão.

O maior excomunhão, como o Papa chama, nós consideramos apenas como uma penalidade civil, e isso não diz respeito a nós ministros da Igreja. Mas o menor, ou seja, a verdadeira excomunhão cristã, consiste no fato de que os pecadores manifestos e obstinados não são admitidos para o Sacramento e outras comunhão da Igreja até que se emendem, que evitar o pecado. E os ministros não devem se misturar punições seculares com esta punição eclesiástica, ou excomunhão.
 
 

Parte III, artigo X. da ordenação e da chamada.

1] Se os bispos seriam verdadeiros bispos [seria justamente descarregar seu escritório], e iria dedicar-se à Igreja e ao Evangelho, pode ser concedida a eles por causa do amor e da unidade, mas não por necessidade, para ordenar e confirmar nós e nossos pregadores; omitindo, no entanto, todas as comédias e exibição espetacular [decepções, absurdos, e aparências] de anticristão [pagã] desfile e pompa.2] Mas porque eles não são, nem pretendem ser, verdadeiros bispos, mas os senhores e príncipes deste mundo, quem vai nem pregam, nem ensinar, nem batizar, nem administrar a Ceia do Senhor, nem realizar qualquer trabalho ou no escritório da Igreja, e Além disso, perseguir e condenar aqueles que desempenham estas funções, depois de ter sido chamado a fazê-lo, a Igreja não devia, por sua conta permanecer sem ministros [de ser abandonado por ou privados de ministros].

3] Portanto, como os antigos exemplos da Igreja e dos Padres nos ensinam, nós mesmos vontade e deve ordenar pessoas adequadas a este cargo; e, ainda de acordo com suas próprias leis, eles não têm o direito de proibir ou impedir-nos. Para suas leis dizem que os ordenados ainda por hereges devem ser declarados [verdadeiramente] ordenado e fique ordenado [e que tal ordenação não deve ser alterada], como São Jerônimo escreve sobre a Igreja em Alexandria, que no início era governada em comum por sacerdotes e pregadores, sem bispos.
 
 

Parte III, artigo XI. Do casamento dos padres.

1] Para proibir o casamento, e sobrecarregar a ordem divina de sacerdotes com o celibato perpétuo, eles não tinham nem autoridade nem direito [eles têm feito por maldade, sem qualquer motivo honesto], mas ter agido como anticristãos, tirânicos, canalhas desesperados [ ter realizado a obra do anticristo, de tiranos e os piores patifes], e causaram assim todos os tipos de horríveis, aos abomináveis, aos inúmeros pecados de falta de castidade [concupiscências depravadas], em que ainda chafurdam. 2] Agora, tão pouco como nós ou eles foi dado o poder de fazer uma mulher de um homem ou de um homem de uma mulher, ou de anular um ou outro sexo, tão pouco ter que tinham o poder de [Sunder e] separado essas criaturas de Deus, ou proibi-los de viver [e coabitação] honestamente em casamento com o outro. 3] Portanto, não estamos dispostos a concordar com o seu celibato abominável, nem vamos [ainda] tolerá-lo, mas deseja ter o casamento livre como Deus instituiu [e ordenado], e nós desejamos nem para rescindir nem dificultar a sua obra; pois Paulo diz, 1 Tim. 4: 1 e ss , que isso [proibição do casamento] é uma doutrina de demônios .

? - Confissão - Confutation - Defesa

 
 

Parte III, artigo XII. Da Igreja.

1] Nós não ceder a eles que eles são a Igreja, e [na verdade] não são [a Igreja]; nem vamos ouvir aquelas coisas que, sob o nome de Igreja, eles ordenam ou proíbem.2] Pois, graças a Deus, [a-dia] uma criança de sete anos sabe que é a Igreja, ou seja, os crentes santos e cordeiros que escutam a voz do seu Pastor. Para as crianças orar assim: Eu acredito em um santo [católica] ou Igreja Cristã .3] Esta santidade não consiste em alvas, tonsuras, vestidos longos, e outras de suas cerimônias elaboradas por eles além de Sagrada Escritura, mas na Palavra de Deus e verdadeira fé.
 
 

Parte III, artigo XIII. Como alguém é justificado diante de Deus, e de boas obras.

1] O que eu tenho até agora e constantemente ensinado a respeito disso eu não sei como mudar, no mínimo, ou seja, que pela fé, como diz São Pedro, adquirimos um coração novo e limpo, e Deus e não nos representam inteiramente justo e santa por causa de Cristo, nosso Mediador. E, embora o pecado na carne ainda não foi completamente removido ou se tornar inoperante, contudo Ele não vai punir ou lembrar.

2] E essa fé, renovação e perdão dos pecados é seguido por boas obras. E o que ainda é pecaminoso ou imperfeita também neles não devem ser contabilizadas como pecado ou defeito, mesmo [e que, também] por amor de Cristo; mas todo o homem, tanto quanto à sua pessoa e suas obras, é ser chamado e de ser justo e santo de pura graça e misericórdia, derramou sobre nós [desdobrado] e distribuídos por nós em Cristo.3] Portanto, não pode se orgulhar de muitos méritos e trabalha, se eles são vistos à parte da graça e misericórdia, mas, como está escrito, 1 Cor. 01:31 : Aquele que se gloria , glorie no Senhor , ou seja, que ele tem um Deus gracioso. Pois assim está tudo bem.4] Dizemos, além disso, que, se as boas obras não seguem, a fé é falsa e não verdadeira.
 
 

Parte III, artigo XIV. De os votos monásticos.

1] Como os votos monásticos em conflito diretamente com o primeiro artigo principal, que deve ser absolutamente abolido. Pois é deles que Cristo diz: Matt. 24: 5 , 23 ss : Eu sou o Cristo , etc.2] Para aquele que faz um voto de viver como um monge acredita que ele vai entrar em um modo de vida mais santo do que os cristãos comuns levar, e deseja ganhar o Céu por suas próprias obras, não só para si, mas também para os outros; isso é negar Cristo.3] E eles se vangloriar de sua St. Thomas que um voto monástico é igual ao Batismo. Isso é uma blasfêmia [contra Deus].
 
 

Parte III, artigo XV. De tradições humanas.

1] A declaração dos papistas que as tradições humanas servem para a remissão dos pecados, ou merecer a salvação, é [totalmente] anticristão e condenado, como Cristo diz Matt. 15: 9 : Em vão me adoram , ensinando doutrinas que são preceitos dos homens . 2] Mais uma vez, Tito 1:14 : que se desviam da verdade . Mais uma vez, quando eles declaram que é um pecado mortal se uma quebra estas ordenanças [não manter estes estatutos], este, também, não está certo.

3] Estes são os artigos em que devo permanecer, e, se Deus quiser, subsistirá até a minha morte; e eu não sei como mudar ou para produzir qualquer coisa neles. Se alguém deseja produzir alguma coisa, faça-o com o risco da sua consciência.

4] Por último, há ainda permanece saco do Papa de imposturas relativas aos artigos tolos e infantis, como, a dedicação das igrejas, o batismo dos sinos, o batismo do altarstone e convidativo de patrocinadores para esses ritos, que iria fazer doações para -los. Esse batismo é a vergonha ea zombaria do Santo Batismo, portanto, não deve ser tolerado.5] Além disso, a respeito da consagração de cera-velas, palma-ramos, bolos, aveia, [ervas, especiarias, etc.], o que, de fato, não pode ser chamado de consagrações, mas são pura zombaria e fraude. E essas enganações há sem número, que recomendamos para a adoração ao seu deus e para si mesmos, até que cansado disso. Nós vamos [deveria] não tem nada a ver com eles.

1] Dr. Martin Luther subscrito.

2] Dr. Justus Jonas , Reitor, subscrito com sua própria mão.

3] Dr. John Bugenhagen , Pomeranus , subscrito.

4] Dr. Caspar Creutziger subscrito.

5] Niclas Ambsdorf de Magdeburg subscrito.

6] George Spalatin de Altenburg subscrito.

7] I, Philip Melanchthon , também considero [aprovar] artigos acima como direito e cristã. Mas em relação ao Papa Eu defendo que, se ele permitiria que o Evangelho, sua superioridade sobre os bispos que ele tem outra forma, é concedido a ele pelo direito humano também por nós, para o bem da paz e da unidade geral dos cristãos que são também debaixo dele, e ele pode estar sob a seguir.

8] John Agricola de Eisleben subscrito.

9] Gabriel Dídimo subscrito.

10] I, Dr. Rhegius Urban , superintendente das igrejas no Ducado de Lüneburg, inscrever em meu próprio nome e em nome de meus irmãos, e da Igreja de Hannover.

11] I, Stephen Agricola , Ministro em Hof, se inscrever.

12] Também eu, John Draconites , Professor e Ministro em Marburg, assine.

13] I, Conrad Figenbotz , para a glória de Deus se inscrever que eu tenho, assim, acreditava, e ainda estou pregando e acreditando firmemente como acima.

14] I, Andrew Osiander de Nuernberg, assine.

15] I, Magister Veit Dieterich , Ministro, Nuernberg, assine.

16] I, Erhard Schnepf , Preacher em Stuttgart, assine.

17] Conrad Oetinger , Pregador da Duke Ulrich em Pforzheim.

18] Simon Schnevveis , Pastor da Igreja em Crailsheim.

19] I, John Schlainhauffen , Pastor da Igreja em Koethen, assine.

20] O reverendo Magister George Helt de Forchheim.

21] O reverendo Magister Adam de Fulda , Preacher em Hesse.

22] O reverendo Magister Anthony Corvinus , Preacher em Hesse.

23] I, Doutor John Bugenhagen , Pomeranus , novamente subscrever em nome de Magister John Brentz , como na partida de Smalcald ele me dirigiu por via oral e por uma carta, que eu mostrei para aqueles irmãos que se inscreveram.

24] I, Dionísio Melander , assine a confissão, a Apologia, eo Concordia sobre o tema da Eucaristia.

25] Paul Rhodius , Superintendente de Stettin.

26] Gerard Oeniken , Superintendente da Igreja em Minden.

27] I, Brixius Northanus , Ministro da Igreja de Cristo que está em Soest, subscrever os artigos do reverendo padre Martinho Lutero, e confesso que até hoje eu tenho, assim, acreditou e ensinou, e pelo Espírito de Cristo que deve continuar assim acreditar e ensinar.

28] Michael Coelius , Preacher em Mansfeld, subscrito.

29] O reverendo Magister Peter Geltner , Preacher em Frankfort, subscrito.

30] Wendal Faber , Pastor de Seeburg em Mansfeld.

31] I, John Aepinus , assine.

32] Da mesma forma, eu, John Amsterdam de Bremen.

33] I, Frederick Myconius , Pastor da Igreja em Gotha, na Turíngia, inscrever em meu próprio nome e no de Justus Menius de Eisenach

34] I, Doutor John Lang , pregador da Igreja em Erfurt, assinar com a minha própria mão em meu próprio nome e no de meus outros colegas de trabalho no Evangelho, a saber:

35] O reverendo Licenciatura Ludwig Platz de Melsungen.

36] O reverendo Magister Sigismund Kirchner .

37] O reverendo Wolfgang Kismetter .

38] O reverendo Melchior Weitmann .

39] O reverendo John Alto .

40] O reverendo John Kilian .

41] O reverendo Nicholas Faber .

42] O reverendo Andrew Menser .


43] E eu, Egidius Mechler , subscreveram com a minha própria mão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.