sexta-feira, 31 de outubro de 2014

FUNÇÃO DO PROFESSOR NA IGREJA

             
                           O PAPEL DO PROFESSOR NAS IGREJA

Sendo a Didática a arte e a técnica de transmitir o ensino ou os conhecimentos, o professor tem papel fundamental, no sentido de "estimular, dirigir e auxiliar a aprendizagem..."(CGADB, P. 11). O Professor cristão deve ser um instrumento nas mãos do Espírito Santo, para transmitir a Palavra de Deus. Jesus disse: "Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" (Mt 19.28).
Segundo GRIGGS (p. 18-20), o professor cristão deve ser amigo, procurando relacionar-se bem com os alunos; deve ser intérprete, traduzindo para os alunos aquilo que lhes é ensinado; planejador, procurando adaptar as lições, os currículos às necessidades dos alunos; aprendiz, estando disposto a colocar-se no lugar dos que querem sempre aprender mais para ensinar melhor.
Além disso, o professor cristão deve ser um EXEMPLO para seus alunos. "Assim falai, assim procedei..." (Tg 2.12). Na escola secular, o professor pode ser um mero transmissor de conhecimentos. Na Igreja, é diferente. O professor tem que ser didático e exemplar.


3. ATITUDES DO PROFESSOR DA EBD
O professor, na igreja, precisa ser "...APTO PARA ENSINAR" (2 Tm 2.24), precisa ser uma pessoa DEDICADA AO ENSINO (Rm 12.7) e, como OBREIRO, precisa apresentar-se "...a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da verdade" (2 Tm 2.15).
Orientador das mentes e vidas dos alunos;
Entusiasmado, sincero, humano e otimista;
Atualizado, não só em termos do que ensina, mas de outras áreas;
Não fugir do assunto da lição, contando "testemunhos" e estórias para passar o tempo;
Enriquecer a lição com fatos novos;
Não ler simplesmente a lição diante da classe; seguir o roteiro, comentando e dando oportunidade aos alunos para se expressarem;
Não confiar no improviso; deve ler e PREPARAR a lição com antecedência, conferindo com a Bíblia.
Pontual e assíduo, para não decepcionar os alunos;
Ao final de cada aula, sempre fazer a avaliação (perguntas, testes, etc..)



4. COMO O PROFESSOR DEVE VER O ALUNO

Nas igrejas, é comum o ensino tradicional em que o ALUNO NÃO É O CENTRO do ensino. É por isso que muitos alunos iniciam o ano na Escola Dominical, mas, 3 meses depois, não vão mais à EBD.
É importante que o professor entenda que é um instrumento de Deus a serviço da formação espiritual dos alunos. Estes devem ser o alvo do ensino, e não o professor.

IV - O EXEMPLO DE JESUS COMO PROFESSOR
O Mestre Divino deixou-nos os seguintes exemplos (Manual da EBD, p 165-6):
1) Conhecia a matéria que ensinava (Lc 24.27);
2) Conhecia seus alunos (Mt 13; Lc 15.8-10; Jo 21);
3) Reconhecia o que havia de bom em seus alunos (Jo 1.47);
4) Ensinava verdades bíblicas de modo simples e claro (Lc 5.17-26; Jo 14.6);
5) Variava o método de ensino conforme a ocasião e o tipo de ouvintes, como se pode ver a seguir:

Lições práticas (Jo 4.1-42) - falou da água para atrair a mulher samaritana;
Pontos de contato (Jo 1.35-51): o relacionamento entre André, João, Pedro, Filipe e Natanael;
Solução de problemas (Mt 22.15-21). Pediu uma moeda e questionou os deveres para com Deus e as autoridades.
Técnica de perguntas. Jesus fez mais de cem perguntas para levar as pessoas a entender sua mensagem.
Parábolas. O Mestre utilizou grandemente o recurso das parábolas para evidenciar as verdades eternas.
Oportunidades (Mt 26.17-30; Jo 13.1-20). Ele aproveitou a ocasião da Páscoa, e lavou os pés dos discípulos para ensinar sobre sua morte e sobre a humildade do servo.
Trabalho em grupo (Mt 5 a 7; Jo 14 a 17). Tanto pregava a grandes grupos (as multidões) como a pequenos grupos (os discípulos); na casa de Lázaro, Marta e Maria, etc.



Ele levava o discípulo a aprender a resolver problemas. Na multiplicação dos pães, Ele disse: "Dai-lhes vós de comer..." (Lc 9.13a). Ele não trabalhava só. Valorizava o GRUPO. Formou um grupo de 12 discípulos para fazer o trabalho com Ele. Incentivava os discípulos a praticar o aprendizado. Enviou 12, de dois em dois; depois, enviou 70, de dois em dois.

V - OS OBJETIVOS DO ENSINO NA IGREJA
De acordo com GILBERTO (P. 153-4), os objetivos do ensino bíblico são:
1) O aluno e suas relações com Deus (Is 64.8);
2) O aluno e suas relações com o Salvador Jesus (Jo 14.6);
3) O aluno e suas relações com o Espírito Santo (Ef 5.18);
4) O aluno e suas relações com a Bíblia (Sl 119.105);
5) O aluno e suas relações com a Igreja (At 2.44; Ef 4.16);
6) O aluno e suas relações consigo mesmo (Fp 1.21; 3.13,14);



7) O aluno e suas relações com os demais alunos e com as demais pessoas (Mc 12.31).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.